publicidade

Mendonça

Ex-meia do Botafogo-RJ e Portuguesa

por Rogério Micheletti

Milton da Cunha Mendonça, o Mendonça, ex-meia do Botafogo, de 1975 a 1982, em maio de 2017 seguia lutando contra o alcoolismo.

Nascido no dia 3 de maio de 1956, no Rio de Janeiro (RJ), Mendonça brilhou com a camisa do Glorioso.

Jogador de apurada técnica, o meia chegou a ser comparado com Zico.

Mas não bastou apenas o seu talento para Mendonça conseguir levar o Botafogo ao título. Pelo alvinegro carioca, ele marcou 118 gols em 342 jogos.

O gol mais marcante da carreira de Mendonça foi contra o Flamengo, em 1981. O meia, com um lindo drible, deixou perdido o craque Júnior e bateu com precisão sem chances para Raul Plasmann.

"Aquele gol todo mundo comenta comigo até hoje", diz.

Depois do Botafogo, Mendonça defendeu a Portuguesa, o Palmeiras, o Santos, a Internacional de Limeira (SP), o Grêmio e o São Bento (SP).

Na equipe de Palestra Itália, Mendonça quase conquistou seu único título como jogador. Na época, ao lado de Jorginho, Mirandinha, Edmar, Lino e Éder Aleixo e companhia, Mendonça foi vice-campeão paulista. O Palmeiras perdeu a final para a Inter de Limeira.

Em 22 de maio de 2017, o UOL Esporte publicou a seguinte notícia sobre o ex-jogador Mendonça:

Ídolo do Bota segue internado e tenta transferência. Família critica clube

Marcello De Vico e Vanderlei Lima

Do UOL, em Santos e São Paulo

O estado do ex-jogador Mendonça, ídolo do Botafogo entre as décadas de 70 e 80, é grave. Hoje com 60 anos, ele está internado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna (RJ), com problemas no fígado e no baço.

Em contato com o UOL Esporte, a família do jogador conta que tenta a transferência de Mendonça para o Hospital de Andaraí e admite que a bebida foi a principal causa dos problemas de saúde do ex-botafoguense.

"Ele se entregou a bebida. Ele estava bebendo muito, passou a ser até no café da manhã, infelizmente. Isso, de uns dois anos para cá, foi constante", disse Pedro, de 62 anos, um dos seis irmãos de Mendonça.

Sandra, 64, esposa de Mendonça, também admite o problema com bebida do ex-jogador, do qual inclusive já estava separada justamente por conta do alcoolismo.
"Não tem explicação, porque ele não bebia, e de repente foi começando e ficando mais passivo na bebida. Ele vinha bebendo, mas nesta proporção foi aumentando gradativamente. Os filhos sofrem com isso, porque ele não destrói só ele, destrói a família toda. Só quem teve problema na família com alcoolismo sabe", lamenta.

A ideia da família é conseguir a transferência de Mendonça, já que o hospital atual não conta com recursos para o que o ex-jogador precisa.

"O quadro dele não é muito bom, não, porque o hospital em que ele se encontra não tem a tomografia que ele precisa fazer do estômago, e por isso os médicos não têm uma ideia de como estão o fígado e o pâncreas. Então, por isso, nós estamos correndo atrás para tentar fazer uma transferência para um hospital de Andaraí. Nós temos muitos amigos correndo atrás, mas está difícil", revela Alfredo Ricardo, 58, outro irmão de Mendonça.

Família alega negligência do Botafogo

Os familiares de Mendonça ainda esperam por alguma ajuda do Botafogo, mas garantem não terem sido procurados por ninguém do clube.

"O Botafogo, no caso a diretoria, o presidente, ninguém se pronunciou, ninguém fala nada. O único que está fazendo essas coisas todas são os torcedores botafoguenses que se uniram um ao outro, de grupo em grupo, através de um vereador, o Felipe Michel, e assim a gente está indo, entendeu? O Botafogo é um clube grande, e ninguém falou com a gente", disse Pedro. "O Botafogo, por enquanto, não fez nada, não se pronunciou", confirma Alfredo Ricardo.

O repórter Felipe Michel, que jogou na base do Flamengo e hoje é vereador no Rio de Janeiro, mostra o atual estado de saúde do querido Mendonça, ex-Santos, Palmeiras, Lusa e Botafogo.

Confira:

ABAIXO, ALGUNS GOLS DE MENDONÇA PELO SANTOS FUTEBOL CLUBE

EM 06 DE SETEMBRO DE 2018 O UOL PUBLICOU UMA NOVA MATÉRIA SOBRE MENDONÇA, CLIQUE AQUI E VEJA.

    Pelo Palmeiras:

    Ele ficou no Verdão de 1985 a 1987. Atuou em 106 partidas (43 vitórias, 30 empates, 33 derrotas) e marcou 19 gols, números que constam no "Almanaque do Palmeiras", de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES