publicidade
Robinho vai mal como 10 e bem como 9

Robinho vai mal como 10 e bem como 9

Enrico Bruno e Victor Martins
Do UOL, em Belo Horizonte

Após 15 rodadas o Atlético-MG aparece na 7ª colocação do Campeonato Brasileiro. São três pontos de distância para o G4 e que fazem a torcida acreditar que a equipe mineira vai conseguir chegar entre os primeiros colocados. Pelo elenco que tem e pela quantidade de jogos que restam, é possível. Mas o Atlético precisa jogar. Apesar do triunfo por 2 a 1 sobre o Coritiba, a equipe mineira sofreu.

Sofreu para criar jogadas, sofreu para manter a bola sob controle e sofreu para se defender. Se o conjunto ainda está devendo, o Atlético conta com as individualidades. Dessa vez foi Robinho, autor dos dois gols atleticanos.

Robinho vai mal como 10 e bem como 9
Sem Cazares e Dátolo machucados, além de Carlos Eduardo sem as melhores condições físicas, Marcelo Oliveira escolheu Robinho para jogar centralizado, como o armador do Atlético. Estratégia que foi logo abandonada, já que o atacante caiu bastante pela esquerda e teve dificuldades para organizar o time. Se Robinho não foi bem fazendo a função do camisa 10, ele apareceu muito bem como um camisa 9. Marcou de cabeça o primeiro gol e apareceu dentro da pequena área para fazer o segundo.

Ronaldo apresenta cartão de visita ruim
Foi somente a segunda partida de Ronaldo pelo Atlético, mas a primeira com possibilidade de avaliação do zagueiro. E ele foi muito mal. Escolhido para fazer dupla com Leonardo Silva, o defensor atleticano perdeu praticamente todas as disputas com Kléber, além de erra passes e também no posicionamento. O desastre para o Atlético só não foi maior por causa da boa partida de Leonardo Silva.

Maicosuel tem bom retorno como titular
Sem começar uma partida desde maio, quando acabou a temporada profissional nos Emirados Árabes Unidos, Maicosuel foi escalado de início por Marcelo Oliveira. Desde o retorno à Cidade do Galo foram pouco mais de duas semanas de treino e um tempo em campo na derrota para o Flamengo. E o retorno de Maicosuel como titular foi aprovado. O camisa 70 se movimentou bastante e conseguiu fazer boas jogadas na frente, além de ser muito importante na recomposição, especialmente pelo fato de o Coritiba ter a dupla Juan e Carlinhos pelo lado esquerdo de ataque.

Entrada de Lucas Pratto anima a torcida
Empolgada no começo da partida, a torcida do Atlético foi diminuindo o barulho com o passar dos minutos e a boa atuação do Coritiba, que ameaçou o gol defendido por Victor em algumas oportunidades. Mas aos 35 minutos do primeiro tempo o atacante Carlos pediu para sair e a torcida pediu por Lucas Pratto. E Marcelo Oliveira atendeu, o que fez a torcida voltar a incentivar o time com muita intensidade. Se em alguns momentos o atacante que não atuava há dois meses mostrou alguma falta de ritmo, Pratto compensou com a vontade e raça de sempre.

Torcida perde raça, mas falta é organização
Já nos minutos finais de jogo, a torcida do Atlético pediu raça. Mas algo que não faltou em campo foi raça. Pratto dando carrinho, Fred cortando bola na defesa e Maicosuel fazendo a cobertura de lateral. Teve tudo isso, mas faltou jogar bem. Novamente o Atlético faz uma partida muito ruim neste Campeonato Brasileiro, muito abaixo do que pode produzir. Na semana em que completa dois meses de clube, o técnico Marcelo Oliveira segue em busca de uma organização tática ainda não vista.

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    80
  • 2 Fla
    72
  • 3 Int
    69
  • 4 Grê
    66
  • 5 São
    63
  • Veja tabela completa