publicidade
Marlone não joga pelo Atlético-MG desde a primeira partida da final do Camp. Mineiro

Marlone não joga pelo Atlético-MG desde a primeira partida da final do Camp. Mineiro

Victor Martins
Do UOL, em Belo Horizonte

No dia 30 de abril, no Mineirão, Atlético-MG e Cruzeiro se enfrentaram pela primeira partida da final do Campeonato Mineiro. O empate sem gols foi melhor para o time alvinegro, que manteve a vantagem de jogar por uma nova igualdade na volta, marcada para o Independência, para ser campeão. Naquela tarde, no Gigante da Pampulha, um dos titulares do Atlético foi o meia Marlone. O camisa 92 ficou em campo até o minuto 18 do segundo tempo, quando deu lugar a Otero.

Desde então, o jogador não atuou mais pelo Atlético. Nesse período foram nove jogos, por Mineiro, Copa Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil. Em alguns casos, Marlone ficou fora por obrigação, já que não está inscrito na Libertadores e já atuou pelo Corinthians na Copa do Brasil. Portanto, foram cinco partidas em que o meia ficou no banco de reservas, na decisão o Mineiro e nas quatro rodadas disputadas do Brasileirão, e não foi aproveitado pelo técnico Roger Machado.

"O Roger falou muito bem das minhas qualidades. Não sou um ponta de velocidade. Eu jogo aberto pelas pontas, sou um cara que finaliza, um cara que acha um passe entre linhas para o atacante. Ele me contratou mais para essa função, para não ficar limitado na ponta, para eu buscar o jogo também, como se fosse um meia. O professor vai saber tirar o melhor de mim e do grupo", disse o jogador, quando foi apresentado como reforço do Atlético para 2017, no fim de março.

Marlone chegou à Cidade do Galo emprestado pelo Corinthians até o fim da temporada. Ele foi um pedido de Roger Machado, que gostaria de contar com o jogador já no começo do ano. A diretoria atleticana se esforçou para atender ao treinador e negociou durante os meses de dezembro e janeiro, sem sucesso. A concretização do negócio só aconteceu em março.

E logo que chegou, Marlone se tornou um titular do Atlético. Pelo menos foi o que pareceu durante um curto momento. Entre a semifinal do Mineiro, contra a URT, e a decisão com o Cruzeiro, o time atleticano teve um jogo importante pela Copa Libertadores, contra o Libertad, no Independência. Roger chegou a lamentar o fato de não poder contar com Marlone.

"Acho que a gente se deu bem (com o Marlone em campo). Vamos trabalhar para repetir, mas pena que o Marlone não está apto para o jogo da Libertadores".
Transferência, calendário e convocações vão ajudar Marlone

Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Ponte Preta e Palmeiras foram as cinco partidas em que Marlone ficou no banco de reservas e não foi aproveitado por Roger Machado. Algo que deve mudar nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro. Alguns fatores vão fazer o camisa 92 ganhar espaço dentro do Atlético.

O primeiro deles é a iminente saída de Maicosuel, que deve reforçar o São Paulo. Nos cinco jogos em que Marlone ficou no banco, Maicosuel também ficou, mas entrou em todos. Mesmo que tenha chegado Valdívia recentemente, a saída do meia abre mais espaço para Marlone. Além disso, a sequência de jogos do Atlético entre Brasileirão, Copa do Brasil e Copa Libertadores vai fazer Roger Machado alternar a equipe mais vezes. Tem sido assim já nos últimos jogos. Contra o Palmeiras, por exemplo, Elias foi quem ficou fora.

E pelo menos nas próximas rodadas do Brasileiro, o espaço de Marlone vai ficar ainda maior. Com as convocações de Cazares e Otero, para Equador e Venezuela, respectivamente, o Atlético vai ter alguns desfalques nos próximos compromissos do Brasileirão, começando nesta quarta-feira, contra o Avaí, às 19h30, no Independência.

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    58
  • 2 Grê
    49
  • 3 San
    49
  • 4 Pal
    47
  • 5 Cru
    47
  • Veja tabela completa