publicidade
Equipes travaram um duelo de poucas emoções na Arena da Baixada

Equipes travaram um duelo de poucas emoções na Arena da Baixada

O empate por 0 a 0 entre Atlético-PR e Chapecoense, neste sábado (28), teve papéis claríssimos: o time rubro-negro insistente, mas pouco criativo; e o alviverde recuado do início ao fim. Na Arena da Baixada, as equipes travaram duelo de poucas emoções pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O empate mantém ambas as equipes na parte intermediária da classificação, mas a Chapecoense corre riscos de fechar a rodada próxima da zona de rebaixamento. Com 39 pontos, a equipe condá tem cinco sobre o 17º colocado Vitória e tem como próximo adversário o Sport, em casa. Já o Atlético-PR, com 42, está mais perto de garantir sua permanência na elite e visita o Cruzeiro na próxima rodada.

Mostrou serviço: Jandrei faz boas defesas quando acionado

Apesar da superioridade clara do Atlético-PR, não foram muitas as vezes em que Jandrei precisou trabalhar. O goleiro passou o primeiro tempo praticamente sem fazer defesas, apenas vendo sua defesa anular o Furacão. Depois do intervalo, porém, precisou aparecer duas vezes para evitar o gol adversário.

Quem foi mal: Criação do Atlético-PR não alimenta atacantes

Pelo tanto de tempo em que teve a bola, o time da casa tinha obrigação de criar melhor. O Furacão teve muita quantidade com quinze finalizações, mas pouquíssima qualidade. O problema não foi solucionado com a entrada de Felipe Gedoz na vaga de Sidcley, nem com a troca de Ribamar por Douglas Coutinho. 

Furacão domina, mas não penetra

A posse de bola no primeiro tempo foi quase espantosa: 74% para o time da casa, que ocupou o campo inimigo e testou as linhas do adversário. O ritmo foi intenso nos dez minutos iniciais, período em que a Chapecoense sofreu para acertar a marcação, mas o gol não saiu. Daí em diante o domínio atleticano perdeu força, tornou-se infrutífero, e nenhuma finalização assustou Jandrei.

Chape se livra da bola

Os abriram mão completamente de desafiar o adversário, apostando todas as fichas na reação. Foram apenas 78 passes trocados até o intervalo, o que tornou praticamente impossível qualquer criação ofensiva. Ainda assim, o lance de maior perigo foi da Chape: Reinaldo e Wellington Paulista tiveram chance dentro da pequena área e pararam em Thiago Heleno.

Jandrei salva a Chape, que mantém retranca

Duas boas defesas de Jandrei no início do segundo tempo mantiveram o placar em zeros. Enquanto o Atlético-PR insistia, a Chapecoense esfriava o jogo. Foram raras as ocasiões em que o time visitante ultrapassou a linha do meio-campo, repetindo no segundo tempo a receita do primeiro.

Atlético-PR faz três faltas no jogo todo

Chamou a atenção a disciplina do Furacão que, somada à retranca da Chapecoense, resultou em apenas três faltas cometida durante os 90 minutos. É a segunda atuação mais limpa neste Brasileirão (atrás apenas do Corinthians da 19ª rodada, que venceu o Sport).

Ficha Técnica

Atlético-PR 0 x 0 Chapecoense

Data: 28 de outubro de 2017
Local: Arena da Baixada, Curitiba-PR
Hora: 21h00 (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macêdo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
Cartões Amarelos: Lucho González (Atlético-PR); Apodi, Jandrei, Fabrício Bruno e Canteros (Chapecoense)
Cartão Vermelho: não houve
Gols:  minutos do segundo tempo

Atlético-PR: Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Fabrício; Pavez, Lucho González (Matheus Rossetto), Sidcley (Felipe Gedoz), Guilherme e Nikão; Ribamar (Douglas Coutinho). Treinador: Fabiano Soares.

Chapecoense: Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno e Reinaldo; Amaral (Elicarlos), Moisés Ribeiro, Canteros e Luiz Antonio (Nadson); Arthur e Wellington Paulista. Treinador: Gilson Kleina.

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    71
  • 2 Grê
    61
  • 3 Pal
    60
  • 4 San
    59
  • 5 Cru
    56
  • Veja tabela completa