Sassá deixou geladeira de lado e voltou a se destacar pelo Botafogo após polêmicas

Sassá deixou geladeira de lado e voltou a se destacar pelo Botafogo após polêmicas

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

O que fazer com um jogador com claro potencial e que tem causado problemas frequentemente fora das quatro linhas? Esse foi o dilema que o Botafogo encontrou com Sassá, jogador revelado nas categorias de base. Brilhando em campo, o atacante convivia com algumas polêmicas nos bastidores.

Insatisfeito, o Botafogo decidiu afastar a joia, responsável por 12 gols no último Campeonato Brasileiro. Viu a titularidade absoluta se transformar em falta de oportunidades. Até nos treinamentos o jovem atacante foi colocado de lado. O Alvinegro estava cansado da falta de comprometimento e um comportamento inadequado.

A geladeira durou pouco mais de três meses. De casa, Sassá viu os companheiros brilharem na pré-Libertadores. Triste, esperava por uma nova oportunidade. Veio através do presidente Carlos Eduardo Pereira, que se reuniu com o atleta e deu o primeiro puxão de orelhas em fevereiro.

"O momento é de valorizar o atleta. Ele deu uma caída no desempenho, mas é um atleta formado pelo clube com muito potencial. Foi vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro 2016. É uma posição carente, e ele tem muito futuro. O que a gente fez foi dar um abraço nele, um puxão de orelhas ao mesmo tempo e tentar retomar o caminho de empenho nos treinamentos pra que a gente possa contar com ele já na fase de grupos da Libertadores", disse o presidente do Botafogo.

O mandatário não foi o único a cobrar o atleta. Jair Ventura também seguiu o mesmo caminho. A conversa, porém, foi mais intima. Os dois se conhecem há vários anos. Formado no Botafogo, Sassá teve Jair como chefe ainda nas categorias de base. O professor vê no atacante uma espécie de filho. E a bronca foi dura.

"Tive uma conversa bem dura com o Sassá. Mas não posso revelar. Ele sabe. Mas preservo meus atletas. Tive a conversa, mas não posso falar. Ele é como um filho mesmo. A parte de gestão do treinador é importantíssima. Você tem que saber gerir seus jogadores, staff... Eu estava arrasado pelo Sassá não estar em seu melhor momento. Ele me deu o meu primeiro título no sub-20. Agora fico muito feliz por ele estar com a cabeça no lugar, e tenho certeza que ele vai ajudar muito o Botafogo", acrescentou Jair Ventura.

Na última terça-feira, Sassá foi peça fundamental na vitória do Botafogo por 2 a 1 sobre o Estudiantes, no Estádio Nilton Santos (Engenhão). Ele entrou no segundo tempo, quando a partida estava empatada. Foi dele a jogada que terminou na finalização de Rodrigo Pimpão e com três pontos na conta. Apesar das polêmicas, Sassá foi muito festejado pelos torcedores.

"Sei do carinho que a torcida tem por mim. Cometi alguns erros, mas estou mais maduro e agora é crescer para jogar mais vezes. Falta ganhar ritmo, mas logo mais eu pego. Uns três, quatro jogos e eu estarei bem para poder brigar pela vaga de titular. Estou feliz de entrar, de poder me movimentar bem e conseguir achar o companheiro no gol do Botafogo", finalizou Sassá.

Foto: Intagram/Adriano Imperador

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações
comments powered by Disqus

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2016

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    80
  • 2 San
    71
  • 3 Fla
    71
  • 4 Atl
    62
  • 5 Bot
    59
  • Veja tabela completa