publicidade
Hélio Bicudo morreu na última 3ª feira (31.jul.2018), aos 96 anos, após problemas cardíacos

Hélio Bicudo morreu na última 3ª feira (31.jul.2018), aos 96 anos, após problemas cardíacos

ROBERTO LIVIANU

Na última semana, o Brasil perdeu aos 96 anos um de seus homens mais dignos e corajosos – o sempre promotor de Justiça Hélio Bicudo, a quem tive a honra de ter como amigo e companheiro de jornadas em prol da sociedade.

Ontem (6.ago.2018) foi celebrada na catedral da Sé missa de 7º dia em razão de seu falecimento. Era visível a emoção nas palavras do padre celebrante, que relembrava sua trajetória de vida para uma imensidão de pessoas que foram reverenciar sua memória.]

Impossível não associar que exatamente ali havia sido celebrado nos anos 1970 o culto ecumênico pelo assassinato de Vladimir Herzog pela ditatura militar. O ato foi considerado a primeira manifestação de enfrentamento ao regime que forjou o suicídio do jornalista. Henry Sobel e Dom Paulo celebraram o culto em gesto de inédita e indescritível coragem.

O físico pequeno de Bicudo, de menos de 1,60m, era na verdade o de um gigante moral, um gigante humano, de infinito destemor, que enfrentou também sem medo o Esquadrão da Morte em plena ditadura militar, investigando e processando homens que matavam em nome do Estado.

Tornou-se nome-símbolo para a rejeição da PEC 37, que pretendia impedir o Ministério Público de investigar crimes.

Na mesma década de 1970, Bicudo simbolizou o Ministério Público do destemor, que investigou diretamente aqueles delitos praticados por quem deveria combatê-los.

Hélio Bicudo participou do Governo de Carvalho Pinto, foi Deputado Federal e Vice-Prefeito de São Paulo na gestão de Marta Suplicy, consolidando-se ainda como um dos nomes mais importantes do país na luta contra a pena de morte, tornando-se também referência internacional na defesa dos Direitos Humanos.

Bicudo foi um dos primeiros filiados ao Partido dos Trabalhadores em 1980 e, depois disso, desarvorado com os rumos do partido, não hesitou em desfiliar-se dele, sendo um dos 3 signatários do pedido de impeachment de Dilma Rousseff.

Depois disto, foi um dos estimuladores do advogado Modesto Carvalhosa a se lançar candidato a Presidente da República de forma independente, caso Michel Temer fosse afastado do cargo.

Hélio Bicudo era associado do Movimento do Ministério Público Democrático, deixando sempre a sua marca de transformação social ao longo da vida sem nunca vergar sua coluna vertebral.

Em dezembro, esteve presente na sede do Instituto Não Aceito Corrupção quando do lançamento, no Dia Internacional de Combate à Corrupção, do manifesto de empoderamento da sociedade brasileira.

Ao longo do vida, mesmo com o passar dos anos, não perdeu jamais o brilho nos olhos e a combatividade que sempre caminharam ao lado da gentileza, da integridade e do sorriso de simplicidade e doçura.

Sentiu muito a perda da companheira com quem conviveu por 71 anos. Helio Bicudo era um democrata, defensor intransigente do humanismo, dos valores republicanos e deixa um legado riquíssimo neste universo.

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Você também vai gostar

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    72
  • 2 Pal
    63
  • 3 San
    63
  • 4 Grê
    62
  • 5 Cru
    57
  • Veja tabela completa