publicidade
Assim que a delegação chegou ao Maracanã, Abel foi recepcionado por uma turma de pequenos tricolores

Assim que a delegação chegou ao Maracanã, Abel foi recepcionado por uma turma de pequenos tricolores

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

Não foi um jogo qualquer. Pela primeira vez comandando sua equipe em casa após a trágica morte de seu filho caçula João Pedro, o técnico Abel Braga foi reverenciado, ganhou uma série de homenagens e não conteve as lágrimas num Maracanã em que se acostumou a viver fortes emoções. Em campo, os jogadores do Fluminense o confortaram com a vitória sobre o Atlético-GO por 3 a 1.

"Eu amo o meu país. Amo meu torcedor, o meu clube. Eu amo meus jogadores. Eu amo JonJon e os olhos azuis", disse emocionado.

Um minuto de silêncio e choro

Antes da bola rolar, foi respeitado um minuto de silêncio levado ao pé da letra. Com os jogadores das duas equipes abraçados no centro do gramado, não se ouvia um pio da torcida no Maracanã. Abel, em sua área técnica, chorou bastante e olhou para o céu. Ao fim da homenagem, aplaudiu.

"Abelão guerreiro!"
Pouco antes do um minuto de silêncio, Abel Braga foi ovacionado pelos torcedores, que cantavam a plenos pulmões a música: "Guerreiro, Abelão guerreiro!". O treinador fez questão de se curvar em forma de agradecimento aos quatro cantos do estádio.

Conforto de pequenos tricolores

Assim que a delegação chegou ao Maracanã, Abel foi recepcionado por uma turma de pequenos tricolores. Em gestos singelos, as crianças abraçavam e alguns o presenteavam. Um bouquet de flores, por exemplo, foi dado ao treinador.

Não rolou

A torcida havia planejado um mosaico em homenagem ao técnico do Fluminense. Porém, como a venda antecipada de ingressos acabou ficando aquém do esperado, os organizadores decidiram por cancelar com receio da execução não ficar da melhor maneira.

O melhor - Wellington Silva

De volta após negociação frustrada para o exterior, Wellington Silva comandou o Fluminense. Além do belo gol, incomodou a zaga goiana com sua velocidade e dribles rápidos.

Baixa

O atacante tricolor Marcos Calazans lesionou logo no início do jogo e deixou o gramado chorando. De acordo com o departamento médico do Fluminense, ele sofreu uma entorse no joelho direito e passará por exames para detectar a gravidade da contusão.

FLUMINENSE 3 X 1 ATLÉTICO-GO
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Hora: 19h (horário de Brasília)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu (PR)
Cartões amarelos: Andrigo (ATL)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Wendel, aos 14 minutos do primeiro tempo (FLU); Paulinho, aos 23 minutos do primeiro tempo (ATL); Wellington Silva, aos 33 minutos do primeiro tempo (FLU); Henrique Dourado, aos 12 minutos do segundo tempo (FLU)

Fluminense
Julio Cesar, Mateus Norton (Robert), Renato Chaves, Henrique e Marlon; Marlon Freitas, Wendel e Gustavo Scarpa; Marcos Calazans (Matheus Alessandro), Wellington Silva (Peu) e Henrique Dourado
Técnico: Abel Braga

Atlético-GO
Felipe Garcia, André Castro, Gilvan, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Silva (Jonathan), Paulinho, Andrigo (Diego Rosa) e Jorginho; Niltinho (Luiz Fernando) e Walter
Técnico: João Paulo Sanches

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    55
  • 2 San
    47
  • 3 Grê
    46
  • 4 Cru
    44
  • 5 Pal
    43
  • Veja tabela completa