publicidade

Muricy Ramalho

Ex-meia do São Paulo e hoje treinador

por Rogério Micheletti

Muricy, o Muricy Ramalho, meia-direita do São Paulo nos anos 70, hoje é importante técnico de futebol.

Em 8 de dezembro de 2015, Muricy foi anunciado como novo treinador do Flamengo, mas após sofrer com problemas de saúde, o técnico deixou o clube no dia 26 de maio de 2016. Em novembro do mesmo ano, foi anunciado como comentarista dos canais SporTV.

Muricy é casado e é pai de três filhos (uma mulher e dois homens). "Quis voltar para a cidade de São Paulo principalmente por causa da minha família. A família é a coisa mais importante que temos e eu fiquei nove anos vivendo em outras cidades", diz o treinador, que nasceu em São Paulo no dia 30 de novembro de 1955, em seu retorno a São Paulo após treinar o Inter e morar no Rio Grande do Sul.

Como jogador, Muricy deu os primeiros passos nas categorias de base do São Paulo Futebol Clube. Ele era um jogador habilidoso, com boa chegada na área (formou grande dupla com Serginho Chulapa) e que desempenhava o papel de autêntico meia-direita. Poderia ter ido para a Copa do Mundo de 1978, mas uma contusão no joelho, um ano antes, impossibilitou o meia de ser chamado para o Mundial da Argentina.

Muricy defendeu o São Paulo de 1973 a 1979. Nesse período, ele fez parte dos times tricolores campeões do Paulista de 1975 e do Brasileiro de 1977. "Aprendi muito com o Rubens Minelli (campeão de 77), um técnico inovador. Foi um dos grandes treinadores com quem trabalhei", revela Muricy, que fazia parte do elenco vencedor do campeonato nacional daquele ano. Aos 17 anos foi emprestado ao Pontagrossense, de Ponta Grossa-PR, onde permaneceu por poucos meses. Ele foi levado ao time paranaense pelas mãos do técnico Alfredo Gonzalez, que treinou o Palmeiras em 1968.

Depois de ter feito 177 partidas e marcado 26 gols com a camisa tricolor, Muricy foi jogar no México, no começo dos anos 80. O irreverente jogador, que gostava de rock e usava cabelos compridos, também brilhou no futebol da América do Norte. No México, ele iniciou a carreira de técnico. Dirigiu o Puebla.

Em 2006, ele foi vice-campeão da Libertadores da América e campeão brasileiro pelo São Paulo. "Foi um ano bom. Perdemos a Libertadores por detalhe e ganhamos o Campeonato Brasileiro", fala Muricy, que nos dois anos seguintes voltou a ser campeão brasileiro pelo São Paulo. Muricy deixou o comando do Tricolor em junho de 2009, depois do time ser eliminado da Libertadores pelo Cruzeiro.

Acertou com o Palmeiras no 21 de julho de 2009, após quase duas semanas de negociação com o presidente alviverde Belluzzo. Chegou ao Palmeiras com o apoio de grandes ídolos palmeirenses do passado: Carabina e Ademir da Guia, mas não conseguiu repetir no Verdão o mesmo sucesso que teve no São Paulo e foi demitido em 18 de fevereiro de 2010, um dia após a goleada sofrida pelo Palmeiras diante do São Caetano por 4 a 1, em pleno Palestra Itália.

Os números de Muricy no comando do Palmeiras não foram bons. Comandou a equipe em 34 oportunidades, sendo 13 vitórias, 11 empates e 10 derrotas.

Em 2010, Muricy assumiu o comando do Fluminense e ajudou o Tricolor a conquistar o título de Campeão Brasileirão.  No dia 13 de março de 2011, ele deixou o Tricolor das Laranjeiras alegando que já tinha contribuído  para seus objetivos com o clube.

A imprensa apurou  que o treinador se desgastou com a co-administrador e patrocinador do clube Unimed e por este motivo foi praticamente forçado a pedir demissão. Em uma das situações de maior ingratidão do futebol brasileiro, pois meses antes recusou a proposta para ser treinador da Seleção Brasileira para levar o Flu ao título nacional.

No dia 5 de abril de 2011, Muricy foi anunciado como novo treinador do Santos. O treinador assinou contrato de 1 ano, podendo ser renovado por mais uma temporada, caso o trabalho agrade a diretoria santista. E os resultados não demoraram para aparecer, o Peixe venceu o Paulistão pela décima nona vez.

Depois de ser duramente criticado por diretores do São Paulo por não ser um técnico  de "Mata-Mata", Muricy respondeu conquistando dois títulos importantes pelo Santos neste sistema de disputa.O campeonato paulista e a Taça Libertadores da América de 2011.

Em 2013, Muricy retornou ao São Paulo, onde ficou até 2015, quando deixou o clube por problemas de saúde.

No ano seguinte, o treinador voltou a trabalhar e assumiu o comando técnico do Flamengo, onde ficou até maio de 2016, quando também deixou o clube por problemas de saúde.

Auxiliar de Telê

Muricy voltou ao Brasil para ser auxiliar de Telê Santana no São Paulo Futebol Clube. Participou da comissão técnica vencedora no começo dos anos 90. Dirigiu o time são-paulino conhecido como Expressinho, que era a equipe aspirantes. Teve sucesso com ele na Conmebol de 1994.

Com a saída de Telê, que apresentava problemas de saúde em 95, Muricy Ramalho assumiu o cargo de treinador no ano seguinte. "Fiquei chateado por ter saído na época. Não queria", lamenta Muricy, que em sua primeira passagem como treinador são-paulino dirigiu o time em 108 jogos (55 vitórias, 33 empates e 20 derrotas).

O cigarro

Um de seus grandes amigos nos tempos de jogador, o ex-lateral Gilberto Sorriso, conta que Muricy Ramalho era realmente um jogador diferenciado e revela um caso engraçado que aconteceu com meia-direita nos tempos em que Poy era o treinador. "Eu e o Muricy estávamos no saguão do hotel. O Muricy fumava e estava com o cigarro. O Poy, que não gostava disso, apareceu de surpresa. O Muricy fechou a mão com o cigarro, que estava aceso, dentro. O Poy falava com o Muricy alguma coisa. E eu notava que ele estava com os olhos cheios. O cigarro deveria estar queimando a sua mão", conta Gilberto, entre gargalhadas.

Vencedor como técnico

Muricy Ramalho não conquistou títulos só dirigindo o São Paulo. Também venceu comandando o Santa Cruz, o Náutico, o Figueirense, o Internacional e o São Caetano, campeão paulista de 2004.

México, China, Brasil...

Times comandados por Muricy Ramalho: Puebla do México, São Paulo (1996), Guarani (1997), Chuhua-China (1998), Ituano (1998), Botafogo de Ribeirão (1999), Santa Cruz (2000), Náutico(2001-2002), Figueirense (2002), Internacional (2003), São Caetano (2004), Internacional (2005) e São Paulo (2006).

Emoção

Costumeiramente durão, Muricy admite que ficou emocionado quando ouviu seu nome ser gritado logo depois do nome de Telê Santana durante jogo entre São Paulo e América de Natal, no Morumbi, em 2007, pouco antes do Tricolor comemorar o pentacampeonato brasileiro. "Fique emocionado mesmo. É sinal de que o trabalho foi reconhecido. Mas sei que amanhã já terei cobranças. Porque o torcedor é exigente. Sempre vai ser assim", declarou o treinador.
 
Depois de ser duramente criticado por diretores do São Paul por não ser um técnico  de "Mata-Mata", Muricy respondeu conquistando dois títulos importantes pelo Santos neste sistema de disputa.O campeonato paulista e a Taça Libertadores da América.
 
Abaixo, lembranças de São Paulo 2 x 0 Corinthians, de 1975

No dia 16 de setembro de 2018, ao lado de Serginho Chulapa, Milton Cruz e Borges, Muricy participou do Domingo Esportivo Bandeirantes. Confira a íntegra da entrevista:

    ver mais notícias
    ver mais Áudio
    Pelo São Paulo (como jogador):

    Atuou em 177 jogos, sendo 90 vitórias, 57 empates e 30 derrotas. Marcou 26gols.
    Fonte: Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa.

    Pelo São Paulo (como treinador):

    Comandou o Tricolor em 360 jogos, sendo 194 vitórias, 100 empates e 66 derrotas.

    Pelo Palmeiras (como treinador):

    Comandou o Verdão em 34 oportunidades, sendo 13 vitórias, 11 empates e 10 derrotas.

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      59
    • 2 Int
      56
    • 3 Fla
      55
    • 4 São
      52
    • 5 Grê
      51
    • Veja tabela completa

    ÚLTIMOS CRAQUES