publicidade
Médicos ainda não conseguiram descobrir o que tem causado tanto desconforto ao número 1 do país

Médicos ainda não conseguiram descobrir o que tem causado tanto desconforto ao número 1 do país

Thomaz Bellucci passa por um momento complicado de sua carreira. Ainda sem conseguir engrenar em 2016, o tenista está tendo de lidar novamente com problemas que tem comprometido bastante o seu desempenho e que já acendem um sinal de alerta para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. E o pior de tudo, os médicos ainda não conseguiram descobrir o que tem causado tanto desconforto ao número 1 do país.

Até o momento, apenas os sintomas são conhecidos, como tontura, perda de força e visão embaçada quando submetido a grandes esforços. E isso piora em partidas disputadas em cidades com muito calor, umidade, vento e radiação solar. Estas são condições típicas do Rio de Janeiro, palco da disputa olímpica.

Neste ano, Bellucci acusou o golpe no Aberto da Austrália, em Melbourne, no Aberto do Rio de Janeiro (ATP 500) e no Aberto do Brasil (ATP 250 de São Paulo). Em todos estes torneios teve quedas repentinas no rendimento e acabou eliminado sem impor resistência aos adversários.

"O Thomaz está tendo há algum tempo algumas dificuldades que se refletem em tonturas e perda de visão, a visão fica um pouco turva.  Isso não o impede de jogar, mas tira ele muitas vezes de uma condição normal, ele tem que fazer um sacrifício muito grande para permanecer no jogo e tentar jogar. O Thomaz fez uma série de exames nas últimas semanas, passou por um bioquímico, que é um cientista, que vasculha o organismo de um pessoa, para tentarmos resolver isso da melhor forma possível", disse o técnico Joãoo Zwetsch ao UOL Esporte.

O médico Gustavo Magglioca, que cuida do tenista desde 2013, afirmou que o problema de Bellucci anda é desconhecido. Diversos estudos e exames já foram feitos, mas nenhuma grande anormalidade foi detectada. Quando o tenista retornar dos Estados Unidos - onde nesta semana disputa o Masters 1.000 de Miami - toda a sua equipe multidisciplinar se reunirá novamente para se debruçar sobre a questão.

"O Thomaz tem tido mais queixas do que antes em condições que lhe são desfavoráveis, que é quando tem calor, umidade, vento e forte radiação solar. Com o Ojoçao disse, ele tem relatado náuseas e visão turva. Precisamos seguir investigando e faremos isso quando ele voltar de Miami, não é hora de tirar o foco dele detes torneio", explicou o especialista.

Magliocca contou que mantém contato frequente com André Cunha, preparador físico de Bellucci, e que já estão desenvolvendo um trabalho para tentar minimizar o sofrimento do tenista antes das partidas até que uma solução definitiva não seja encontrada.

"Temos trabalhado com uma pré-hidratação forte e ingestão de eletrólitos e dando atenção na suplementação. Vamos avaliar as respostas que ele dá a isso. Este problema dele pode ser físico ou até mesmo hormonal", disse Magliocca.

Questionado se este problema poderá se acentuar na disputa da Olimpíada, Magliocca não fez tom alarmista, mas admitiu que é uma situação que merece atenção.

"Jogando em condições como estas (de calor e umidade) o Thomaz já teve grandes atuações, então não pode ser tomada como uma situação drástica. Mas é claro que precisa atenção porque as queixas têm sido mais recorrentes", completou.

Foto: UOL

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    71
  • 2 Grê
    61
  • 3 Pal
    60
  • 4 San
    59
  • 5 Cru
    56
  • Veja tabela completa