publicidade

Pagão

Ex-atacante do Santos e do São Paulo
por Breno Menezes e Gustavo Grohmann
 
Pagão, o grande Paulo César de Araújo, camisa 9 do Santos entre 1955 e 1962 e do São Paulo entre 1963 e 66, nasceu em 27 de Outubro de 1934 em Santos e morreu no dia 4 de Abril de 1991, aos 56 anos, por falência do fígado.
 
Apontado por Coutinho, seu sucessor no Santos, como maior centroavante que já viu atuar, Pagão jogou também na Portuguesa Santista e no Jabaquara.
 
Pagão era um dos atacantes do São Paulo na tarde de 14 de agosto de 1963, no Pacaembu, quando o Tricolor do Morumbi goleou o Santos por 4 a 1, com o Peixe abandonando o campo no segundo tempo porque perdia de quatro e atuava só com nove jogadores depois que Armando Marques expulsou Pelé e Coutinho, ainda na primeira etapa.
 
Aí, na fase final, quando o São Paulo fez o quarto gol, Pepe, Aparecido e Dorval simularam contusão caracterizando o cai-cai. Ou seja, o Santos fugiu de campo. Os quatro gols do São Paulo foram marcados por Faustino, Pagão, Benê e Sabino, todos já falecidos. O gol do Santos foi de Pelé.

Chico Buarque de Hollanda

Pagão é o maior ídolo que o cantor e compositor Chico Buarque tem no futebol. A paixão era tamanha, que o menino Chico, à época sem muito dinheiro, ia aos jogos do Santos no Pacaembu e ficava todo o primeiro tempo do lado de fora do estádio, esperando a abertura dos portões após o intervalo para ver as fantásticas jogadas de Pagão.
 
"Ele era demais em campo. Era um jogador de uma leveza admirável. Adorava quando ele pegava a bola no ar e, com a parte de fora do pé, vindo de trás, chapelava o adversário", afirma Chico Buarque em seu DVD Chico Buarque - O Futebol.
 
Como um verdadeiro apaixonado pelo esporte bretão, Chico montou uma equipe de futebol para as peladas com os amigos no fim de semana: o Politheama (o próprio Chico se incumbiu em compor o hino da equipe).
 
Nos inúmeros jogos do time contra combinados e equipes de masters a paixão e admiração pelo ex-atacante do Santos fica ainda mais clara. "Eu sempre jogo com a camisa 9, que era do Pagão. E toda vez, assino a súmula do jogo com o nome de Pagão. No começo o pessoal estranhou, mas agora já se acostumaram", afirma Chico, que jura que há mais de 20 anos o Politheama está invicto.
 
ABAIXO, PARTICIPAÇÃO DE PEPE, ZITO, PAGÃO, O TREINADOR LULA E WALDEMAR DE VRITO (DESCOBRIDOR DE PELÉ) NO FILME "O REI PELÉ", DE 1962. PELÉ FOI INTERPRETADO POR UM ATOR

Abaixo, veja vídeo espetacular de 1960, um dia antes de Palmeiras 2 x 1 Santos, pela decisão do Super Paulistão de 1959:

    ver mais notícias
    ver mais Áudio
    Pelo Santos:

    Ele marcou 159 gols com a camisa do Peixe.

    Pelo São Paulo:

    Pelo São Paulo, foram 59 jogos (29 vitórias, 16 empates, 14 derrotas) e 14 gols marcados.

    Outras informações:

    Na temporada de 1956, Pagão foi o artilheiro do time com 34 gols. Já no ano seguinte, o atacante balançou as redes adversárias em 33 oportunidades.

    Com 59 partidas disputadas em 1957, Pagão foi o terceiro jogador mais assíduo do Santos. Ele é o nono artilheiro da história do Peixe.

    Títulos ao longo da carreira:

    Seleção Paulista:

    Campeão Brasileiro de Seleções em 1956:

    Campeão Paulista em 1955,56,58,60,61 e 62 Campeão Brasileiro (Taça Brasil) em 1961 e 62. Campeão Sul-americano (Taça Libertadores), em 1962. Campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1959.

    (Todos os seus títulos foram obtidos com a camisa do Santos)

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES