publicidade

Anderson Silva

Lutador de MMA e ex-campeão peso médio do UFC
por Túlio Nassif

Anderson da Silva, mais conhecido como Anderson "The Spider" Silva, nasceu no dia 14 de abril de 1975, em São Paulo. Aos quatro anos de idade, se mudou para a casa de seus tios em Curitiba, quando iniciou seus treinamentos no Tae Kwon Do, tornando-se faixa preta com apenas 18 anos de idade. Um pouco mais tarde, aprendeu Muay Thai, Jiu-Jitsu, Boxe, Judô e Capoeira. A origem do apelido "Spider" se deve a dois motivos: quando lutava no Pride (evento de MMA realizado no Japão) pelo seu jeito ágil e pelo fato do lutador ser fã incondicional do super-heroi Homem-Aranha.
 
Em 2012, foi estrela do filme "Anderson Silva - Como Água", que retratava sua luta histórica contra o norte-americano Shael Sonnen, realizada em 2010, nos Estados Unidos. O duelo foi muito equilibrado, e o Spider quase foi derrotado, conseguindo encaixar uma chave de perna nos últimos minutos da luta.

Começou lutando em uma espécie de GP, onde passaria por uma semifinal e final, para ser campeão. Ganhou as duas lutas. Contudo, na sua luta de estreia, acabou sendo derrotado por decisão dividida dos juízes, pelo também brasileiro, Luiz Azevedo. Mas, após a derrota, Anderson fez uma série de nove vitórias seguidas, conquistando o título de campeão peso médio do Shooto (o primeiro evento de Vale Tudo profissional realizado no Japão), em cima de Hayato Sakurai.

Começou a lutar no Pride, em 2002. Venceu Alex Steibling já em sua primeira luta. Esse foi o cartão de visita de Anderson, que logo em seguida derrotou o então campeão dos pesos-médios, o canadense Carlos Newton.

Apontado como grande favorito, Anderson encarou o japonês Daiju Takase, mas não obteve sucesso e saiu do ringue derrotado. Após o tropeço, Silva lutou em outros eventos, onde venceu o brasileiro Waldir dos Anjos no Conquista Fight (o maior evento esportivo do interior da Bahia), o americano Jeremy Horn no Gladiators Fight Championship (evento de MMA) e o inglês Lee Murray no Cage Rage (evento de MMA do Reino Unido).

Em 2004, retornou ao Pride, onde encarou o japonês Ryo Chonan. O brasileiro perdeu a luta no terceiro assalto.

Logo depois de sua derrota no Pride, Anderson continuou lutando no Cage Rage e obteve grandes resultados. Defendeu duas vezes seu título e posteriormente lutou no Rumble on the Rock (evento de MMA realizado no Havaí), contra Yushin Okami, na primeira fase dos médios. Acabou sendo desqualificado por atingir Okami no rosto enquanto estava em posição de guarda, que pelas regras do evento, era proibido.

E foi no ano de 2006, que Anderson entrou no UFC (Ultimate Fighting Championship), estreiando com vitória sobre Chris Leben. Um pouco depois, disputou o cinturão da categoria de pesos médios do UFC no mesmo ano, vencendo o americano Rich Franklin.

Silva fez três vítimas em 2007, o lutador de Jiu-Jitsu Travis Lutter, Nate Marquardt (pela desição do título) e mais uma vez Rich Franklin (em uma revanche e também na defesa do cinturão).

Defendeu o título do UFC em 2008, ao derrotar o campeão dos médios do Pride, Dan Henderson, na disputa de unificação dos títulos do UFC e Pride.
 
Posteriormente, fez uma belíssima estreia nos meio-pesados vencendo James Irvin. E logo após a unificação dos títulos, em outubro de 2008, Anderson voltou a defender com sucesso o título dos médios, mas agora, contra Patrick Côté.

Chegou à grande marca de novas vitórias consecutivas no UFC, quando venceu o compatriota Thales Leites, em uma emocionante luta de cinco assaltos.

E nas próximas três lutas, Anderson fez bonito. Nocauteou o ex-campeão dos meio-pesados Forrest Griffin. Venceu o brasileiro Demian Maia, em Abu Dhabi. E numa luta eletrizante, conseguiu uma virada extraordinária contra Chael Sonnen.

Como Chael Sonnen foi pego no exame antidoping, não houve revanche. Em contra partida, Vitor Belfort foi escolhido como o novo adversário. E em fevereiro de 2011, eles travaram uma grande luta, vencida pelo "Spider".

Depois de 13 anos, o UFC voltou ao Brasil num espetacular evento. Anderson participou do UFC Rio, realizado no dia 27 de agosto de 2011. E o brasileiro não fez feio, venceu o lutador japonês Yushin Okami por nocaute no segundo round, levando o público ao delírio.

Para quem esperava por uma luta do século, o dia enfim chegou. Chael Sonnen fora o lutador que mais chegou perto de derrotar o "Spider", isso em agosto de 2010. Por tal motivo e com algumas boas vitórias, Sonnen ganhou o direito de uma revanche e faturar o cinturão do brasileiro. Em dois anos, desde a primeira luta, foram inúmeras provocações e desrespeitos do americano contra seu adversário, sua família e com o Brasil. Todavia, no dia 7 de julho de 2012, as provocações acabaram e, Anderson mostrou mais uma vez por que é considerado por muitos o melhor lutador de MMA de todos os tempos, derrotou Sonnen no segundo round por nocaute técnico, assegurando o cinturão de campeão dos peso médio do UFC pela décima vez.
 
Após três meses, no dia 13 de outubro, no UFC Rio 3, Anderson fez jus à fama de melhor lutador da história do MMA e venceu o americano Stephan Bonnar por nocaute logo no primeiro round, superando mais uma vez, a mudança de categoria, uma vez que, para esse combate, passou de médio para meio-pesado.
 
Conquistou 17 vitórias seguidas e 10 defesas de título consecutivas e é até hoje o dono da maior sequência de vitórias e de títulos defendidos do UFC, interrompida no dia 6 de julho de 2013, quando perdeu o cinturão Peso Médio do UFC para o Chris Weidman. E na revanche contra Weidman, no UFC 168, no dia 28 de dezembro de 2013, anconteceu um fato chocante. No segundo round, quando Anderson tentou chutar o americano, sua perna quebrou com o impacto. Silva teve que sair carregado de maca para o hospital.
 
Recuperado, Anderson enfrentou no dia 31 de janeiro de 2015, em Las Vegas, Nick Diaz. O americano perdeu por decisão unânime, mas o resultado foi alterado para No Contest (Sem resultado), devido a reprovação dos ambos no exame de antidoping.
    comments powered by Disqus

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2017

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Cor
      53
    • 2 Grê
      43
    • 3 San
      41
    • 4 Pal
      40
    • 5 Fla
      38
    • Veja tabela completa

    Últimos craques