Nelsinho Kerchner

Ex-lateral-esquerdo do São Paulo e Corinthians
por Rogério Micheletti
 
Nelsinho, o Nélson Luís Kerchner, nascido no dia 31 de dezembro de 1962, lateral-esquerdo do São Paulo, entre 1983 e 1992, assumiu o comando técnico do time profissional do União Mogi no dia 17 de fevereiro de 2014. 
 
Nelsinho também tem escolinhas de futebol em São Paulo (uma delas fica no bairro do Tatuapé, zona leste da capital paulista).
 
Em fevereito de 2015 Nelsinho assumiu o comando técnico do A.D. Guarulhos-SP, time da segunda divisão do futebol paulista.
 
Começou a ganhar espaço no time são-paulino com a saída de Marinho Chagas, titular por dois anos (81 e 82) da lateral-esquerda. O primeiro título com a camisa tricolor aconteceu em 1985, quando o São Paulo derrotou a Portuguesa na final do Paulistão.
 
No ano seguinte, Nelsinho voltou a ganhar um título importante. Ajudou o São Paulo a levantar a taça do Brasileirão de 86. Na final, contra o Guarani, Nelsinho chegou a dar um susto no torcedor tricolor quando marcou gol contra logo nos minutos iniciais no Brinco de Ouro. Mas isto não abalou o lateral, que fez uma boa partida.
 
Em 87, ele também foi peça importante para que o time, novamente comandado por Cilinho, voltasse a ganhar um estadual. Ele formava a defesa tricolor com Gilmar Rinaldi, Zé Teodoro, Adilson e Darío Pereyra.
 
Nos tempos de São Paulo, ele chegou a ser convocado várias vezes para defender a seleção brasileira. O técnico que lhe deu mais oportunidades de vestir a amarelinha foi Carlos Alberto Silva. Nelsinho, que fez 35 partidas pela seleção, fez parte do time brasileiro medalha de prata em 88 e campeão do Panamericano de 87.
 
Em 90, Nelsinho trocou de ares. Envolvido em uma troca com Leonardo, por empréstimo, ele deixou o São Paulo para defender o Flamengo. Uma fratura em um jogo justamente contra o Tricolor (dividida com o zagueiro Antônio Carlos) impediu que o lateral tivesse sucesso na Gávea.
 
Nelsinho voltou ao São Paulo, recuperou-se e no ano seguinte e ajudou o time tricolor a conquistar mais um Brasileirão, em 91, e mais um Paulistão, também em 91. No ano seguinte, Nelsinho foi defender o Corinthians, onde não conquistou títulos, mas também não decepcionou. No mesmo ano, ele deixou o clube do Parque São Jorge para defender o Kashiwa Reysol, do Japão.
 
Encerrou a carreira no futebol japonês.
 
Após anos longe do futebol, resolveu investir na carreira de treinador e em 2004, deu início ao seu primeiro trabalho como técnico quando esteve no comando da Inter de Limeira.
 
Comandou também a base do Corinthians, o profissional do Juventus em março de 2009, onde ficou até dezembro do mesmo ano, ao ser promovido depois de treinar as categorias de base do Moleque Travesso por dois anos, o Sub-20 do Barueri e o Audax.
ver mais notícias
Somando todas as suas passagens pelo Tricolor, foram 509 partidas (242 vitórias, 169 empates, 98 derrotas) e oito gols marcados (fonte: Almanaque do São Paulo - Alexandre da Costa).

Nelsinho jogou 32 partidas com a camisa alvinegra (14 vitórias, 9 empates, 9 derrotas) e marcou três gols (fonte: Almanaque do Corinthians - Celso Unzelte).

Com a camisa do Flamengo, foram apenas 13 jogos (6 vitórias, 3 empates, 4 derrotas) e nenhum gol marcado (fonte: Almanaque do Flamengo - Clóvis Martins e Roberto Assaf).

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    80
  • 2 Fla
    72
  • 3 Int
    69
  • 4 Grê
    66
  • 5 São
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES