publicidade

Adhemar Ferreira da Silva

Bicampeão olímpico do salto triplo
Nascido em 29 de setembro de 1927, no bairro operário de Casa Verde, Zona Norte da capital paulista, Adhemar Ferreira da Silva pode ser considerado o maior expoente da história do atletismo brasileiro. Oriundo de família humilde, o pai era ferroviário e a mãe cozinheira, ele teve de trabalhar cedo até conhecer o esporte por meio de um amigo. Após treinos a fio, alcançou o sucesso ao sagrar-se recordista e bicampeão olímpico do salto triplo.
 
Seu primeiro ouro veio na Olimpíada de Helsinque, na Finlândia, em 1952. Na ocasião, Ademar bateu quatro recordes num só tarde. Saltou 16,05m, 16,09m, 16,12m e 16,22m.
 
Já a segunda medalha dourada foi conquistada nos jogos seguintes de Melbourne, na Austrália, em 1956. O saltador canarinho cravou 16,35m, novo recorde então. Também ganhou cinco títulos sul-americanos e três pan-americanos da modalidade. Como naquela época era atleta do São Paulo, até hoje duas estrelas estampadas na camisa de futebol do clube do Morumbi homenageiam o triplista.
 
Após encerrar a vitoriosa carreira, graças a uma tuberculose que lhe afastou das competições, o bicampeão mergulhou na vida acadêmica. Formou-se em educação física, direito e relações públicas. Diante do conhecimento adquirido, exerceu o posto de adido cultural na Embaixada Brasileira da Nigéria.
 
Reconhecido mundialmente, Adhemar morreu no dia 12 de janeiro de 2001 de parada cardíaca. Seu recorde ficou eternizado e durará, pelo menos, até 2008: é o único brasileiro a ganhar o galardão de ouro em duas Olimpíadas consecutivas.
 
Por Raphael Cavaco
Veja na próxima página um vídeo sobre a carreira de Adhemar Ferreira da Silva

 

    ver mais notícias

    Selecione a letra para o filtro

    publicidade
    • Tabela

    • BRASILEIRÃO 2018

    • Classificação
      Pontos
    • 1 Pal
      59
    • 2 Int
      56
    • 3 Fla
      55
    • 4 São
      52
    • 5 Grê
      51
    • Veja tabela completa

    ÚLTIMOS CRAQUES