publicidade
Com o resultado, o Atlético-PR segue na sétima colocação, com 54 pontos

Com o resultado, o Atlético-PR segue na sétima colocação, com 54 pontos

Do UOL, em São Paulo

O Atlético-PR desperdiçou a chance de entrar no G-6 do Campeonato Brasileiro. O time paranaense empatou com o Ceará por 2 a 2 neste domingo (25), na Arena da Baixada, e não aproveitou o tropeço do Atlético-MG no último sábado. Além disso, a equipe viu a sequência de 12 vitórias como mandante na competição ser interrompida.

O técnico Tiago Nunes optou por poupar os titulares visando a semifinal da Sul-Americana, na próxima quarta-feira (28). Com os reservas, a equipe encontrou dificuldades e viu os visitantes saírem na frente em belo gol de Leandro Carvalho no primeiro tempo. O Furacão voltou com mudanças para a segunda etapa e chegou à virada com Marcinho e Lucho González. Wescley foi o responsável por garantir o empate ao Ceará.

Com o resultado, o Atlético-PR segue na sétima colocação, com 54 pontos – dois atrás do Atlético-MG, sexto colocado. Já o Ceará, com 43, conseguiu um ponto valioso, mas segue ameaçado pelo rebaixamento.

Na última rodada, o Atlético-PR visita o Flamengo, enquanto o Ceará recebe o Vasco. Antes disso, o time paranaense enfrenta o Fluminense, no Maracanã, na próxima quarta-feira (28), pelo confronto de volta da semifinal da Copa Sul-Americana. No primeiro jogo, a equipe venceu por 2 a 0.

O melhor: Wescley
Wescley entrou aos 28 minutos do segundo tempo e participou de dois lances determinantes. Ele sofreu o pênalti desperdiçado por Richardson e marcou o gol que garantiu o empate ao Ceará, que conquistou um ponto valioso na luta contra o rebaixamento.

Os piores: José Ivaldo e Camacho
José Ivaldo teve participação infeliz em um lance que poderia ter sido decisivo. O zagueiro do Atlético-PR errou um domínio no campo de defesa no lance que originou o gol do Ceará. O vacilo na saída de bola permitiu que os visitantes pegassem a defesa atleticana desarrumada e abrissem o placar.

No segundo tempo, foi a vez de Camacho dar bobeira. O volante perdeu uma bola dominada na entrada da área e na sequência foi obrigado a cometer um pênalti, desperdiçado pelo Ceará.

Ceará aposta no contra-ataque e sai na frente
Antes da bola rolar, o técnico Lisca adiantou que o Ceará iria se resguardar no início do jogo para depois buscar o resultado. A estratégia deu certo e os visitantes saíram na frente na metade do primeiro tempo após um erro de José Ivaldo na saída de bola. Aos 25 minutos, o Ceará aproveitou que a defesa do Atlético estava desarrumada, Ricardinho avançou pela direita e cruzou na medida para Leandro Carvalho emendar chute de primeira e marcar um belo gol.

Na frente, o Ceará se retraiu ainda mais e viu o Atlético pressionar em busca do empate. A melhor chance de igualar o placar aconteceu aos 37 minutos, quando Bergson recebeu a bola na área e bateu com perigo à esquerda do gol de Éverson. O time de Lisca suportou as investidas do adversário e levou a vantagem mínima para o intervalo.

De olho na Sul-Americana, Atlético poupa titulares
Apesar do discurso de que a vaga na Libertadores via Campeonato Brasileiro é prioridade, o técnico Tiago Nunes optou por poupar os principais jogadores neste domingo visando a semifinal da Copa Sul-Americana, na próxima quarta-feira (28), contra o Fluminense. O time paranaense venceu o confronto de ida por 2 a 0 e está muito perto de uma vaga na decisão.

Atlético coloca titulares e vira em 12 minutos
Com a desvantagem na primeira etapa, o técnico Tiago Nunes apostou na entrada de dois titulares na volta do intervalo: Rony e Lucho González. As alterações deram resultado e o Atlético precisou de pouco tempo para virar a partida na Arena da Baixada. O empate saiu aos oito minutos, quando Marcinho aproveitou bola mal afastada por Valdo e completou para o gol. Aos 12, veio a virada. Após cobrança de escanteio, Rony desviou de calcanhar e sobrou para Lucho empurrar para a rede.

Ceará perde pênalti, mas chega ao empate
O Ceará parecia ter perdido a sua melhor chance de evitar a derrota ao desperdiçar um pênalti aos 32 minutos da segunda etapa. Wescley aproveitou bobeira do Atlético na saída de bola e sofreu a penalidade, desperdiçada por Richardson. Quatro minutos depois, no entanto, Wescley voltou a aparecer, mas desta vez para mandar a bola para a rede. Ele completou para o gol depois de uma bola mal afastada pela zaga atleticana.

Furacão não consegue recorde
Além de perseguir uma vaga no G-6, o Atlético entrou em campo com outro objetivo: quebrar o recorde de vitórias consecutivas como mandante no Brasileiro. O time vinha de 12 triunfos seguidos, e precisa de mais um para se isolar como a equipe que mais venceu consecutivamente em casa na competição. A equipe, no entanto, tropeçou e não conseguiu a marcar.

Foto: Gabriel Machado/Agif (via UOL)

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    80
  • 2 Fla
    72
  • 3 Int
    69
  • 4 Grê
    66
  • 5 São
    63
  • Veja tabela completa