publicidade
Assim como um golaço foi a volta de Hernanes ao São Paulo, oficializada no último sábado (29)

Assim como um golaço foi a volta de Hernanes ao São Paulo, oficializada no último sábado (29)

Sim, meus amigos, continuamos sem bola rolando para valer nos gramados do Brasil.

Copinha já temos, é verdade.

Mas, por enquanto, nada de Estaduais...

E não é que, mesmo assim, tivemos alguns golaços acontecendo no país nos últimos dias?

Para quem estava tão mal acostumado com primeira-dama simplória, desantenada, decorativa ou até com a ausência de uma, no dia 1º de janeiro o Brasil conheceu Michelle Bolsonaro, que quase empatou com o presidente.

Um golaço!

Assim como um golaço foi a volta de Hernanes ao São Paulo, oficializada no último sábado (29).

E esse não foi o único dos cartolas são-paulinos nesta janela de transferências.

As chegadas de Pablo e de Tiago Volpi também já tinham sido verdadeiras pinturas.

Aposto que, nesse ano, o jejum tricolor acaba!

O SPFC levará pelo menos o Paulista, ou a Copa do Brasil ou, quem sabe, até mesmo o Brasileirão.

Dependerá do interesse do Palmeiras nessas competições.

Verdão que não marcou ainda nenhum golaço na janela de transferência atual.

E nem precisa...

Mas, segue sonhando com Ricardo Goulart, que seria um gol de bicicleta no último minuto da final da Libertadores.

A contratação do ótimo Rodrigo Caio pelo Flamengo também foi um golaço.

O problema é que, no mercado da bola 2018-2019, o Rubro-Negro está levando uma senhora goleada: 7 a 1.

Mas, se contratar Arrascaeta e Dedé, o placar vira para... 7 a 14!

E o argentino Boselli no Timão?

Bom, esse não foi um golaço, mas certamente o veterano ex-Boca balançará mais as redes que Roger e Jonathas, que não conseguiram substituir o ótimo Jô à altura na temporada passada.

E sabem quem, em campo, está marcando golaços e mais golaços?

Roberto Firmino, do Liverpool, melhor time do mundo na atualidade.

O camisa 9 dos Reds está brilhando tanto que tem eclipsado até Mohamed Salah, o “Faraó da Bola”.

E não sei se vocês têm memória boa, mas eu tenho que lembrar um pequeno detalhe da Copa do Mundo de 2018.

Sabem de quem Firmino era reserva no Mundial da Rússia?

Do “atacante-marcador”... GABRIEL JESUS!

Ou seria “Gabriel Jejum”, já que ele não marcou nenhum gol no torneio?

Enfim, essa escolha de Tite passou longe de ser um golaço.

Foi, na verdade, o maior gol contra da vitoriosa carreira de Adenor Leonardo Bachi!

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

SOBRE O COLUNISTA

Milton Neves Filho, nasceu em Muzambinho-MG, no dia 6 de agosto de 1951.

É publicitário e jornalista profissional diplomado. Iniciou a carreira em 1968, aos 17 anos, como locutor na Rádio Continental em sua cidade natal.

Trabalhou na Rádio Colombo, em Curitiba-PR, em 1971 e na Rádio Jovem Pan AM de São Paulo, de 1972 a 2005. Atualmente, Milton Neves apresenta os programas "Terceiro Tempo?, "Domingo Esportivo? e "Concentraçã... Saiba Mais

Arquivos