publicidade
O sentimento de alívio pela resposta às cobranças, no entanto, será saboreado por pouco tempo no Palmeiras

O sentimento de alívio pela resposta às cobranças, no entanto, será saboreado por pouco tempo no Palmeiras

José Edgar de Matos
Do UOL, em São Paulo (SP)

A tarde que começou tensa terminou em alívio. Depois de conviver com um duro protesto de torcedores na porta da Academia de Futebol, o Palmeiras respondeu com futebol, dominou o Flamengo e voltou a vencer após três rodadas no Campeonato Brasileiro. Com dois gols de Deyverson, um dos alvos das críticas mais cedo, o time alviverde venceu o rival rubro-negro por 2 a 0 e aliviou a pressão sobre a equipe.

A primeira vitória desde o jogo contra o Grêmio, no último dia 22, deixa o Palmeiras em situação tranquila dentro do G-4 da Série A. A equipe de Alberto Valentim chegou aos 57 pontos e abriu seis em relação ao Botafogo, que perdeu no sábado para o Atlético-PR. Restam apenas mais quatro rodadas para o fim da competição, e mais quatro pontos asseguram ao clube alviverde um lugar pelo menos na Pré-Libertadores de 2018.

Enquanto o Palmeiras se tranquiliza e depende de mais seis pontos para se fixar no G-4 e ir diretamente para a fase de grupos do torneio continental, o Flamengo passa a ficar pressionado. Com 50 pontos e na sétima posição, o time rubro-negro já vê Vasco e São Paulo próximos na disputa direta pela última vaga à fase de qualificação da Libertadores.

O sentimento de alívio pela resposta às cobranças, no entanto, será saboreado por pouco tempo no Palmeiras. Na próxima quinta-feira, às 20h (de Brasília), novamente no Allianz Parque, a equipe recebe o Sport para se aproximar ainda mais da vaga no torneio sul-americano. O agora pressionado Flamengo tenta dar a resposta na mesma data, mas às 21h, diante do Coritiba, no Couto Pereira.

Quem foi bem: Deyverson

m dos atletas mais criticados pela torcida no protesto que ocorreu mais cedo no CT – inclusive, teve o nome inserido em uma lista de demissão feita pelos organizados -, Deyverson respondeu com gols. O camisa 16 aproveitou os espaços deixados por Rafael Vaz e foi letal: dois gols que encaminharam o resultado positivo no Allianz Parque.

Quem foi mal: Rafael Vaz

Enquanto Deyverson sobrou na disputa direta, Rafael Vaz sofreu. No lance do primeiro gol, o zagueiro se mostrou lento na cobertura e viu o atacante rival abrir o placar. No segundo, mais uma desatenção, e Deyverson, livre, aproveitou rebote de chute de Keno na trave para ampliar.

Felipe Melo é ovacionado

Torcedores que picharam as bilheterias do Allianz Parque exigiam a entrada de Felipe Melo no time titular. Alberto Valentim atendeu, e o público presente na arena aprovou. O volante foi o mais aplaudido no momento da escalação e era apoiado em cada participação no jogo. A cada desarme, aplausos. A cada carrinho, mais aplausos. A cada inversão do jogo, mais aplausos. Mesmo sem ser protagonista, o camisa 30 se apresentou como um dos personagens da vitória deste domingo.

Palmeiras se impõe e sobra no 1º tempo

O clima ruim gerado pela manifestação dos torcedores não se refletiu em campo. O Palmeiras se impôs desde o primeiro minuto e construiu com tranquilidade o resultado sobre os cariocas. Quando já dominava o jogo, o time alviverde abriu o placar com Deyverson aos 13min – o centroavante aproveitou lançamento primoroso de Moisés e fez 1 a 0. O gol cedo trouxe confiança e soltou ainda mais o time, que, mesmo em um ritmo mais cadenciado e de paciência, controlou o duelo. O mesmo Deyverson, aos 36min, ampliou após aproveitar rebote em chute de Keno.

Flamengo falha, e falha muito

O Flamengo saiu derrotado do Allianz Parque muito em virtude dos próprios erros. A equipe de Reinaldo Rueda, que criou pouco, por sinal, cometeu falhas constantes no sistema defensivo, e o Palmeiras não perdoou. No primeiro gol, Rafael Vaz deu espaço para Deyverson ganhar na corrida e finalizar. No segundo, Pará reclamou de impedimento e viu Keno, com total liberdade, acertar um belo chute na trave – no rebote, Deyverson, novamente livre, ampliou.

Alberto Valentim "recua" linha alta

Mesmo criticado pelos dois últimos jogos e diante da maior pressão encontrada desde que assumiu interinamente o Palmeiras neste ano, Alberto Valentim manteve as próprias convicções. A "linha alta" de marcação se manteve, mas com um pequeno ajuste: com a presença de Luan, os zagueiros e laterais se posicionaram um pouco mais próximos do gol de Prass. O time compactado também dificultou a movimentação e o trabalho de bola do meio-campo do Flamengo.

Reinaldo Rueda aposta em Vinicius Junior

A larga desvantagem do primeiro tempo obrigou Reinaldo Rueda a apostar em um fator diferente para a segunda etapa: a entrada do garoto Vinicius Junior. A revelação entrou aberto pela esquerda, em cima de Mayke, a fim de aumentar a velocidade do ataque flamenguista. A marcação posicionada e compactada do Palmeiras, ainda mais com a entrada de Thiago Santos no lugar de Felipe Melo, limitou a reação dos visitantes.

Pressão antes mesmo de a bola rolar

Em dez dias, o Palmeiras saiu de um raro momento de paz para uma enorme pressão por parte dos torcedores. O ápice deste ambiente ruim ocorreu no início da tarde deste domingo, antes mesmo de a bola rolar no Allianz Parque. Centenas de membros das organizadas do clube compareceram à Academia de Futebol para um protesto. Jogadores como Egidio (o mais perseguido), Juninho, Luan, Michel Bastos e Bruno Henrique foram alvos, assim como o técnico Alberto Valentim, o diretor Alexandre Mattos e o presidente Mauricio Galiotte. Os presentes, que aguardavam o time deixar o CT rumo ao estádio, arremessaram pamonhas e pipocas no ônibus da delegação.

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    71
  • 2 Grê
    61
  • 3 Pal
    60
  • 4 San
    59
  • 5 Cru
    56
  • Veja tabela completa