publicidade

Édson Mariano

Ex-zagueiro do Flu, Bahia, Grêmio e Botafogo-RP

por Rogério Micheletti

Lançado por Carlos Alberto Parreira na equipe principal do Fluminense em 84, Édson Mariano da Silva, o Édson Mariano, jogou em 13 clubes do futebol brasileiro e hoje é treinador profissional. "O começo de carreira sempre é especial. Foi realmente uma emoção muito grande ter sido relacionado pelo Parreira para uma excursão do Fluminense ao Canadá", lembra Édson Mariano, que dois anos depois fez parte do time de juniores campeão da Taça São Paulo.

"Muitos jogadores saíram para o time profissional do Fluminense. A equipe era comandada pelo Ernesto Paulo e tinha vários jogadores importantes, entre eles: Eduardo (lateral-esquerdo), João Santos (meia), Alberto (meia), Franklin (ponta-esquerda), Silvio (centroavante), Robert (meia), Ricardo Pinto (goleiro) e Donizeti (volante)", recorda Édson Mariano.

Nascido no dia 9 de agosto de 1965, no Rio de Janeiro (RJ), o ex-zagueiro jogou ainda no Bahia e lamenta não ter feito parte da equipe campeã brasileira de 88. "Estive no Bahia um ano antes. Quase fiz parte da equipe campeã. Em 88, eu voltei para o Fluminense, que era dono do meu passe", conta Édson Mariano. "Tive como companheiros no Flu naquele ano o Romerito, o Washington, o Paulinho Andreolli, o Cacau (ex-ponta do Corinthians e do Goiás), o Jandir, o Alexandre Torres, o Edinho, entre outros", completa.

Além do Flu e Bahia, alguns dos outros clubes defendidos por Édson Mariano foram Vitória, Grêmio e Botafogo de Ribeirão de Preto. Aliás, a passagem por Ribeirão foi boa, tanto que Édson Mariano mora até hoje na grande cidade do interior paulista, chamada de "Califórnia Brasileira".

"Quando o Telê saiu do Fluminense, eu fui embora. No Botafogo de Ribeirão encontrei também um clube bem estruturado. Na época, eu joguei ao lado do Gallo (volante que defendeu depois o Santos, o São Paulo, o Botafogo, o Atlético Mineiro e o Corinthians), do Elias (ex-lateral-esquerdo do Corinthians), do Leandro Silva (ex-Flamengo e Corinthians), do Paulinho Andreolli (ex-Flu), do Bira (ponta-direita que jogou no Atlético Mineiro) e do João Carlos (ex-ponta-esquerda do Corinthians). Fui capitão da equipe e depois acabei sendo emprestado ao Grêmio", lembra Édson Mariano, que encerrou a carreira na Francana.

"Perdi a motivação de jogar. É duro você ficar esperando dois ou três meses para receber um salário", conta Édson Mariano, que já trabalhou como técnico do São José, da Ferroviária, do Taquaritinga, do Comercial de Ribeirão e do Botafogo de Ribeirão. "No Botafogo, eu ajudei a montar a base do time que foi vice-campeão paulista em 2001. Lancei na equipe principal jogadores como Cicinho (lateral-direito) e Luciano Ratinho (meia)", conta Édson.

    ver mais notícias

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES