publicidade

O último sul-americano campeão do mundo foi o Corinthians, em... 2012

Me pegou completamente de surpresa o grande vexame do River Plate contra o desconhecido Al Ain, dos Emirados Árabes, no Mundial de Clubes.

Eu estava mesmo esperando que o time comandado por Marcelo Gallardo passasse sem muitos sustos pela semifinal e, na decisão, contra o “capenga” Real Madrid, levasse a melhor na base da boa e velha “raça argentina”.

Não deu para o River e esse mico portenho serviu para escancarar mais uma vez como o futebol sul-americano segue no fundo do poço.

Afinal, os clubes do nosso continente não conseguem brilhar no Mundial há tempos.

Assim como o River, Internacional (2010), Atlético-MG (2013) e Atlético Nacional (2016) também foram eliminados por equipes folclóricas e não chegaram à final do cobiçado torneio.

O último sul-americano campeão do mundo foi o Corinthians, em... 2012!!!

Muito tempo de jejum, não é mesmo?

E as nossas seleções, então?

Em 2022, os selecionados sul-americanos vão ao Qatar lutando contra um incômodo tabu de... 20 anos!

Do penta brasileiro para cá, foram quatro Copas disputadas, todas vencidas por europeus (Itália-2006, Espanha-2010, Alemanha-2014 e França-2018).

E a situação ficou ainda mais desesperadora após o surgimento, neste ano, da Liga das Nações, que reúne as seleções do Velho Continente.

Agora, ficou praticamente impossível marcar amistosos contra os selecionados da Europa, e os testes dos sul-americanos geralmente serão realizados contra as fracas equipes da África, da Ásia ou mesmo da América do Norte.

Bom, e qual seria a saída para um continente que segue exportando grandes jogadores para todo o mundo, mas que não consegue organizar boas equipes para bater de frente com as potências do planeta?

Se a resposta fosse simples, alguém já teria solucionado o caso, é claro.

Mas não seria um bom primeiro passo a América do Sul parar de tentar copiar o modelo europeu e retomar a sua identidade futebolística?

Enfim, ainda sobre o Mundial de Clubes, após a derrota do River Plate, fui “bombardeado” por meus queridos amigos corintianos, sempre com a mesma pergunta.

“Milton Neves, e se o Al Ain, convidado pela Fifa para o Mundial por ser o atual campeão do país sede, vencer o torneio, você `desdenhará´ da taça como `desdenha´ do título do Corinthians em 2000?”.

E eu insisto.

É mais fácil o Timão vender os "Naming Rights" da Arena Corinthians por R$ 10 bi antes do Natal do que o simpático Al Ain vencer o Real Madrid na decisão do Mundial.

Mas, e se acontecer mais uma zebra neste imprevisível ano de 2018?

Bom, aí eu direi que, assim como o Corinthians em 2000, contra o Vasco, o Al Ain terá conquistado... “MEIO” Mundial!

E um feliz e abençoado Natal para todo mundo!

Compartilhe:

SOBRE O COLUNISTA

Milton Neves Filho, nasceu em Muzambinho-MG, no dia 6 de agosto de 1951.

É publicitário e jornalista profissional diplomado. Iniciou a carreira em 1968, aos 17 anos, como locutor na Rádio Continental em sua cidade natal.

Trabalhou na Rádio Colombo, em Curitiba-PR, em 1971 e na Rádio Jovem Pan AM de São Paulo, de 1972 a 2005. Atualmente, Milton Neves apresenta os programas "Terceiro Tempo?, "Domingo Esportivo? e "Concentraçã... Saiba Mais

Arquivos