publicidade
Alemão teve uma atuação brilhante desde a largada. Foto: Scuderia Ferrari

Alemão teve uma atuação brilhante desde a largada. Foto: Scuderia Ferrari

O alemão Sebastian Vettel venceu o GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1, disputado neste domingo (8) no circuito de Silverstone, local em que foi disputada a primeira corrida da categoria, em 13 de maio de 1950. Foi a 51ª vitória do tetracampeão na F1, igualando a marca do também tetracampeão Alain Prost.

Silverstone fez jus à sua histórica, com uma prova espetacular, a melhor da temporada, com uma disputa pelas primeiras colocações até as voltas finais.

Porém, o triunfo de Vettel não foi fácil. Depois de assumir a ponta logo na largada, acabou perdendo a liderança para Valtteri Bottas e só voltou a ficar em primeiro no giro 47, superando o finlandês em uma linda manobra.

Lewis Hamilton precisou remar muito para terminar em um honroso segundo lugar, após ter caído para último na largada, após toque de Kimi Raikkönen (Ferrari), outro que fez uma prova espetacular para terminar em terceiro, após sofrer uma punição de 10 segundos nos boxes, justamente pelo incidente com o inglês da Mercedes. Raikkönen, aliás, ao término da prova, em entrevista ao ex-piloto Martin Brundle, da Sky Sports, admitiu o erro e considerou justa a punição.

Com o resultado, Vettel agora tem oito pontos de vantagem sobre Hamilton (171 a 163). Entre os construtores, a Ferrari ampliou a diferença para a Mercedes (287 a 267).

RESULTADO FINAL DO GP DA GRÃ-BRETANHA - SILVERSTONE

A CORRIDA

Na largada, salto perfeito de Vettel para assumir a liderança de Hamilton após ter largado em segundo. Hamilton perdeu terreno e ficou vulnerável para ataques, e Raikkönen acabou tocando na Mercedes do inglês, que acabou rodando, indo para a área de escape e caindo para a última colocação. Raikkönen acabou sendo punido com 10 segundos em sua parada para troca de pneus, na volta 14. Aliás, falando em volta 14, Hamilton já era o quinto neste momento da prova. Na volta 20 já era o terceiro, atrás do líder Vettel e de Bottas, o segundo colocado.

Um safety-car na volta 33, provocado por um acidente forte com o sueco Marcus Ericsson (Sauber), fez com que todos os carros fossem agrupados. A pancada, aparentemente, foi causada por falha no DRS (asa móvel), que não fechou em um trecho dos mais rápidos do traçado inglês. Ericsson, felizmente, saiu ileso.

Bastou a relargada, na volta 37, para nova entrada do carro de segurança, após toque entre Carlos Sainz Jr. (Renault) e Romain Grosjean (Haas) na curva Copse. Muita poeira levantada com os carros na brita mas ambos nada sofreram. Pouco antes da batida, grande disputa entre Raikkönen e Verstappen. O finlandês ultrapassou o holandês que deu o troco logo em seguida, na luta pela quarta colocação. Raikkönen voltou a superar Verstappen, que acabou rodando na volta 47.

O final foi emocionante, com os quatro primeiros juntos, Bottas, Vettel, Hamilton e Raikkönen.

Manobra linda de Vettel em Bottas na volta 47 para assumir a ponta, com a asa móvel aberta.

Vettel venceu, com Hamilton em segundo e Raikkönen em terceiro, após superar Bottas a três voltas para o final.

PRÓXIMA ETAPA

Em duas semanas, no dia 22 de julho, acontece a 11ª etapa do Mundial de F1, o GP da Alemanha, em Hockenheim, palco da primeira das 11 vitórias de Rubens Barrichello na categoria, em 2000, pela Ferrari. A etapa alemã não esteve presente no calendário da F1 em 2017. Em 2016, com 1min14s363, Nico Rosberg (Mercedes) foi o pole, mas a vitória foi do seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton. Na sequência, os dois carros da Red Bull, com Daniel Ricciardo e Max Verstappen. Rosberg terminou em quarto.


CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE NO CANAL BELLA MACCHINA DO YOUTUBE

 

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 São
    50
  • 2 Int
    49
  • 3 Pal
    47
  • 4 Fla
    45
  • 5 Grê
    44
  • Veja tabela completa