publicidade
A vitória palmeirense foi construída ainda no primeiro tempo

A vitória palmeirense foi construída ainda no primeiro tempo

Do UOL, em São Paulo

É o fim de um tabu! Após 16 anos, o Palmeiras voltou a vencer o São Paulo no estádio do Morumbi. Neste sábado (6), o time comandado por Luiz Felipe Scolari venceu por 2 a 0, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, e encerrou o incômodo jejum na casa do rival. De quebra, o Alviverde ainda ampliou a vantagem na liderança da competição.

A vitória palmeirense foi construída ainda no primeiro tempo. Superior tecnicamente e sem dar espaço para o adversário, o Palmeiras teve paciência para aproveitar as falhas do rival e encaminhar o triunfo. Gustavo Gómez e Deyverson marcaram ainda na etapa inicial. O São Paulo, que viu o tabu do Choque-Rei chegar ao fim, ainda saiu vaiado de campo.

Com o resultado, o Palmeiras chega a 56 pontos e se isola na liderança – três pontos à frente do Internacional, que perdeu para o Sport na última sexta-feira. Já o São Paulo estacionou nos 52 pontos e cai para a quarta posição. O Tricolor ainda corre o risco de ser ultrapassado pelo Grêmio na sequência da rodada.

Na próxima rodada, as duas equipes têm um novo confronto direto contra times que estão na briga pela ponta da tabela. No domingo (14), o São Paulo enfrenta o Internacional no Beira-Rio, enquanto o Palmeiras recebe o Grêmio no Pacaembu.

Os melhores: Dudu e Mayke

Dudu jogou muito mais uma vez. Depois de ter dado show na vitória alviverde no meio de semana, contra o Colo Colo, o camisa 7 comandou as melhores oportunidades, mandou uma bola na trave e passou a ser muito explorado para puxar os contra-ataques após o 2 a 0. Mayke participou diretamente dos dois gols. Ele entrou no lugar de Marcos Rocha e foi importante no triunfo.

Os piores em campo: Anderson Martins e Nenê
Maior fonte de criatividade do São Paulo, Nenê jogou pouco ou quase nada neste sábado. Quando tocava na bola, não conseguiu levar nenhum perigo ao Palmeiras. Foi substituído logo no intervalo e não foi à toa. Anderson Martins conseguiu ter participação nos dois gols do adversário. No primeiro, errou o tempo de bola e viu Gustavo Gómez entrar nas suas costas. No segundo, se posicionou mal e viu Deyverson completar.

Sidão se atrapalha e toca com a mão fora da área. Juiz ignora
Sidão deu um susto na torcida no início da partida. Aos nove minutos, o goleiro se atrapalhou com a presença de Deyverson no momento em que se preparava para fazer uma reposição e acabou entregando a bola nos pés do atacante do Palmeiras. Para evitar o gol do rival, Sidão, fora da área, desviou com as mãos o chute rasteiro do adversário. A arbitragem, no entanto, não apontou nenhuma irregularidade na jogada.

Palmeiras controla 1º tempo e abre 2 a 0
Apesar de atuar como visitante, o Palmeiras foi superior durante a primeira etapa. Pouco ameaçado pelo rival, o Alviverde se aproveitou dos erros de marcação da defesa do São Paulo e abriu 2 a 0 nos 45 minutos iniciais. O primeiro gol saiu aos 33 minutos. Dudu cobrou escanteio e Gustavo Gómez apareceu sozinho dentro da área para cabecear para a rede.

Quatro minutos depois, o Palmeiras aproveitou mais uma falha defensiva do São Paulo e ampliou. Mayke puxou contra-ataque rápido e tocou para Dudu, que finalizou com categoria e acertou o pé da trave. Na sequência do lance, Mayke cruzou na medida e Deyverson, livre, mandou de cabeça para aumentar o placar.

Torcida perde a paciência, vaia e pede "raça"

A desvantagem de 2 a 0 logo no primeiro tempo tirou a torcida do São Paulo do sério. Após ver o rival marcar duas vezes, os mais de 50 mil são-paulinos não aguentaram e trocaram os gritos de incentivo pelas vaias. Quase todo o estádio vaiou o time assim que o árbitro encerrou os primeiros 45 minutos. Depois, os mais exaltados, se aproximaram o máximo que puderam do gramado para proferirem xingamentos para os mais diferentes alvos. No segundo tempo, a torcida voltou a criticar a equipe, que não esboçou reação, e pediu "raça".

Everton retorna, mas cria pouco
Apontado como um dos principais nomes do São Paulo na campanha do Campeonato Brasileiro, Everton retornou ao time neste sábado. O meia-atacante ficou de fora dos dois últimos jogos da equipe (contra América-MG e Botafogo) por conta de uma fibrose na coxa esquerda, mas voltou ao time ao substituir Rodrigo Caio na volta do intervalo. A falta de ritmo e a desvantagem no placar não permitiram ao jogador mudar o panorama da partida.

Sem pressIonar, Tricolor não consegue mudar ritmo do jogo
O resultado do primeiro tempo foi suficiente para assegurar o resultado positivo do Palmeiras. Na volta da segunda etapa, o São Paulo não conseguiu impor uma pressão ao adversário e só não viu a desvantagem aumentar porque o Alviverde pouco aproveitou os espaços cedidos pela equipe de Diego Aguirre. A melhor chance dos visitantes saiu aos 34 minutos, quando Willian aproveitou bola sobrada dentro da área e soltou uma bomba, mas Sidão fez a defesa com os pés.

Pelo lado do São Paulo, a melhor chance aconteceu somente aos 41 minutos da etapa final. Rojas avançou pela esquerda, mas acabou abafado por Weverton.

São Paulo perde a primeira no Morumbi e vê tabu cair
O São Paulo não perdia para o Palmeiras no Morumbi desde março de 2002. Na ocasião, o Alviverde superou o rival por 4 a 2 em confronto válido pelo Torneio Rio-São Paulo. Desde então, o retrospecto no estádio era de ampla vantagem são-paulina: 15 vitórias e nove empates. A escrita, no entanto, chegou ao fim neste sábado.

Além de ver o tabu chegar ao fim, o Tricolor ainda sofreu o primeiro revés em seu estádio no Brasileirão. A equipe ainda não havia perdido como mandante em 13 jogos.

Foto: Ale Cabral/AGIF (via UOL)

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    80
  • 2 Fla
    72
  • 3 Int
    69
  • 4 Grê
    66
  • 5 São
    63
  • Veja tabela completa