publicidade

Canhoteiro

Ex-ponta-esquerda do São Paulo
por Rogério Micheletti e Gustavo Grohmann
 
Mesmo não sendo muito lembrado nas convocações da seleção brasileira, José Ribamar de Oliveira, o Canhoteiro, é considerado um dos melhores pontas canhotos da história do Brasil. Ele morreu no dia 16 de agosto de 1974, em São Paulo.

Maranhense de Coroatá, onde nasceu no dia 24 de setembro de 1932, Canhoteiro começou a carreira nos anos 50, no América do Ceará. Transferiu-se para o São Paulo em 1955 e foi no Tricolor Paulista que se consagrou.

Apesar de só ter conquistado um título, o Paulistão de 57, Canhoteiro é apontado como um dos maiores jogadores da história do Tricolor do Morumbi. Dizem que ele era o "Garrincha da ponta esquerda".

É inacreditável, mas sua participação na Copa de 58, na Suécia, só não foi concretizada por sua grande amizade com De Sordi, à época seu companheiro de São Paulo FC.

Canhoteiro disputava a posição de ponta-esquerda com Zagallo, craque do Flamengo, e Pepe, maior artilheiro da história do Santos depois de Pelé (o próprio Canhão da Vila diz: "Pelé não conta, é de outro planeta").

Acontece que nos treinamentos o marcador de Canhoteiro era seu "compadre" De Sordi. Se ele jogasse tudo que sabia e fosse pra cima do lateral-direito, muito provavelmente iria desmoralizá-lo. A amizade e a consideração falaram mais alto e Canhoteiro "guardou" seus dribles. Como conseqüência, Pepe e Zagallo, que não estavam preocupados em esconder o jogo, ganharam as vagas. Canhoteiro foi cortado e viu do Brasil a seleção vencer e encantar na Suécia.

A foto acima é de 1960 e você vê Canhoteiro no São Paulo/Seleção Paulista em jogo que fez parte da inauguração do estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi. A partida foi contra o Nacional de Montevidéo, a segunda do novo estádio. Palmeiras e Corinthians "enxertaram" aquele Tricolor que bateu o Nacional por 3 a 0, com dois gols de Gino Orlando e um do próprio Canhoteiro.
    ver mais notícias

    Pelo São Paulo:

    Atuou em 402 jogos, sendo 224 vitórias, 89 empates e 89 derrotas. Marcou 104 gols.
    Fonte: Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa

    Pela Seleção Brasileira:


    Atuou em 16 jogos, sendo 10 vitórias, quatro empates e duas derrotas. Marcou um gol, exatamente em sua partida de estreia, no empate em 3 a 3 com o Paraguai, em 17 de novembro de 1955

    Fonte: Seleção Brasileira - 90 Anos - 1914 - 2004, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      80
    • 2 Fla
      72
    • 3 Int
      69
    • 4 Grê
      66
    • 5 São
      63
    • Veja tabela completa
    publicidade

    ÚLTIMOS CRAQUES