publicidade
O julgamento do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, chega para seu julgamento. Foto: Eduardo Graça/UOL

O julgamento do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, chega para seu julgamento. Foto: Eduardo Graça/UOL

A defesa de José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol preso nos Estados Unidos suspeito de participar de esquema de corrupção na Fifa, tenta afirmar que o ex-dirigente ocupava o cargo de maneira apenas ilustrativa. A ideia é afirmar que quem realmente mandava na entidade é o atual presidente Marco Polo Del Nero. As informações foram publicadas pelo "Globoesporte.com" e confirmadas pelo UOL Esporte.

Responsável pela defesa de Marin em Nova York, onde ele é julgado, Charles Stillman começou o primeiro pronunciamento frente aos jurados do caso comparando seu cliente a uma criança de 18 anos que participa de um jogo de futebol só para completá-lo, sem protagonismo algum.

Além disso, Stillman relembra que Marin virou presidente da CBF por ser o vice mais velho após a renúncia de Ricardo Teixeira, que ocupou o cargo até 2012. Seu cliente, segundo o advogado, estaria no cargo apenas de maneira interina até 2015.

Como parte de seu argumento, Stillman lembra que Marin estava sempre acompanhado de Del Nero e que era o segundo que ocupava cargo no Comitê Executivo da Fifa mesmo sob a gestão de seu cliente.

Tanto Marin quanto Del Nero são acusados de receberem propinas em prol de empresas de marketing. O atual presidente da CBF não foi a julgamento por estar em solo brasileiro.

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    71
  • 2 Grê
    61
  • 3 Pal
    60
  • 4 San
    59
  • 5 Cru
    56
  • Veja tabela completa