Cismei de novo com uma repetição histórica que pode ser grande coincidência

Cismei de novo com uma repetição histórica que pode ser grande coincidência

Naquele ano de 2010 passei meses e meses apostando de forma obcecada que o Mundial de Clubes daquela temporada seria decidido entre Inter-ITA e Inter-RS.

E falava e escrevia à exaustão em minhas redes sociais, em seis rádios e duas TVs Intêr “I, TÊ, Á” e Inter “Erre Esse”.

Todo dia!

Mas era muito difícil acertar.

O Inter-RS era só um dos oito melhores candidatos ao título da Libertadores e a Inter-ITA uma possibilidade ainda menor de conquistar a Liga dos Campeões.

E não é que acertei?

O que atrapalhou foi o tal Mazembe.

Mas só de cravar os dois campeões de Copas tão difíceis, e tão antes da hora, foi algo extraordinário, pelos meses que precederam as duas disputas e porque o pleno e tão feliz prognóstico contrariou minhas tradicionais previsões furadas.

E saibam que só resolvi apostar nos dois “Inters” porque eram dois times de nomes iguais e achei interessante a possibilidade e decidi dar uma agitada por meio de um chute improvável.

Pois não é que a coisa virou grande febre vermelha e monumental secagem azul no europeu Estado Gaúcho?

Pela Band News FM então...

Aliás, a Band News FM “do Boechat” é a melhor rádio FM jornalística do Brasil!

Opinião aqui de quem entende do assunto como raríssimos e minguados por aí.

Tanto que já tive insistentes pedidos de ser professor de rádio e TV em duas universidades.

Declinei por falta de vontade, de querer hoje sair o menos possível de casa e por não ter documentação exigida pelo magistério, mesmo diplomado.

E principalmente porque os alunos não precisam ir à faculdade para aprender a fazer rádio comigo.

Basta ouvir a Bandeirantes AM e FM, Trânsito FM, Band News FM e logo, logo a líder Band FM.

Eu aprendi assim sonhando e ouvindo Jorge Cury, Fiori Giglioti, Hélio Ribeiro, Haroldo Fernandes, Flávio Araújo, Juarez Soares, Mário Moraes, Edson Leite, Alexandre Santos, Paulo Edson, Manuel Ramos e tantos outros.

Sim, mas e o título lá em cima?

Por que Palmeiras x Juventus?

Porque cismei de novo com uma repetição histórica que pode ser grande coincidência.

Em 1951 Palmeiras e Juventus não decidiram no Maracanã a Copa Rio que a Fifa tornou oficial como “Mundial de Clubes”?

Pois será que não estaria escrito nas estrelas que os italianos da Pompéia e de Turim se enfrentariam de novo 66 anos depois?

Minha gente, ninguém sabe o que vai acontecer, só Deus.

Mas Ele é muito ocupado, não conta nada para ninguém e no mais tem milhões de coisas mais importantes para fazer e consertar.

Mas eu estou arriscando, não como dono de espingarda de cano torto para matar veado na curva, mas por certa sensibilidade de haver o repeteco daquele Mundial de 1951, ano em que nasci.

A volta de Cuca, o grande elenco agora ordenado do Palmeiras, o Buffon e a arrancada na hora certa da Juventus – à la Itália-82 -, podem estar nos dando iluminadas sinalizações lá nas beiradas dos surpreendentes caminhos retos ou tortuosos da bola.

Que o Real Madrid, o Flamengo, o Santos, o Grêmio, o Galo e uns três times gringos colaborem para o romantismo do futebol e para o mala aqui ficar um pouco mais mascarado.

Aliás, vocês já viram algum mascarado incompetente em qualquer setor de atividade?

Fotos: Reprodução internet

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações
comments powered by Disqus

SOBRE O COLUNISTA

Milton Neves Filho, nasceu em Muzambinho-MG, no dia 6 de agosto de 1951.

É publicitário e jornalista profissional diplomado. Iniciou a carreira em 1968, aos 17 anos, como locutor na Rádio Continental em sua cidade natal.

Trabalhou na Rádio Colombo, em Curitiba-PR, em 1971 e na Rádio Jovem Pan AM de São Paulo, de 1972 a 2005. Atualmente, Milton Neves apresenta os programas "Terceiro Tempo?, "Domingo Esportivo? e "Concentraçã... Saiba Mais

Arquivos