publicidade
Edilson e Dudu acertaram a trave nos lances mais chamativos do duelo

Edilson e Dudu acertaram a trave nos lances mais chamativos do duelo

Do UOL, em Porto Alegre

Grêmio e Palmeiras não saíram do zero, neste domingo (11), em Porto Alegre. E mesmo que os donos da casa tenham produzido mais, o motivo para o empate foi o mesmo nos dois lados: o travessão. Edilson e Dudu acertaram a trave nos lances mais chamativos do duelo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Para o Palmeiras, o empate não chega a ser ruim. Com 47 pontos, o time de Cuca segue isolado na liderança do Brasileirão. Com um ponto de diferença em relação ao Flamengo, segundo colocado.

Já para o Grêmio, o placar fechado é muito ruim. Com 37 pontos, o time gaúcho segue em sexto. E chega a cinco rodadas sem vencer no campeonato.

Na próxima rodada, o Grêmio visita a Ponte Preta, na quarta-feira (14), às 21h (Brasília). Já o Palmeiras recebe o Flamengo, no mesmo dia, às 21h45 (Brasília).

Quem foi bem: Jailson, do Palmeiras

Um repertório rico de defesas ajudou o Palmeiras em Porto Alegre. Jailson, primeiro, abafou Pedro Rocha e conseguiu salvar o que seria uma finalização perigosa na etapa inicial. Depois, o substituto de Fernando Prass desviou de leve e tirou o chutaço de Edilson do gol para a trave.

Quem foi mal: Bolaños
A sina do equatoriano continua. Reforço mais caro do Grêmio no ano, o camisa 23 se esforçou bastante. Tentou muito. Mas produziu pouco. Ficou longe de ser protagonista, não teve nenhuma finalização perigosa e foi sacado aos 36 do segundo tempo. Mesmo aplaudido pela torcida, esteve abaixo do esperado outra vez.

Gabriel Jesus x Luan, o duelo
Campeões olímpicos, referências ofensivas em seus respectivos times. Os dois travaram um duelo particular e de funções. Enquanto Gabriel Jesus foi melhor na técnica, com boas jogadas individuais, Luan conseguiu ser mais efetivo. Foi do camisa 7 a melhor chance na disputa entre os dois. O camisa 33 saiu na metade da etapa final levando consigo bons dribles, mas nenhuma conclusão.

Grêmio comanda o jogo, mas desperdiça chances
De volta ao 4-2-3-1, o Grêmio retomou as infiltrações e a troca constante de Bolaños e Luan como figura de referência no ataque. A atuação ainda teve acréscimo de bolas longas, para evitar a transição e possível contra-ataque com a defesa aberta. Com ímpeto, o time gaúcho foi mais criativo. Pecou nas finalizações tanto no primeiro como no segundo tempo e não conseguiu aproveitar os espaços concedidos pelo Palmeiras.

Palmeiras é discreto e só fica perto do gol no final
Uma atuação coletiva discreta, com poucas finalizações e volume reduzido. Mesmo com Gabriel Jesus levando a melhor nos duelos contra a defesa do Grêmio, o Palmeiras foi abaixo do esperado. Produziu menos que o adversário e conseguiu crescer apenas na reta final da partida. Com a entrada de Cleiton Xavier, o meio-campo ficou mais criativo. Foi nesse período que Dudu acertou o travessão em lance incrível dentro da área.

Roger resgata esquema, mas é conservador
Depois de levar 4 a 0 diante do Coritiba, Roger Machado voltou a usar o 4-2-3-1. Com o esquema tradicional de sua passagem pelo tricolor, o treinador retomou ideias e fez uma partida melhor. Bem melhor relação as atuações recentes. Na hora de mexer, contudo, houve conservadorismo. Walace foi substituído por Ramiro, Pedro Rocha por Guilherme e Bolaños por Batista. Sem ousadia.

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    54
  • 2 San
    44
  • 3 Grê
    43
  • 4 Pal
    43
  • 5 Cru
    40
  • Veja tabela completa