publicidade

Renganeschi

E-zagueiro do São Paulo e ex-treinador
por Marcelo Rozenberg
 
Armando Federico Renganeschi foi um dos primeiros ídolos da torcida do São Paulo.
 
Zagueiro clássico, nascido em Capitán Sarmiento, na Argentina, em 10 de maio de 1913 e falecido em Campinas em 12 de outubro de 1983, fez parte do elenco tricolor nas campanhas que culminaram com os títulos paulistas de 1945, 46 e 48. Guerreiro como poucos, entrou definitivamente para a história na decisão do estadual de 1946, quando mesmo machucado e fazendo número na ponta (naquela época não eram permitidas substituições), marcou o gol do título em jogo contra o Palmeiras.
 
Segundo o Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa, fez 103 jogos pelo clube com 60 vitórias, 23 empates, 20 derrotas e um gol marcado. Também passou por Jabaquara e Fluminense.
 
Sua história no São Paulo começou em 05 de julho de 1944. Terminou, nos gramados, em 31 de dezembro de 1948, porque dez anos depois retornou ao clube para trabalhar como treinador. Em 56 jogos, obteve 33 vitórias, 14 empates e 9 derrotas. Após o Torneio Rio-São Paulo de 1959, deixou o cargo.
Renganeschi treinou o Corinthians, segundo o Almanaque do Corinthians de Celso Unzelte, em 21 jogos em 1978, com 10 vitórias, 7empates e 4 derrotas.
 
Dirigiu o Flamengo, segundo o Almanaque do Flamengo de Roberto Assaf e Clóvis Martins, em 125 jogos com 55 vitórias, 32 empates e 38 derrotas, conquistando o título carioca de 1965.
 
Comandou o Palmeiras em 57 jogos de acordo com o Almanaque do Palmeiras de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti, com 32 vitórias, 13 empates e 12 derrotas.
 
O Portal Terceiro Tempo recebeu no dia 22 de janeiro de 2012 de Roberto Diogo (rponzo2002@yahoo.com.br), o e-mail abaixo sobre o falecimento da esposa do Sr. Armando Renganeschi:
 
"Salve Milton! Perdemos do nosso convívio na última quarta-feira nossa querida e doce Dona Anna Bosco Renganeschi, que neste ano iria completar 89 anos!Seu sepultamento foi aqui em Campinas no cemitério das Aléias. Dona Anna foi a mentora junto ao seu marido Armando Renganeschi (autor daquele gol inesquecivel do titulo do São Paulo diante do Palmeiras na década de 40...), de trazer meu pai Diogo da capital paulista do Corinthians onde estava para o Guarani FC. Dona Anna, deixa três filhas maravilhosas: Regina, Mirtha e Sandra, além de 4 netos e duas bisnetas! Nossa GRATIDÃO a Dona Anna e ao seu Renga por tudo que fizeram pela nossa família e pelo nosso futebol! Abração do Roberto Diogo. PS: Te enviei um artigo do seu Renga para sua equipe adicionar na página do que fim levou!"
    ver mais notícias

    Pelo São Paulo (como jogador):
    Atuou em 103 jogos, sendo 60 vitórias, 23 empates e 20 derrotas. Marcou um gol.

    Como treinador:

    Em 56 jogos conquistou 33 vitórias, 14 empates e 9 derrotas.
    Fonte: Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa


    Pelo Corinthians (como treinador):
    Comandou o Timão em 21 jogos, sendo 10 vitórias, 7 empates e 4 derrotas
    Fonte: Almanaque do Corinthians de Celso Unzelte


    Pelo Flamengo (como treinador):
    Comandou o Mengão em 125 jogos, sendo 55 vitórias, 32 empates e 38 derrotas. Foi campeão carioca em 1965.
    Fonte: Almanaque do Flamengo de Roberto Assaf e Clóvis Martins


    Pelo Palmeiras
    (como treinador):
    Dirigiu o Verdão em 57 jogos, sendo 32 vitórias, 13 empates e 12 derrotas
    Fonte: Almanaque do Palmeiras, de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade -->
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      66
    • 2 Int
      61
    • 3 Fla
      60
    • 4 São
      57
    • 5 Grê
      55
    • Veja tabela completa

    ÚLTIMOS CRAQUES