publicidade
Jefferson diz que Aranha exagerou no caso do racismo

Jefferson diz que Aranha exagerou no caso do racismo

No jogo entre Grêmio x Santos, válido pela Copa do Brasil, no dia 28 de agosto, o goleiro Aranha sofreu racismo por parte da torcida gaúcha. O atleta foi chamado de macaco e ficou indignado com as acões dos torcedores adversários.

O Grêmio foi expulso da competição e alguns torcedores foram indiciados. A jovem torcedora Patricia Moreira da Silva foi flagrada pela TV cometendo o crime de racismo, ao chamar claramente o goleiro de macaco. Ela foi quem mais sofreu, teve sua casa incendiada e perdeu o emprego.

O goleiro da seleção brasileira, Jefferson, comentou o caso. "Claro que a gente não tem de pegar ninguém para Cristo, mas todos em volta têm de se conscientizar sobre o que aconteceu. Acho que eu apoio o Aranha em todas as declarações, mas até ele mesmo sabe que não precisava chegar a esse ponto para que as coisas fossem resolvidas", ponderou Jefferson em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Jefferson também comentou sobre a casa de Patricia Moreira ser incenciada. "Acho que não precisava esse negócio de botar fogo na casa da menina. A gente não vai vencer o mal com o mal, mas hoje o Brasil é preconceituoso. Houve esse caso, e esse caso foi meio que um bode expiatório".

Foto: UOL

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    71
  • 2 Grê
    61
  • 3 Pal
    60
  • 4 San
    59
  • 5 Cru
    56
  • Veja tabela completa