publicidade

Rogério Sampaio

Ex-judoca campeão olímpico

por Marcus Vinicius Dias Magalhães

Natural de Santos, o ex-judoca Rogério Sampaio Cardoso, nascido no dia 12 de setembro de 1967, foi o único atleta brasileiro a ganhar a medalha de ouro individual, nos Jogos Olímpicos de Verão de 1992, em Barcelona. Pai de dois filhos: Beatriz, de 12 anos, e Gustavo, de 8, Rogério Sampaio atua como Presidente da Fundação Pró-Esporte, na baixada santista, e é um dos blogueiros do R7, integrando a grande equipe de ex-atletas que brilharam no esporte brasileiro e que vão comentar os jogos olímpicos pela Rede Record.

No início, o judô era apenas uma obrigação, cumprida à força. Mas, com o tempo, tornou-se mais uma das atividades divertidas que realizava ao lado de Ricardo, o irmão mais velho.

Com o passar dos anos, os jovens decidiram levar o esporte a sério e, com a força do pai, o comerciante Sidney, conseguiram bancar os treinos, uniformes e viagens.

A tremenda dedicação dos irmãos seria recompensada em pouco tempo depois.  Aos 16 anos, Rogério Sampaio sagrou-se Campeão Paulista Juvenil e, logo em seguida, conquistou o seu primeiro título internacional: Campeão Pan-americano Juvenil.

Bicampeão Pan-americano Juvenil em 85, Rogério perdeu a vaga para os Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, para o irmão Ricardo.
Naquele ano, a ambição de Rogério tornou-se ainda maior, após o amigo, Aurélio Miguel, voltar da Coréia com uma medalha de ouro no peito.

Mesmo enfrentando inúmeras dificuldades com falta de recursos para viagens e treinamentos, além de uma relação tumultuada entre atletas e dirigentes da Confederação Brasileira de Judô, Rogério Sampaio não desistiu.

Fora dos tatames, em abril de 1991, o jovem judoca sofreu o mais duro golpe da sua vida: Ricardo, o irmão parceiro, faleceu.

Emocionalmente abalado e depois de três longos anos sem participar de uma competição oficial, apoiando o amigo Aurélio Miguel no boicote à CBJ, pela falta de incentivo, Rogério Sampaio iniciou 1992, ano dos Jogos de Barcelona, como um ilustre desconhecido, alguém em quem ninguém, exceto os mais próximos, "apostaria suas fichas".

Rogério se tornaria o único atleta brasileiro a ganhar o ouro olímpico individual, nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992. Ele foi o vencedor da categoria Meio-Leve, para até 65 quilos. O outro ouro do Brasil, na competição, foi obtido pelo voleibol de quadra masculino. 

O ex-atleta receberia o prêmio de Melhor Judoca do Mundo de 1992, pela Federação Internacional de Judô.

Em 1993, mudou de categoria, da Meio-Leve para a Leve, e conquistou o bronze no Campeonato Mundial do Canadá.

Em 1994, foi bronze novamente, dessa vez, no Mundial Universitário de Judô.

Fora do tatame, Rogério Sampaio daria início ao seu projeto social, visando a Lei de Incentivo ao Esporte.

Em 2000, ele minimistrou o Curso Técnico de Judô em Santo Domingo, na República Dominicana.

Em seguida, Rogério iniciou sua carreira de treinador da Seleção Brasileira Júnior, onde permaneceu até 2005.

No ano de 2003, treinou atletas, com a faixa etária de 14 a 19 anos, de 15 países diferentes, em Miami. No final da temporada, ele deu treinamento para 80 atletas, em Los Angeles, até ser nomeado Diretor Presidente da Fundação Pró-Esporte de Santos, no ano seguinte.

Para coroar o excelente trabalho, em prol do esporte, Rogério Sampaio seria homenageado como novo integrante do Hall da Fama da União Pan-americana de Judô, em Montreal, no Canadá.

Acompanhe a luta que deu a medalha olímpica ao judoca brasileiro

    ver mais notícias

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2017

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Cor
      72
    • 2 Pal
      63
    • 3 San
      63
    • 4 Grê
      62
    • 5 Cru
      57
    • Veja tabela completa

    ÚLTIMOS CRAQUES