publicidade

Cláudio Portugal

Ex-atleta polivalente de Muzambinho-MG
por Milton Neves
 
Cláudio Portugal, o "Figo", primo em primeiro grau de minha esposa e filho da saudosa dona Ivone, irmã de meu sogro Hélio "Bibi" Magnoni, hoje é engenheiro e mora em Limeira-SP.

Casado, sem filhos, Cláudio Portugal formou-se na Fatec em São Paulo, esteve na Caterpillar de Piracicaba-SP, viajou a trabalho aos EUA várias vezes e hoje desenvolve grandes projetos de internet em Limeira e é professor também de matemática.

Como atleta, Cláudio Portugal foi bom ponta-direita no futebol, excelente no futsal, vôlei e basquete e no atletismo foi recordista regional de 100 e 200 metros deixando Edson Dino, então o melhor dos anos 60, "comendo poeira? nas competições da Mogiana e dos tradicionais jogos estudantis Azul x Vermelho de Muzambinho.

Muzambinho comemorou 130 anos no dia 30 de novembro de 2012. Já escrevi um artigo reverenciando Muzambinho. Por Amaury Jr e Cláudio Portugal

Digo que "o melhor lugar do mundo é aquele no qual somos felizes". Para homenagear Muzambinho com este artigo, peço que o leitor da minha faixa etária (você vai saber se é) use a imaginação para visualizar pessoas e lugares descritos. Tenho certeza que a identificação permitirá uma viagem aos bons e velhos tempos, nem tão velha assim.

Conto um pouco da minha Muzambinho, que tanto amo.

Minha Muzambinho tinha o rio Chico Pedro, fase vivida pelas gerações anteriores, mas que ficou famosa no passado. O rio ainda existe, mas sem a poesia da época. Que saudade da Praça de Esportes dos tempos do "Sr. Zé da Praça". Ali havia as competições esportivas de atletismo e natação onde Edson Dino brilhou.

Minha Muzambinho tem o tradicional Colégio Prof. Salatiel, dos professores Wellington, Zé Mariano, Dona Lourdes, Dona Alice, Almírio Borelli e tantos outros e do Seu Olinto (porteiro). Professores inesquecíveis. Tem a Escola Agrotécnica, do diretor José Rossi. Tem o Colégio Comercial, recebendo alunos da região e por muitos anos sob a direção do Celinho Sales.

Minha cidade tinha o Azul x Vermelho.

Minha Muzambinho teve o Jovem Guarda Conjunto, Os Dragões, do incomparável Zulu, Nenzinho e do Rui. Há, se fosse hoje...
Hoje (há 80 anos) ainda temos a Banda Benedito Cesarino, do incansável Lázaro Cesarino. Um patrimônio muzambinhense que precisa ser incentivado e preservado.

Ainda na música, a cidade tem 05 excepcionais baterias de escolas de samba, muitos músicos, grupos e duplas. Teve as Rádio Continental e depois Rádio Rural, do então Joãozinho Dureza, idealizada por José Antonio de Araujo, Dito Dino, Willian Peres. Tem emissoras FM. Tem A Folha Regional, 1000 edições e 20 anos. E agora o Muzambinho.com
Minha Muzambinho tem futebol. Teve o campeão MEC do Aquiles Caetano e o Independente (sonho perdido no tempo), do Luizinho Dentista. Tem a Ponte Preta do Brejo Alegre, o União Bandeirantes da Barra Funda, o Vera Cruz do Alto do Anjo e o Guatapará. Teve o time do Zé Tarzan, quase imbatível e teve os craques Fominha, Wanderley, Laudimiro, Camila, Braguinha e Ivan Surdão.

Minha Muzambinho teve quatro prefeitos, cada um colocando um tijolinho na construção da cidade. Teve o honesto Nilson Bortoloti, o polêmico Marco Regis, o administrativo Zé Ubaldo e o italiano Esquilo. Fico pensando que Muzambinho cresceu 100 anos em 40.

Faça um exercício de memória e lembre que na sua infância, como na minha, não existiam os bairros Jardim Cerávolo, Quinta da Bela Vista Jardim Chico Pedro, Novo Horizonte, Vila Socialista, Jardim Itália, Por do Sol e Jardim dos Imigrantes.
Minha Muzambinho teve grandes Festivais da Música Inédita.

Aliás, tenho uma relíquia em casa: um disco de vinil compacto com as músicas vencedoras do I Festival da Música Inédita de Muzambinho, em 1968.

O disco tem o 1º colocado: "Canto Aberto: O Guerreiro?, de Martimiano Valério Borges, letra de Martimiano e Élson de Paula (Coro: Cybelle e Eliza); e o 2º colocado: "Noturno", de Antônio de Pádua Prado.
Minha Muzambinho tinha a Loja do Mazzilli, Loja do Nhô Nhô Gaspar, Mercado do Zu, Batidão, Bar do Gilson (na rodoviária), Padaria do Juca, Bar do Elias Dipe, bailes no Clube Recreativo e danceteria no Sancho (Automóvel Clube). O inesquecível Cinema do Hugo, o sorvete Pagão do Bar Avenida, a pista de atletismo no Vale do Sol, a Coomam (ops!), a história política de Messias Gomes e de vida da Dona Josefina.

Minha Muzambinho ainda tem o Bazar Pires, Bazar Santo Antônio, a Pastelaria do Lidinho e o Bar Uai. Ainda tem o talento de Paulo Dipe e Tézo Bortoloti, os polêmicos Vonzico e Regis Policarpo. Tem o corintiano "Ti Belo? sorveteiro.
Minha cidade tem pessoas ilustres, como: Wellington de Oliveira Jr... João Batista Beneti... Roberto de Araújo... Marco Antonio Villas Boas... Milton Neves... Camila... e outros, muitos outros.

Minha Muzambinho tem histórias de amor e amizades.

Minha Muzambinho tem tudo isso e muito mais que no momento talvez não consiga lembrar.
 
Veja belas imagens de Muzambinho-MG, terra natal de Cláudio Portugal :

Cláudio Portal em fevereiro de 2017

    ver mais notícias

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2017

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Cor
      71
    • 2 Grê
      61
    • 3 Pal
      60
    • 4 San
      59
    • 5 Cru
      56
    • Veja tabela completa

    ÚLTIMOS CRAQUES