publicidade

Elmo Bóvio

Ex-meia do Palmeiras e do São Paulo

Nascido em Junim (província de Buenos Aires, Argentina) no dia 14 de julho de 1925, o ex-centroavante Elmo Bóvio, o Bóvio, defendeu Palmeiras e São Paulo nas décadas de 40 e 50. Vive atualmente aposentado no país hermano. E como é casado com uma brasileira, que conheceu nos tempos de Verdão, o ex-jogador costuma passar as férias no apartamento da família, em Santos-SP. Possui três filhos.
Com características do futebol argentino, Elmo era aguerrido fazedor de gols e muito bom cabeceador, mas tinha o estilo "catimbeiro?. Abusava de seu físico avantajado para deslocar os goleiros nas cobranças de escanteio.
Iniciou sua carreira futebolística no Clube Sarmiento de Junim. De lá, foi vendido para o Penarol de Montevidéu, onde ao lado de monstros do passado como Obdulio Varella, Maspoli, Matias Gonçalves, tornou-se campeão uruguaio. Após a conquista do título, foi negociado em 1945 com a Inter de Milão, melhor time da Itália àquela época.
Em 1947, o também meia-direita despertou o interesse do Palmeiras. Ele formou o ataque alviverde com Lula, Arthurzinho, Canhotinho e Lima. O argentino defendeu a camisa palmeirense até 1949 e ratificou a fama de artilheiro. Em 73 jogos (44V, 13E, 16D) marcou 56 gols, conforme consta no Almanaque do Palmeiras, de Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.
Trocou o Verdão pelo São Paulo em 1950. Ele compôs uma linha de ataque das mais badaladas, ao lado de Friaça, Ponce de Leon, Remo e Teixeirinha. E Bóvio manteve o faro de gol no time do Morumbi. Atuou em apenas 26 partidas (16V, 8E, 2D), mas balançou as redes adversárias 22 vezes, segundo o Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa.
Por indicação de Castor de Andrade, Bóvio deixou o Tricolor Paulista para jogar no Bangu de Zizinho. Encerrou sua carreira no América de Cali, da Colômbia.

Por Raphael Cavaco/Carlos Prieto, o Gigi
(colaborador)

    ver mais notícias

    Pelo Verdão e Tricolor

    O argentino defendeu a camisa palmeirense até 1949 e ratificou a fama de artilheiro. Em 73 jogos (44V, 13E, 16D) marcou 56 gols, conforme consta no Almanaque do Palmeiras, de Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

    Trocou o Verdão pelo São Paulo em 1950. Ele compôs uma linha de ataque das mais badaladas, ao lado de Friaça, Ponce de Leon, Remo e Teixeirinha. E Bóvio manteve o faro de gol no time do Morumbi. Atuou em apenas 26 partidas (16V, 8E, 2D), mas balançou as redes adversárias 22 vezes, segundo o Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa.

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES