publicidade
Lucas Barrios marcou duas vezes

Lucas Barrios marcou duas vezes

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

O Grêmio voltou a vencer em casa no Brasileirão. Neste domingo (16), o Tricolor sofreu diante de uma Ponte Preta retrancada e até saiu atrás, gol contra de Rafael Thyere. Mas Lucas Barrios marcou duas vezes e decidiu o confronto da 14ª rodada. Everton ainda ampliou perto do final. Com o 3 a 1, o clube gaúcho diminuiu a diferença de pontos em relação ao líder Corinthians.

No início da rodada, a distância entre Grêmio e Corinthians era de 10 pontos. Com o empate do Timão diante do Atlético-PR, agora oito pontos separam líder e segundo colocado.

A vitória também encerrou um trauma do Grêmio com pênaltis e em seu estádio. Antes de virar em cima da Ponte, o Tricolor perdeu para Corinthians e Avaí. E em ambos os jogos, perdeu penalidades máximas com Luan e Edilson.

Quem decidiu: Lucas Barrios, do Grêmio

Sumido no primeiro tempo, mas decisivo na etapa final. Lucas Barrios marcou duas vezes e protagonizou uma cena que simboliza a vitória. Aos 10 do segundo tempo, ele tomou a bola e não deu margem para discussão sobre o batedor do pênalti. Contra Corinthians e Avaí, o centroavante pediu para cobrar e foi preterido para chutes errados de Luan e Edilson.

Aranha entre vaias e pedido de perdão

No reencontro de Aranha com a Arena, houve reações de todos os tipos. O goleiro foi vaiado por boa do estádio nas cobranças de tiro de meta – onde ele aproveitou para gastar tempo. Mas nas arquibancadas também teve gente pedindo desculpa pelo incidente de 2014, com injúrias raciais em jogo contra o Santos pela Copa do Brasil.

Recado do torcedor do Grêmio para Aranha. @EsporteBandRS pic.twitter.com/sPeNvDOthc
— Mateus Trindade (@mateustrindade) July 16, 2017
"Aranha!!! O tempo passa, mas a dor não. Novamente... Perdão por tudo!!! Somos a verdadeira torcida do Grêmio", dizia um cartaz aberto logo atrás do banco de reserva.

Grêmio sofre sem espaço

Com a bola, mas sem ficar perto de marcar. O Grêmio sofreu no primeiro tempo por conta da postura da Ponte Preta e de seus próprios erros. Sem profundidade, o Tricolor girou na frente da área e foi para o intervalo com apenas duas finalizações no gol. Nem o apoio dos laterais ajudou o time gaúcho a ter superioridade no terço final.

Mas cresce com referência

O segundo tempo foi diferente. Mais efetivo, o Grêmio andou sobre a linha tênue da velocidade e afobação. Conseguiu o empate após boa jogada de Pedro Rocha, aliviou a tensão e virou 15 minutos depois. O resultado obrigou a Ponte Preta a sair e tornou o duelo perfeito para a proposta do time de Renato Gaúcho. Com espaços, Luan cresceu e iniciou bonita jogada que terminou com Everton e o terceiro gol.

Ponte joga muito recuada

Retranca, jogo reativo ou para evitar riscos. Seja qual for a definição, a Ponte Preta mostrou que entrou em campo disposta a fazer de tudo para não vazar. Com linhas bem próximas, o time de Gilson Kleina tirou espaços e não caiu na tentação de crescer diante dos vacilos do Grêmio. Saiu pouco e quando o fez, foi perigoso.

Lucca quase abriu o placar, na primeira chance da partida, e depois contou com erro do Grêmio. As falhas de posicionamento, cobertura e tomada de decisão levaram a jogada iniciada por Renato Cajá até o fundo da rede. Em gol contra de Rafael Thyere.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 3 X 1 PONTE PRETA

Data e hora: 16/07/2017 (domingo), às 16h (Brasília)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 21.133 pessoas (19.292 pagantes)
Renda: R$ 677.199,00
Árbitro: Claudio Francisco Silva (SE)
Auxiliares: Cleriston Barreto Rios (SE) e Fabio Pereira (TO)
Cartões amarelos: Edilson (GRE); Emerson Sheik, Jeferson (PON)
Gols: Rafael Thyere (contra), aos 34 minutos do primeiro tempo (PON); Lucas Barrios, aos 11 minutos do segundo tempo e aos 25 minutos do segundo tempo (GRE)

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Rafael Thyere, Geromel e Bruno Cortez; Michel, Arthur (Fernandinho); Ramiro, Luan e Pedro Rocha (Everton); Lucas Barrios (Marcelo Oliveira)
Técnico: Renato Gaúcho

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e Jeferson; Fernando Bob (Jean Patrick), Jádson (Felipe Saraiva), Naldo e Renato Cajá (Negueba); Lucca e Émerson Sheik
Técnico: Gilson Kleina

Foto: Jeferson Guareze/AGIF (retirada do portal UOL)

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    54
  • 2 San
    44
  • 3 Grê
    43
  • 4 Pal
    43
  • 5 Cru
    40
  • Veja tabela completa