publicidade

Domingos

Ex-zagueiro de Santos, Grêmio e Portuguesa
"O Domingos é meu amigo, vai encarar?". A frase, estampada em uma camisa lançada pela Portuguesa, resumia bem a fama do zagueiro brasileiro. Em 30 de outubro de 2017, foi anunciado como novo jogador do Santo André-SP.

Nascido em 12 de dezembro de 1985, Domingos Nascimento dos Santos Filho iniciou sua carreira nas categorias de base do Santos Futebol Clube e lá conquistou seu primeiro título: o Campeonato Paulista sub-17. Promovido para o time principal, venceu o Campeonato Brasileiro de 2004.

Foi então emprestado ao Grêmio, onde disputou uma das partidas mais memoráveis da história do time, nomeada "Batalha dos Aflitos?. O confronto, válido pela Série-B em 26 de novembro de 2005, foi marcado pela briga de Náutico e Grêmio por uma vaga na elite do futebol nacional. A épica vitória tricolor por 1 a 0 se consolidou com dois pênaltis perdidos pelos donos da casa, quatro jogadores expulsos de campo e um gol nos acréscimos do segundo tempo.

De estilo raçudo, Domingos "não gostava de perder? e chamava a atenção por protagonizar lances fortes e imprudentes. De volta à Vila Belmiro, se desentendeu com Kléber Pereira durante um coletivo em 2008 e acertou o atacante com uma cotovelada, quebrando seu dente. No ano seguinte, também em treinamento, quebrou a perna do goleiro Rafael após acertar-lhe um carrinho e foi afastado dos gramados pela diretoria do clube. Dias depois foi emprestado à Portuguesa.

Durante clássico contra o Palmeiras pela semifinal do Paulistão de 2009, o beque se envolveu em outra polêmica. Sacado do banco de reservas, provocou Diego Souza até ocasionar a expulsão do meia, formando uma grande confusão entre as duas equipes no gramado. Um ano depois, a Lusa lançava para a torcida uma camisa temática com os dizeres: "O Domingos é meu amigo, vai encarar?? e renovava seu contrato por mais uma temporada. Logo reestreia, acrescentou mais um cartão vermelho em sua coleção ao ofender o árbitro.

Em 2011 firmou contrato com o São Caetano, permaneceu por um ano e rescindiu com o Azulão para defender o Guarani, onde desempenhou importante papel na campanha do vice-campeonato paulista em 2012. Teve o contrato estendido pelo Bugre, mas passados menos de dois meses acertou a sua ida para o exterior, onde passou a prezar pelos bons hábitos, mudando da alimentação à religião. Feliz no Qatar, o jogador planejava pendurar as chuteiras aos 35 anos de idade vestindo a camisa do Grêmio, clube pelo qual viveu o momento mais inesquecível da carreira.

Em 24 de setembro de 2013, o UOL publicou uma matéria sobre Domingos, assinada por Bruno Thadeu. Abaixo, a notícia, na ítegra:

Domingos corta fast-food e bebidas após virar evangélico

Domingos diz ter encontrado no Qatar o lugar ideal para viver. Atleta do Al-Kharitiyath, time local, o zagueiro conta que o país oferece tranquilidade para residir com a família e ótima educação para os filhos. Evangélico há dois anos e morando na Arábia desde janeiro, ele se distanciou das tentações que o atormentaram durante a carreira: comidas gordurosas, carteado e bebidas.

Em entrevista por telefone ao UOL Esporte, Domingos, que teve passagens marcantes por Santos, Portuguesa e Guarani, reconheceu que levou uma vida desregrada. Ele relata fatos do passado que, segundo ele, não combinam mais com seu comportamento atual.
Os carteados e churrascos promovidos em casa, misturados com noitadas com cerveja, resultavam em constantes atrasos a treinos.

"Sempre depois dos jogos de sábado eu saía para beber `umazinha´ à noite. Mas essa umazinha virava duas, três, quatro, cinco...Hoje eu tenho consciência da importância do meu corpo e agradeço a Deus por ter me dado saúde. Se eu continuasse bebendo ainda hoje, estaria 10kg acima do meu peso", relembra Domingos.

No Qatar, há forte restrição a bebidas alcoólicas. É proibido o consumo nas ruas, e a venda é controlada a turistas. O rigoroso sistema árabe não foi o que determinou mudança no estilo de vida, enfatiza Domingos.

O jogador de 27 anos conta que "ouviu chamado de Deus" em 2009, defendendo o Santos, quando Roberto Brum apresentou mensagens bíblicas. Anos mais tarde ele se converteria evangélico. Desde então, Domingos riscou excessos fora de campo e passou a dar mais valor à família.

 "Eu não dava tanta importância para minha família como agora. Não tem coisa melhor do que estar ao lado de sua mulher e ver sua filha crescendo com educação em um país tranquilo. Bebida agora posso dizer que é vinho no jantar com minha mulher. Esse é o máximo", afirmou.

A manutenção do peso ideal (85kg) era algo difícil anos atrás. Domingos deixava de lado as recomendações alimentares feitas pelos clubes para matar a fome à noite. 

"Eu costumava ganhar peso. O [Emerson] Leão disse uma vez que eu cheguei sete quilos a mais. Ele falou uma verdade. A nutricionista do Santos fazia o cardápio certinho, mas aí eu passava no McDonald´s à noite e comia muito. Eu gostava bastante de fazer churrasco com cervejinha em casa. Isso tudo engorda".

A nutricionista do Santos fazia o cardápio certinho, mas aí eu passava no McDonald´s à noite e comia muito

Domingos, narrando as investidas noturnas rumo às redes fast food

Aos 27 anos, Domingos afirma ter atingido a plenitude física e mental.

Em 21 jogos pelo Al-Kharitiyath, não levou nenhum vermelho. Seu time chegou à final do torneio qatari na semana passada, feito inédito e celebrado pelos donos do clube. Mas o time de Domingos perdeu.

Em alta com os xeques do clube, Domingos teve seu contrato renovado por mais dois anos.

"Eu sempre tive muita força, mas não tinha tanta experiência. Hoje me sinto com corpo de 18 anos, mas muito mais maduro".
    ver mais notícias

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES