publicidade
Brasileiro participará do Programa de Jovens Pilotos do time inglês. Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

Brasileiro participará do Programa de Jovens Pilotos do time inglês. Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

O mineiro Sérgio Sette Câmara, de 20 anos, foi confirmado nesta terça-feira (6) pela McLaren como piloto de testes na próxima temporada, juntando-se à nova dupla da equipe de F1: Carlos Sainz Jr. e Lando Norris, este último seu companheiro de equipe na Carlin, na atual temporada da F2.

"O meu sonho é um dia ser um piloto de Fórmula 1, por isso gostaria de agradecer à McLaren por me dar esta incrível oportunidade. Meu objetivo é me integrar à equipe e trabalhar o mais próximo possível deles; para ouvir, aprender e evoluir como piloto, além de apoiar a McLaren", declarou Sette Câmara.

Sexto colocado no atual campeonato da F2, podendo subir algumas posições em razão da última etapa, rodada dupla em Abu Dhabi nos dias 24 e 25 de novembro, Sette Câmara fez parte do programa de jovens pilotos da Red Bull em 2016, ano em que chegou a testar com um carro da Toro Rosso no circuito de Silverstone, inclusive sendo mais rápido que Carlos Sainz Jr., então títular do time.

A McLaren seguirá em 2019 pelo segundo ano consecutivo com propulsores da Renault, após três anos de parceria pouco produtiva com a Honda. A Petrobras, que desde 2018 participa do desenvolvimento técnico da McLaren, e fornecerá combustível no próximo ano, teve participação na chegada do brasileiro à equipe de Woking.

O ex-piloto Gil de Ferran, atual diretor técnico da McLaren, demonstrou satisfação pela chegada do brasileiro.

“Estamos muito felizes em receber Sérgio na McLaren e no nosso Programa de Jovens Pilotos. Temos acompanhado seu progresso há algum tempo e acreditamos que ele é um jovem talento, promissor e com um real potencial. Estamos ansiosos para trabalhar com ele para desenvolver suas habilidades como um piloto completo, enquanto o apoiamos em nossas operações de corrida, ponderou De Ferran.

Sérgio Sette Câmara participará de alguns treinos livres em 2019, no chamado TL1, a exemplo do que acontece com os pilotos reservas. Ainda não está confirmado se ele andará com o carro nos testes de Abu Dhabi, após o término do campeonato da F1, em 25 de novembro.

BRASILEIROS NA MCLAREN

Dois pilotos brasileiros foram campeões pela McLaren: Emerson Fittipaldi (em 1974), no primeiro título da equipe, e Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991). O grupo McLaren, em sua divisão de carros de rua, tem Bruno Senna como seu embaixador.

MINEIROS NA F1

Dois pilotos nascidos em Minas Gerais guiaram na Fórmula 1. O primeiro deles foi Alex Dias Ribeiro, natural de Belo Horizonte e criado em Brasília, conseguiu largar em 10 GPs, sendo um pela Hesketh (1975) e nove pela Mach (1976). Também esteve presente em dois finais de semana como piloto da equipe Copersucar-Fittipaldi em 1979, mas não conseguiu se classfificar nas etapas do Canadá (Montreal) e Estados Unidos (Watkins Glen). O melhor resultado de Alex foi o oitavo lugar no GP da Alemanha de 1976 (em Hockenheim), mas naquela época a pontuação premiava apenas os seis primeiros colocados.

O outro mineiro que esteve na F1 foi Cristiano da Matta, entre 2003 e 2004, nos dois anos pela Toyota. Foram 20 GPs, totalizando 13 pontos. Seus melhores resultados foram três sextos lugares. 

 O atual carro da McLaren, com Fernando Alonso, durante a classificação para o GP do México, em 27 de outubro. Foto: McLarenF1

 

 

Boas vindas da McLaren ao brasileiro Sérgio Sette Câmara, em destaque no site oficial da escuderia inglesa. Reprodução/www.mclaren.com

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO

 

 

 

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    71
  • 2 Fla
    66
  • 3 Int
    65
  • 4 Grê
    62
  • 5 São
    62
  • Veja tabela completa