publicidade
Além do Fluminense, Corinthians, Bahia, Botafogo, Santos e Atlético-PR vão para a Sul-Americana

Além do Fluminense, Corinthians, Bahia, Botafogo, Santos e Atlético-PR vão para a Sul-Americana

Do UOL, em São Paulo (SP)

O Fluminense segue na elite do Campeonato Brasileiro. Neste domingo (2), na 38º e última rodada da competição, o time venceu o América-MG por 1 a 0 no Maracanã, voltou a vencer após oito jogos, escapou da queda e de quebra garantiu uma vaga na Copa Sul-Americana. Richard foi o autor do gol, mas foi Júlio César o grande herói da partida, com direito a defesa de pênalti.

Comandado pelo auxiliar Fábio Moreno, já que o técnico Marcelo Oliveira foi demitido na última quinta-feira, após a eliminação do para o Atlético-PR na semifinal da Sul-Americana, o Fluminense conseguiu cumprir seu objetivo. Escapou da queda, chegou a 45 pontos e terminou o torneio em 12º lugar.

Já o América-MG não teve tanta sorte. Com a derrota, somada à vitória da Chapecoense sobre o São Paulo, terminou a competição em 18º lugar, com 40 pontos, e vai voltar para a Série B no próximo ano. O time mineiro, que subiu após ser campeão da segunda divisão em 2017, vai junto com Paraná, Vitória e Sport.

Além do Fluminense, Corinthians, Bahia, Botafogo, Santos e Atlético-PR vão para a Sul-Americana. A equipe paranaense, finalista da Sul-Americana, ainda pode conquistar uma vaga na Libertadores caso seja campeão. Já para a Libertadores 2019 vão o campeão Palmeiras, Flamengo, Inter e Grêmio. São Paulo e Atlético-MG não conseguiram vaga direta na fase de grupos, mas vão disputar a fase conhecida como "pré-Libertadores".

O melhor: Júlio César

Júlio César foi o herói do Fluminense contra o América. O time entrou em campo precisando de um empate para escapar do rebaixamento e sofreu um pênalti. O goleiro tricolor defendeu com categoria, e na sequência ainda fez uma defesa parcial à queima-roupa, contando com ajuda de Gum para evitar o gol. O time respondeu do outro lado e abriu o placar com Richard. No segundo tempo, Júlio César entrou em ação de novo e salvou um chute de Aderlan com um tapa. Muito inspirado o arqueiro e grande responsável pela classificação do Flu à Sul-Americana.

O pior: Marlon

Embora Marlon tenha cobrado o escanteio que originou o gol de Richard, o zagueiro deu muito lateral mais atrapalhou do que ajudou: foi do seu lado que o América chegou com mais facilidade, tomou mais de uma bola nas costas e ainda fez o pênalti em Aderlan. Foi salvo pela grande atuação de Júlio César.

Richard põe fim à seca no que pode ser a despedida do Flu

O volante de 24 anos, que deve ser anunciado como novo reforço do Corinthians nos próximos dias, foi o responsável por fazer o gol da vitória e por fim ao jejum de oito jogos - 803 minutos - sem gols do Fluminense. De quebra, o garoto ainda levou o time de volta ao caminho das vitórias após oito jogos de jejum. Baita despedida!

Começo tenso e com muitos erros

Com a vaga na elite em disputa, o jogo começou muito tenso, com nervosismo e erros bobos dos dois lados. O Flu criou as primeiras chances com Kayke - que não era titular desde 16 de setembro - e Luciano, mas sofreu com a falta de criatividade dos meias. Do lado do América também houve erros de passes e cruzamentos, mas o time quase abriu o placar em falha na saída do Flu. Marcos Júnior deixou a bola para Aderlan, que cruzou na área e viu Matheusinho arriscar de primeira e chutar para fora. Na sequência, Marquinhos tentou e mandou nas mãos do goleiro.

Júlio César defende pênalti e leva Maracanã à loucura

Mal posicionada, a defesa tricolor deu bobeira e deixou Aderlan receber livre na entrada da área. Marlon deu carrinho para travar o adversário - pênalti claro marcado pelo juiz. Luan foi para a cobrança e bateu firme no canto direito, mas Júlio César estava ligado e caiu no canto certo para fazer uma grande defesa e levantar o Maracanã. Rafael Moura ainda aproveitar o rebote, mas mandou para fora.

Flu tenta acalmar os ânimos após "milagre"

Depois da defesa milagrosa de Júlio César e empurrado pela torcida ensurdecedora no Maracana, o Flu tentou colocar a bola no chão para dominar as ações. Quase abriu o placar com Marcos Junior, que recebeu cruzamento de Jadson, chutou forte e obrigou o goleiro João Ricardo a se esticar para fazer a defesa.
Novo milagre, desta vez de Gum

As entidades místicas do futebol pareciam estar ao lado do Fluminense em campo. Aos 37 minutos, os torcedores viram mais um milagre. Rafael Moura desviou um lançamento de cabeça para Luan, que invadiu a área com segurança e bateu firme. Júlio César tentou segurar e a bola ainda ia endereçada quando o zagueiro Gum salvou de carrinho em cima da linha. Curiosidade: no jogo contra o Bahia que salvou o Flu da queda em 2013, Gum também foi titular, assim como Igor Julião.

Richard põe fim ao jejum de gols

O Fluminense não se intimidou com a pressão do América e, apesar da dificuldade na criação, aproveitou a bola parada para quebrar o jejum de oito jogos (ou 803 minutos) sem gols. Aos 40, Marlon - autor do pênalti em Aderlan - cruzou escanteio e Richard subiu para marcar. Alívio e muita festa no Maracanã.

Júlio César, de novo!

Logo no início do segundo tempo, Júlio César fez mais uma grande defesa. Digão bateu escanteio, a bola ficou com Aderlan na entrada da área e desviou, mas o goleiro não se deixou confundir e deu um tapa para evitar o empate. O Flu preferiu administrar a vantagem na segunda etapa. Em uma das poucas chances, Luciano carimbou o travessão.

Emoção e pressão do América até o fim

Pressionado e precisando virar o jogo para escapar do rebaixamento, o América fez o que pode. Inspirado, Matheusinho levou perigo com chutes de fora, mas não conseguiu chegar ao gol. Amarelado e com dores, Gum deu lugar a Paulo Ricardo e deixou o Flu mais desprotegido. O time mineiro tentava aproveitar. Aos 32, Rafael Moura tocou para Matheus Ferraz, que girou e bateu, mas mandou para fora. Luan também tentou, mas mandou por fora da rede. O América foi para o tudo ou nada com França, mas a falta de capricho na pontaria prejudicou o time, que não escapou do rebaixamento.

Protesto bem-humorado antes do jogo

Antes de a bola rolar, a torcida do Fluminense mostrou bom humor. Como o time não marcava há oito jogos, os torcedores vibravam com cada gol feito por seus jogadores no aquecimento como se valessem. No fim das contas, a torcida pode comemorar verdade após 803 minutos de seca.

Precaução do presidente Abad

Por conta do clima hostil na eliminação da Copa Sul-Americana, o presidente Pedro Abad deixou o camarote e viu o jogo em uma cabine de imprensa do Maracanã. Fortemente vaiado pela torcida que pediu sua renúncia, ele acompanhou a partida ao lado de Fabiano Camargo, vice de futebol do Fluminense.

 

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    80
  • 2 Fla
    72
  • 3 Int
    69
  • 4 Grê
    66
  • 5 São
    63
  • Veja tabela completa