publicidade
Felipe Melo voltou a trabalhar com o grupo palmeirense no início de setembro

Felipe Melo voltou a trabalhar com o grupo palmeirense no início de setembro

José Edgar de Matos
Do UOL, em São Paulo (SP)

Felipe Melo, há mais de um mês, está de volta ao Palmeiras. E, desde o afastamento, o retorno aos gramados nunca esteve tão próximo. Novamente no dia a dia com o grupo de atletas, o volante viu o técnico Cuca anunciar na última segunda-feira a sua presença na delegação para o jogo com o Bahia. Decisão que surpreendeu até quem cerca o "Ousado".

Não havia qualquer perspectiva de Felipe Melo retornar em um futuro próximo aos jogos. Pessoas próximas ao jogador entendiam que, mesmo na "nova função" de zagueiro, a chance de um retorno era pequena. Cuca trabalhou com o camisa 30 na primeira linha de marcação durante a última semana – inclusive, no jogo treino contra o Desportivo Brasil sub-20.

O jogador soube da notícia depois da entrevista de Cuca, por intermédio de amigos. O treinador, até o anúncio desta segunda-feira, conversou recentemente com o Felipe Melo só sobre a possível utilização como zagueiro, segundo pessoas próximas ao atleta. Nada sobre uma data para o retorno até então.

Durante o período de afastamento, Felipe Melo permaneceu incomodado, em virtude do espírito competitivo, mas acatou as decisões da comissão de Cuca, que, a princípio, não pensava em reincorporar o volante aos jogos. No dia a dia, inclusive, se mostra pouco afetado, brincando constantemente com companheiros na Academia de Futebol.

Felipe Melo ganhou espaço, segundo Cuca, depois de trabalhar como zagueiro na última semana. "Vi um posicionamento defensivo muito bom. Ele comanda, tem controle da posição, sabe distribuir o jogo, não vai precisar fazer o vai e vem, perguntei se já tinha pensado? ´Penso muito nisso´ [respondeu o volante]. Vamos trabalhar", disse o técnico ao programa Baita Amigos, do Bandsports.

"Se precisar ir para o jogo, a gente tem ele de volante ou de zagueiro, como já utilizei ele contra o Internacional. Não tem nada, o que passou, passou, faz parte do passado", acrescentou Cuca.

Apesar das palavras de Cuca, a concorrência ainda é alta. No meio-campo, além dos titulares Jean, Moisés e Tchê Tchê, Cuca prioriza Thiago Santos e Bruno Henrique para os jogos; o treinador ainda conta nas próximas semanas com Arouca, que retornou recentemente de lesão, como opção.

Na zaga, os titulares são Edu Dracena e Mina, que se encontra na parte final da transição física e deve retornar ao time nas próximas semanas. A reserva imediata pertence a Luan e Juninho, contratados neste ano especificamente para a posição e por um alto custo (R$ 20 milhões). Cuca ainda tem Antônio Carlos, que teve poucas chances na temporada, como quinta opção para o setor.

O cenário ainda não é favorável a Felipe Melo, que não conta com o aval de Cuca na parte tática. Um dos motivos alegados para o afastamento depois do desentendimento entre atleta e treinador pós-eliminação na Copa do Brasil era a falta de "encaixe" do camisa 30 no padrão adotado pelo técnico campeão brasileiro no ano passado.

Cuca liberou Felipe Melo para prosseguir a carreira em outro destino, mas o jogador, sem perspectiva de mercado, seguiu na Academia de Futebol. A comissão técnica se precaveu e afastou o jogador, que, em áudio vazado, chamou o técnico de "mau-caráter".

Somente a partir de uma notificação jurídica por parte dos advogados de Felipe Melo, que exigiam a reintegração ao trabalho do dia a dia com o elenco, Cuca e a direção palmeirense recuaram. Há mais de um mês, o "Ousado" voltou. Trinta e poucos dias depois, de acordo com o treinador, a chance de atuar de novo está de volta, apesar dos obstáculos [concorrência] pela frente.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Você também vai gostar

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    58
  • 2 Grê
    49
  • 3 San
    49
  • 4 Pal
    47
  • 5 Cru
    47
  • Veja tabela completa