publicidade

Grafite

Atacante do Santa Cruz

por Rafael Serra

Edinaldo Batista Libânio, mais conhecido como Grafite, é um atacante brasileiro com passagens de destaque pelo São Paulo e pelo Wolfsburg, da Alemanha. Nascido em Campo Limpo Paulista no dia 2 de abril de 1979, Grafite teve que enfrentar um grande adversário logo em seus primeiros dias de vida. Por conta de uma broncopneumonia, o jogador ficou na encubadora por nove dias. No dia 11 de agosto de 2018, assinou com o Santa Cruz e selou o seu regresso após alguns meses ao clube pernambucano.

Iniciou a carreira na Matonense, em 1999, após nunca ter passado por categorias de base. "Controle de bola, passe, cabeceio, eu não tive nada disso. Aprendi na várzea, aprendi a jogar futebol na vida. Não tive essa divisão de base que falam no futebol", disse o jogador em entrevista ao Globo Esporte.

Foi no clube do interior que o jogador ganhou o apelido pelo qual é conhecido até hoje. Até então era conhecido como Dina - diminutivo de Edinaldo. Quem o batizou como Grafite foi o técnico Estevam Soares.

Em 2001, Grafite teve uma rápida passagem pela Ferroviária de Araraquara-SP. No mesmo ano chegou ao Santa Cruz. Marcou 16 gols em 22 jogos com a camisa coral, números insuficientes para evitar o rebaixamento da equipe para a Série B de 2002.

Contratado pelo Grêmio por R$ 1 milhão, não ficou por muito tempo no tricolor. Transferiu-se, em 2003, ao Anyang Cheetahs, da Coréia do Sul.

Menos de seis meses depois estava de volta ao Brasil, desta vez para defender o Goiás. O ótimo Campeonato Brasileiro da equipe goiana comandada por Cuca, fez com que o São Paulo contratasse alguns jogadores do Esmeraldino, entre eles Grafite.

Pelo Tricolor Paulista, Grafite explodiu no cenário nacional, conquistando alguns dos títulos mais importantes da história do clube, como a Libertadores e o Mundial de Clubes de 2005. Ainda em 2005, recebeu sua primeira convocação para a seleção brasileira.

Antes das conquistas, no entanto, desagradou grande parte da torcida tricolor quando ao marcar um gol contra o Juventus, que por consequência salvou o Corinthians do rebaixamento no Campeonato Paulista de 2004.

Em 2006, Grafite desembarcou em solo francês para defender o Le Mans. Teve destaque em solo francês e foi contratado pelo emergente Wolfsburg, da Alemanha.

Foi com a camisa verde do clube alemão que Grafite viveu o auge de sua carreira. Formando dupla com Edin Dzeko, o brasileiro ajudou os lobos a conquistarem o primeiro título alemão de sua história, na temporada 2008/2009, sendo também artilheiro da competição.

Mesmo não repetindo o mesmo sucesso da temporada anterior, Grafite foi surpreendido por Dunga com uma convocação para a Copa do Mundo de 2010 (o treinador não costumava chamá-lo com frequência).

Deixou o clube alemão em 2011, com um retrospecto de 59 gols em 107 jogos, para assinar com o Al-Ahli, dos Emirados Árabes Unidos. Repetiu o sucesso que o consagrou na Alemanha conquistando quatro títulos em quatro temporadas e marcando incríveis 63 gols em 79 jogos.

Em 2015, acertou com o Al-Sadd, do Catar. Seis meses depois, no dia 30 de junho de 2015, decide voltar ao Brasil para jogar no Santa Cruz. Em 19 de dezembro de 2016, assinou contrato com Atlético-PR para disputar a temporada de 2017. Porém, em 7 de julho do mesmo ano, após um fraco rendimento, o atacante rescindiu seu contrato com o Furacão.

    ver mais notícias
    comments powered by Disqus

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2017

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Cor
      47
    • 2 Grê
      40
    • 3 San
      37
    • 4 Pal
      33
    • 5 Fla
      32
    • Veja tabela completa

    Últimos craques