O triunfo por três gols de diferença deixa o Palmeiras confortável no confronto

O triunfo por três gols de diferença deixa o Palmeiras confortável no confronto

José Edgar de Matos
Do UOL, em São Paulo

Lição de casa feita. O Palmeiras encaminhou a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira. Diante de mais de 24 mil pessoas no Allianz Parque, o líder do Campeonato Brasileiro demorou a engrenar, mas derrotou o Botafogo-PB pelo placar de 3 a 0 e se aproximou da vaga na próxima fase.

O embalo diante do adversário da Série C veio somente a partir dos 10min da etapa complementar, quando a arbitragem anotou pênalti sobre Rafael Marques. Jean bateu bem, abriu o placar e encaminhou a vitória. Rafa Marques, destaque no segundo tempo, ampliou a vitória aos 18min. O placar foi fechado com Tchê Tchê, aos 36min.

O triunfo por três gols de diferença deixa o Palmeiras confortável no confronto. Na partida de volta, marcada para 21 de setembro, na Paraíba, o Botafogo precisará de um triunfo por quatro tentos de vantagem para surpreender o principal time do Campeonato Brasileiro de 2016 até o momento.

Antes de preocupar-se com a vaga entre os oito melhores da Copa do Brasil, competição na qual defende o título conquistado no ano passado, o Palmeiras retoma a concentração na Série A. Na próxima quarta-feira, novamente no Allianz Parque, a equipe de Cuca recebe o arquirrival São Paulo, na busca de manter a liderança.

Quem foi bem: Dudu

Dudu, a cada jogo, apresenta-se cada vez mais fundamental ao time de Cuca. Agora sob a responsabilidade de liderar o elenco com a faixa de capitão, o camisa 7 assumiu a `bronca´ em uma noite até então ruim do Palmeiras. Com dribles e intensidade ofensiva, o meia-atacante fez a equipe de Cuca crescer, vencer e se aproximar da vaga.

Quem foi mal: Cleiton Xavier

Diante de um adversário bem posicionado e fechado, Cleiton Xavier enfrentou sérias dificuldades para impor o seu jogo. O camisa 10, por diversas vezes, veio buscar a bola no campo de defesa. Longe do gol e dos atacantes, o serviço do armador acabou limitado. Cuca não pensou duas vezes ao tirar o meia ainda no intervalo de jogo.

Rafael Marques, o artilheiro do Allianz Parque

Titular após mais de dois meses – o último jogo ocorrera em junho, contra o Coritiba -, Rafael Marques facilitou o confronto para o Palmeiras. Além de sofrer o pênalti que resultou no gol de Jean, o camisa 19 balançou pela 11ª vez as redes do Allianz Parque e se tornou o principal artilheiro da nova arena palmeirense ao lado de Cristaldo.

Enfim, o gol

Peça fundamental deste Palmeiras do segundo semestre, Tchê Tchê, enfim, balançou as redes com a camisa alviverde – azul, no caso. O chute certeiro da entrada da área aos 35min do tempo final de jogo quebrou a `seca´ depois de 21 jogos pelo clube.

Os gols perdidos

Em um primeiro tempo truncado, o Botafogo-PB teve a melhor chance do primeiro tempo. Aos 31 minutos, a equipe paraibana cobrou falta errada, mas a bola sobrou para Rodrigo Silva. Em condição legal, o atacante ficou cara a cara com Jailson e mandou para fora do gol.

O lance de Rodrigo Silva não foi o único incrível perdido na partida. Aos 16 minutos da segunda etapa foi a vez do Palmeiras. Após boa jogada de Dudu pelo lado esquerdo, Erik recebeu cruzamento rasteiro e, sozinho, chutou em cima do goleiro Michel Alves.

Palmeiras: primeiro tempo preocupante

Apesar do resultado conquistado na noite desta quarta-feira, o torcedor do Palmeiras se assustou no Allianz Parque. O futebol vistoso do último domingo, na vitória contra o Fluminense, ficou no passado. O time que estreou na Copa do Brasil deu espaços, apresentou pouca movimentação no último setor do campo e se tornou presa fácil para o sistema de jogo do adversário, até Jean abrir o placar e, consequentemente, o jogo.

Botafogo-PB: organizado e perigoso

A equipe paraibana mostrou-se organizada e perigosa durante o primeiro tempo no Allianz Parque. Foram pelo menos três boas oportunidades diante de Jailson. Neste tipo de confronto, erros custam caro. O pênalti e a individualidade de Rafael Marques, na etapa final, fizeram a diferença para o Palmeiras.

Cuca: bronca que deu certo

Se o Palmeiras apresentou lentidão na troca de passes próximo à área rival e parou na marcação adversária, o segundo tempo mostrou muito mais intensidade e movimentação. A alteração passa pela visão de Cuca, que tirou Cleiton Xavier e colocou Allione, um jogador mais veloz e incisivo. Não demorou para o clube alviverde se impor e alcançar a vitória; menos de 20min, no caso.

Preocupação palestrina

Uma das principais peças do Palmeiras na temporada, o meio-campista Moisés tornou-se alvo da preocupação para a comissão técnica. O volante sentiu o tornozelo direito após disputa de bola na linha de fundo e recebeu atendimento médico. Aos 25min da primeira etapa, novas dores no local obrigaram Cuca a tirar o jogador precocemente do confronto. Semana que vem, o rival é o São Paulo...

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações
comments powered by Disqus

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    23
  • 2 Grê
    22
  • 3 San
    16
  • 4 Bot
    15
  • 5 Cor
    15
  • Veja tabela completa