publicidade

Renato Pé Murcho

Ex-meia do Guarani, São Paulo e Galo
por Rogério Micheletti
 
Carlos Renato Frederico, o Renato Pé Murcho, meia do Guarani, no final dos anos 70, do São Paulo, Botafogo e Atlético Mineiro, nos anos 80, mora em Morungaba (SP), cidade onde nasceu, tem escolinha de futebol em Itatiba (SP) e trabalhou como técnico das categorias inferiores do Bugre até junho de 2006.
 
Junto com Manguinha (ex-Guarani), costuma reforçar o time de masters de Morungaba (SP).

Casado com Conceição Giovanelli Frederico, o casal tem duas filhas e um filho: Karina (formada em turismo); Renata (jornalista) e Lucas (que estudante).

Em 2011 cuidava da categoria sub-17 do Paulista de Jundiaí.

Como jogador, Renato foi um grande meia-direita e ganhou o apelido de Pé Murcho porque nunca teve chute forte. "Aliás, esse apelido é uma injustiça, porque o Renato foi um jogador brilhante", comenta o ex-meia Neto, hoje comentarista esportivo de TV.

Renato fez parte do esquadrão bugrino campeão brasileiro de 78 e depois foi defender o São Paulo, em 80. No Tricolor do Morumbi, onde ficou de 1980 a 84, Renato atuou em 298 partidas (160 vitórias, 81 empates, 57 derrotas), marcou 100 gols e foi bicampeão paulista em 80 e 81 (fonte: Almanaque do São Paulo - Alexandre da Costa).

No começo de 1984, o Botafogo o adquiriu, aproveitando a reformulação que o São Paulo realizava no elenco. No alvinegro carioca, Renato não brilhou muito e acabou sendo negociado com o Atlético Mineiro, clube no qual conquistou alguns títulos estaduais e se tornou ídolo da torcida (certa vez, em um Galo x Boa Esperança-MG, fez três gols em três minutos).

Já veterano, no começo dos anos 90, Renato atuou no Yokohama e Kashiwa Reysol, do Japão, Ponte Preta e Taubaté (SP). Por sinal, foi no "Burro da Central", que encerrou a carreira em 1997.

O meia também foi algumas vezes convocado para defender à seleção brasileira. Na Copa do Mundo de 82, na Espanha, ele era reserva de Sócrates e Zico na equipe do técnico Telê Santana.

Casado com dona Conceição, Renato é pai de três filhos (Karina, Renata e Lucas).

Elogios de um velho companheiro:

Para o meia Zenon, que atuou ao lado dele nas equipes do Guarani e do Atlético Mineiro, Renato merece ser lembrado como um dos melhores jogadores em todos os tempos. "Foi um dos melhores meias que eu vi jogar no futebol mundial. Eu disse no futebol mundial, hein? Não só no futebol brasileiro. O Kaká tem um estilo muito parecido com o dele", diz Zenon.

Abaixo, confira a lista dos times que Renato Pé Murcho defendeu:

- Guarani (1975 a 80) - São Paulo (1980 a 84) - Botafogo (1985) - Atlético Mineiro (1986 a 89) - Yokohama Marinus (1989 a 93) - Kashiwa Reysol (1993 - seis meses) - Ponte Preta (1994 a 96) - Taubaté (1997 - quatro meses).

No dia 05 de abril de 2011, Renato foi um dos homenageados na festa do centenário do Guarani, na Sociedade Hípica de Campinas.

"O jogo mais importante foi contra o Internacional, no sul. Nós estavamos vendo um programa de esportes e o comentarista disse para a torcida ir ao estádio porque o Colorado conseguiria uma goleada, porque o nosso time tinha um ataque de risos. E nós conseguimos uma grande vitória e não perdemos mais nenhuma partida até chegarmos à final", disse Renato. Clique aqui e ouça a entrevista completa de Renato ao jornalista Marcos Júnior, do Portal Terceiro Tempo

    ver mais notícias

    Pelo São Paulo:

    Atuou em 298 partidas, sendo 160 vitórias, 81 empates e 57 derrotas. Marcou 100 gols.

    Fonte: Almanaque do São Paulo, de  Alexandre da Costa.

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES