publicidade

Pelé

O Atleta do Século XX
Pelé, o Édson Arantes do Nascimento, nascido em 23 de outubro de 1940, mineiro de Três Corações, foi eleito por diversas entidades como o "Atleta do Século XX", superando nomes históricos das mais diversas modalidades.
 
Em 7 de julho de 2016 anunciou seu casamento com a empresária Márcia Cibele Aoki, em cerimônia dois dias depois em 9 de julho.
 
Bola de Ouro da Fifa

Em 13 de janeiro de 2014, o Rei do Futebol recebeu a Bola de Ouro da Fifa e da Revista France Football pela excelência em sua carreira. "Agora eu completei a minha coleção de troféus", disse Pelé, em lágrimas, na sede da Federação Internacional de Futebol, em Zurique, na Suíça. 
 
171

Falar mais do maior jogador de futebol de todos os tempos seria redundância, já que ele é uma referência para qualquer pessoa que se interesse por esporte, independentemente de idade, sexo, time ou nacionalidade.17ífica. Talvez seja o único ser humano a ter atingido a perfeição em sua especialidade. Sim, pense aí, caro internauta, em qualquer gênio da história, em todos os campos, e eles merecerão notas tipo 9.5, 9.6, 9.7, 9.8, 9.9, mas 10.0... só Pelé!!! Mas, ressalvamos aqui que "o futebol é a coisa mais importante dentre as menos importantes", conforme ensinou o italiano Arrigo Sacchi.

E mais: Pelé é, seguramente, a pessoa mais fotografada da história e supera o Papa e o presidente dos EUA. É que os papas e os presidentes americanos são transitórios, ocupam o posto rotativamente, e Pelé é eterno, insubstituível, único. Ele nunca deixa, deixou ou deixará o trono da figura mais conhecida e fotografada do mundo.

Assim, o Portal Terceiro Tempo de Memória Esportiva, modestamente - e bota "modestamente nisso" - publica 0,000000000000000001% das fotos tiradas de Pelé ao longo de décadas, nos quatro cantos do mundo.

Quando Pelé substituiu o goleiro

1959 - Pelé substituiu Lalá em uma partida contra o Comercial de Ribeirão Preto. O goleiro santista desmaiou após uma pancada na cabeça.

19/01/64 - Pelé substituiu Gilmar, que foi expulso, em um Santos 4 x 3 Grêmio, no Pacaembu, pela Taça Brasil. árbitro: Teodoro Nitti

14/11/69 - Santos 3 x 0 Botafogo-PB Amistoso Quando Pelé anotou o 999º gol de sua carreira; substituiu Jair Pessoa, o Jairzão. Jair foi goleiro da Prudentina e hoje é aposentado. No jogo, o técnico Antoninho pediu ao arqueiro para simular uma contusão, fazendo com que Pelé fosse para o gol, a fim de evitar que o 1000º gol acontecesse fora do eixo Rio-SP.

19/06/73 - Santos 4 x 0 Baltimore Bays (Estados Unidos) Amistoso Internacional
Pelé substituiu Cláudio.

O gol mais bonito

No dia 02 de agosto de 1959, no estádio da Rua Javari, Pelé marcou aquele que garante ter sido o mais bonito de todos os 1281 de sua carreira. Contra o Juventus, na vitória santista por 4 a 0, deu três chapéus nos jogadores do Moleque, incluindo o goleiro, e saiu para comemorar.

O lance não foi registrado por nenhuma câmera de televisão, mas foi recriado em computação gráfica para ser exibido no filme "Pelé Eterno". Pelé diz que estava sendo muito vaiado naquele dia pela torcida juventina. E que logo após o gol de placa, correu em direção a ela para desabafar.

Para imortalizar o feito, a diretoria do clube da Mooca inaugurou um busto na rua Javari, em evento que contou com a participação do próprio rei do futebol.

O milésimo gol

Entre tantos feitos de Pelé, é inegável que a marcação de seu milésimo gol merece uma referência especial. O feito ocorreu no Maracanã no dia 19 de novembro de 1969 e parece ter sido meticulosamente programado para acontecer no maior estádio do mundo. Tanto que na partida anterior do Santos, um amistoso contra o Botafogo de João
Pessoa, o Rei, após marcar, foi imediatamente foi para o gol a pedido do técnico Antoninho.

O milésimo foi marcado de pênalti, que o próprio Pelé sofreu ao ser derrubado por Fernando aos 34 minutos do segundo tempo. O árbitro Manoel Amaro de Lima, incontinente, apontou para a marca da cal. Na cobrança, o goleiro argentino Andrada ainda tocou na bola mas não evitou a explosão do Maracanã, que esqueceu o amor pelo Vasco e abraçou a causa do maior jogador de todos os tempos.

A última vez que enfrentou o Corinthians
 
Pelé marcou em sua carreira 1281 gols. Destes, 51 contra o Corinthians, o clube que mais sofreu com seu talento em exatos 50 jogos. Ironicamente, em sua última partida diante do time do Parque São Jorge, o Rei saiu de campo derrotado.
 
O clássico ocorreu na tarde de 29 de setembro de 1974 no Pacaembu, tomado por mais de 66 mil pessoas. O time da capital venceu por 1 a 0, gol de Rivellino aos 14 minutos da etapa final. Por sinal, quando o marcador ainda apontava igualdade, o goleiro santista Cejas defendeu um pênalti cobrado por Adãozinho.

Em 17 anos enfrentando o Timão, Pelé venceu 25 jogos, empatou 16 e perdeu apenas nove.
 
O Rei do futebol sentiu o peso da idade e no dia 10 de novembro de 2012, no hospital Albert Einstein, em São Paulo, Pelé recebeu uma prótese na região do quadril.

- O Pelé tinha um desgaste da articulação que chamamos de artrose, em que você vai consumindo a cartilagem tanto da cabeça do fêmur como do encaixe da bacia. Isso é fruto de toda essa atividade física dele durante anos e anos. Ele sempre esteve ativo, com futebol, tênis e tudo mais. Parte dessa conta vem desses mil e tantos gols e a atividade que ele sempre manteve depois de tudo isso -  afirmou o médico Roberto Dantas Queiroz ao site Globoesporte.com
 
Ainda sobre Pelé, leia abaixo a história de Milton Neves na coluna "Causos do Miltão", da Revista Placar em dezembro de 2012

Nicolau Moran Villar (1913-1968), célebre diretor de futebol do Santos (morreu em Santiago durante um Octogonal do Chile), participou de programa de TV no Rio, um dia antes do clássico Flu x Santos, no Maracanã, ali por 1963 ou 1964. Também presente, o presidente do Flu foi de cara irritando e desafiando Nicolau Moran que então, de imediato, pediu ao apresentador que deixasse o cartola Tricolor comparar jogador por jogador, posição por posição. Dito e feito! Como o presidente do Flu ("nas Laranjeiras optamos por garotos e não por veteranos superados") foi logo escolhendo Jorge Vitório a Gylmar, Valdez a Mauro, Íris a Zito, Darí a Calvet, Nonô a Lima, Luis Henrique a Mengálvio e Edinho a Dorval, Nicolau Moran, nervoso, interrompeu e desafiou: "Ó, passemos logo para a meia-esquerda, quem sabe assim o Santos ganha pelo menos nessa posição?! Ao que o presidente do Flu respondeu: "Olha, o Pelé até que não é ruim, mas o Joaquinzinho tá numa faaaaseeeeee..." No outro dia, é claro, o Santos goleou o Fluminense e o jogo pelo menos serviu para Nicolau Moran Villar levar o lateral-lenda Carlos Alberto Torres para a Vila, trocado por Ismael e mais uma graninha, em negócio da China.
 
CLIQUE AQUI E VEJA UMA MATÉRIA ESPECIAL PUBLICADA EM 7 DE ABRIL DE 2016 NO PORTAL TERCEIRO TEMPO, COBERTURA DE MARCOS JÚNIOR MICHELETTI EM EVENTO COM PARTICIPAÇÃO DE PELÉ NO CLUBE ESPERIA, EM SÃO PAULO.
 
No player abaixo, ouça a primeira entrevista de Maria Lúcia do Nascimento Magalhães, irmã de Pelé. O bate-papo com o jornalista Milton Neves aconteceu na Rádio Bandeirantes, durante o programa "Domingo Esportivo" do dia 17 de setembro de 2017:

Abaixo, veja vídeo espetacular de 1960, um dia antes de Palmeiras 2 x 1 Santos, pela decisão do Super Paulistão de 1959:

    ver mais notícias
    ver mais Áudio
    Veja abaixo em um trabalho de pesquisa exclusivo do site Terceiro Tempo diversas curiosidades sobre Pelé.

    Pênaltis perdidos por Pelé:

    17/10/56 - Santos 4 x 2 Jabaquara - Fininho defendeu
    Árbitro: Haray Davies

    30/09/62 - Santos 3 x 1 Comercial - Aníbal defendeu
    Árbitro: Eunápio de Queirós

    2/06/63- Santos 2 x 0 F.C Schalke 04 (Alemanha) - chutou para fora
    Árbitro: Roomer (holandês)

    30/09/64 - Santos 1 x 1 Corinthians - Heitor defendeu
    Campeonato Paulista
    Árbitro: Armando Marques

    25/03/65 - Santos 5 x 4 Peñarol - Maidana defendeu
    Libertadores da América
    Árbitro: Luiz Ventre

    14/07/65 - Santos 6 x 2 Noroeste - chutou para fora
    Campeonato Paulista
    Árbitro: Albino Zanferrari

    15/08/65 - Santos 3 x 1 Prudentina - chutou para fora
    Campeonato Paulista
    Árbitro: Airton Vieira de Morais

    29/01/67 - Santos 2 x 4 River Plate (Argentina) - chutou para fora
    Amistoso Internacional
    Árbitro: Henry R. Landaner

    26/03/67 - Santos 1 x 2 Vasco - chutou para fora
    Roberto Gomes Pedrosa (Robertão)
    Árbitro: Armando Marques

    1/04/67 - Santos 1 x 1 São Paulo - chutou para fora
    Roberto Gomes Pedrosa (Robertão)
    Árbitro: José Astolfi

    5/03/69 - Santos 0 x 1 Guarani - chutou na trave
    Campeonato Paulista
    Árbitro: José de Oliveira

    12/05/71 - Santos 1 x 0 São Bento - Lourenço defendeu
    Árbitro: Carlos Afonso Lopes

    23/05/71 - Santos 4 x 3 Oriente Petrolero (Bolívia) - chutou para fora
    Amistoso Internacional
    Árbitro: Jorge Antequera

    3/10/71 - Santos 1 x 0 Cruzeiro - Hélio defendeu
    Campeonato Nacional de Clubes
    Árbitro: Armando Marques

    Veja os jogos em que Pelé foi expulso:

    22/17/57 - Santos 1 x 0 Corinthians Campeonato Paulista Árbitro: Juan Brozzi

    19/07/59 - Santos 0 x 0 Seleção de Pernambuco Amistoso Árbitro: Alfredo Bernardes Torres
    Foram expulsos também, Dorval, Fioti e Getúlio

    10/09/61 - Santos 3 x 0 Botafogo-SP Campeonato Paulista Árbitro: Romualdo Arpi Filho

    19/11/61 - Santos 0 x 1 América-RJ Taça Brasil Árbitro: Armando Marques

    15/08/63 - Santos 1 x 4 São Paulo Campeonato Paulista Árbitro: Armando Marques

    Partida encerrada aos 8 minutos do segundo tempo, pois o Santos ficou com 6 jogadores em campo. Coutinho foi expulso e Aparecido, Dorval e Pepe saíram contundidos.

    10/01/65 - Santos 2 x 3 Botafogo-RJ Torneio Rio-São Paulo Árbitro: Albino Zanferrari Expulsos também: Manga e Paulistinha

    8/12/65 - Santos 1 x 0 Vasco Taça Brasil Árbitro: Armando Marques Expulsos também: Geraldino, Lima, Orlando, Ananias, Luizinho e Zezinho

    3/11/66 - Santos 2 x 6 Cruzeiro Taça Brasil Árbitro: Armando Marques Procópio também foi expulso

    28/02/67 - Santos 2 x 1 Colo Colo Amistoso Internacional Árbitro: Jayme Amor Também foram expulsos: Zito e Eruz

    15/08/68 - Santos 2 x 3 Vasco Roberto Gomes Pedrosa (Robertão) Árbitro: Agomar Martins (expulso aos 30 minutos do segundo tempo)

    Data indefinida - Santos 2 x 1 River Plate (Argentina) Amistoso Internacional Árbitro: Ângelo Coereza

    20/11/68 - Santos 3 x 1 Grêmio-PA Roberto Gomes Pedrosa (Robertão) Árbitro: Agomar Martins (expulso aos 30 minutos do segundo tempo)

    23/11/69 - Santos 0 x 2 Atlético Mineiro Roberto Gomes Pedrosa (Robertão) Árbitro: Amílcar Ferreira (expulso aos 25 minutos do segundo tempo)

    Confira abaixo relatos surpreendentes de Pelé e outras curiosidades quando ele vestiu a camisa 10 do Fluminense.

    O Terceiro Tempo agradece ao internauta Aroldo Ferraz e ao site www.fluminense.com.br, pelas informações e curiosidades enviadas.

    E Pelé vestiu mesmo a camisa 10.

    As emoções da Copa do Mundo, com o Brasil cruzando os mares e terras na fase de preparação , e os mil problemas dos noticiários que aguçava o interesse dos leitores da imprensa, devem ter encoberto um dos momentos históricos na vida tricolor: Pelé vestindo a camisa 10 do Fluminense, jogando durante 45 minutos em defesa das cores do Flu. Com a camisa branca (também) de tantas tradições.

    Foi o treinador Paulo Emílio quem trouxe a foto batida no exterior. E ele mesmo conta que o grande imortal atacante do Brasil foi quem lhe disse textualmente:

    - É uma foto histórica, Paulo Emílio. E eu gostaria de vê-la publicada.

    Além do Santos, clube que defendeu durante toda sua carreira, Pelé apenas uma vez vestiu a camisa do Vasco e, já no fim de suas atividades de atleta, a do Cosmos, onde ainda figura como public-relations e onde encerrou sua vida de jogador de futebol.

    Pelé considera essa foto histórica por dois motivos: jamais havia vestido a camisa tricolor, de Álvaro Chaves, e foi essa (segundo ele próprio) a última vez que entrou em campo para jogar uma partida de futebol.

    - Daqui para frente, o futebol para mim será extra-campo. Peladas com amigos, sim. Nada mais. Dentro de um estádio, amistosa ou oficialmente, nunca mais. Nem mesmo em jogos benemerentes.

    Tudo aconteceu durante a excursão do Fluminense no continente africano em Abril de 1978, onde fez três partidas: a primeira contra a seleção da Nigéria, em Lagos, no dia 22 de abril, quando o time tricolor venceu por 3 a 1. Pelé atuou pela equipe local. O segundo, no dia 26 de abril, também em Lagos, contra o Racca Rovers, da Nigéria, em Kaduna, com o Fluminense saindo ganhando por 2 a 1, gols de Marinho e Artur.

    Foi esse o jogo histórico, no qual o maior jogador de futebol de todos os tempos atuou toda a segunda etapa com a camisa 10, ao lado dos jovens da atual geração das Laranjeiras. A terceira e última partida do Fluminense foi contra o IICC Shooting Star, em Lagos, Nigéria. Resultado: 1 a 1, com gol de Marinho.

    Falando um pouco de história, Pelé foi um dos 47 jogadores convocados pelo técnico Vicente Feola para o período de treinamento que visava conquistar a Copa da Inglaterra e, consequentemente, o tricampeonato mundial de futebol. Infelizmente deu tudo errado.

    Os 47 jogadores convocados, devido a forte pressão dos dirigentes dos clubes, para o período de treinamento em Serra Negra-SP e Caxambu-MG como preparação para a Copa de 66, na Inglaterra, foram: Fábio – São Paulo, Gylmar – Santos, Manga – Botafogo, Ubirajara Mota – Bangu e Valdir – Palmeiras (goleiros); Carlos Alberto Torres – Santos, Djalma Santos – Palmeiras, Fidélis – Bangu, Murilo – Flamengo, Édson Cegonha – Corinthians, Paulo Henrique – Flamengo e Rildo – Botafogo (laterais); Altair – Fluminense, Bellini – São Paulo, Brito – Vasco, Ditão – Flamengo, Djalma Dias – Palmeiras, Fontana – Vasco, Leônidas – América/RJ, Orlando Peçanha – Santos e Roberto Dias – São Paulo (zagueiros); Denílson – Fluminense, Dino Sani – Corinthians, Dudu – Palmeiras, Edu – Santos, Fefeu – São Paulo, Gérson – Botafogo, Lima – Santos, Oldair – Vasco e Zito – Santos (apoiadores); Alcindo – Grêmio, Amarildo – Milan, Célio – Vasco, Flávio – Corinthians, Garrincha – Corinthians, Ivair – Portuguesa de Desportos, Jair da Costa – Inter de Milão, Jairzinho – Botafogo, Nado-Náutico, Parada – Botafogo, Paraná – São Paulo, Paulo Borges – Bangu, Pelé – Santos, Servílio – Palmeiras, Rinaldo – Palmeiras, Silva – Flamengo e Tostão – Cruzeiro (atacantes).

    Dos 47 convocados por Vicente Feola, para esse infeliz período de treinamentos, acabaram viajando para a Inglaterra os seguintes 22 "sobreviventes": Gylmar e Manga (goleiros); Djalma Santos, Fidélis, Paulo Henrique e Rildo (laterais); Bellini, Altair, Brito e Orlando Peçanha (zagueiros); Denílson, Lima, Gérson e Zito (apoiadores); Garrincha, Edu, Alcindo, Pelé, Jairzinho, Silva, Tostão e Paraná (atacantes).

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2017

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Cor
      72
    • 2 Pal
      63
    • 3 San
      63
    • 4 Grê
      62
    • 5 Cru
      57
    • Veja tabela completa

    ÚLTIMOS CRAQUES