publicidade
O lateral Bruno ajudou o Bahia a golear o rival na Fonte Nova. Foto: Felipe Oliveira/Bahia Oficial/Via UOL

O lateral Bruno ajudou o Bahia a golear o rival na Fonte Nova. Foto: Felipe Oliveira/Bahia Oficial/Via UOL

O Bahia não teve dificuldades para vencer o rival Vitória na tarde deste domingo (22), pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe tricolor venceu por 4 a 1, com gols de Zé Rafael, Vinícius, Tiago e Gilberto, e chegou à marca de nove clássicos sem derrota. Lucas descontou para os rubro-negros.

O triunfo fez o Bahia respirar na tabela. O clube começou a rodada na zona de rebaixamento, mas saltou para a 13ª posição, com 16 pontos, e empurrou o Vitória em 14ª lugar, com 15 pontos.

O Vitória terá três dias de descanso e voltará a campo na quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), quando recebe o Sport no Barradão. Já o Bahia recebe o Cerro, do Uruguai, na próxima quarta, pelo jogo de ida da segunda fase da Sul-Americana. O duelo com o Ceará, pela 15ª rodada, foi adiado para o fim de agosto por causa do jogo com os uruguaios. Pelo Brasileiro, o Bahia volta a campo no dia 30 de julho, contra o Atlético-MG.

Início pegado
O relógio ainda não marcava 20 segundos quando o Vitória deu o primeiro susto no rival. Neílton pressionou a saída, conseguiu roubar a bola Tiago. A sobra ficou para Walter Brou, que chutou forte, mas parou no goleiro Anderson. Parecia que o time rubro-negro ia dominar.

Um minuto depois, Zé Rafael e Jeferson se desentenderam e foram advertidos com cartão amarelo. Pendurado, Zé Rafael terá que cumprir suspensão no próximo jogo. Passada a pressão inicial do clássico, o susto do Vitória e a discussão dos jogadores, o clima acalmou na Fonte Nova.

Golaço de Zé Rafael
Não demorou para os donos da casa abrirem o placar. Aos 14, Léo fez uma boa jogada pela esquerda, deixou dois marcadores para trás e tocou para Zé Rafael. O meia bateu de primeira, colocado, e mandou por cima do goleiro Elias. Um golaço, para alegria da torcida tricolor.

Rei do clássico baiano
Aos 24 minutos, Fillipe Soutto derrubou Zé Rafael na área e o árbitro marcou pênalti. Vinícius foi para a cobrança. Elias conseguiu espalmar, mas, no rebote, o próprio meia completou para o gol e ampliou a vantagem baiana. Foi o terceiro tento de Vinícius em BaVis nesta temporada: ele marcou no primeiro clássico do ano e no jogo de ida da final do Campeonato Baiano. Depois do segundo gol, os donos da casa diminuíram o ritmo, controlaram o jogo e tentaram explorar os contra-ataques.

Clima volta a esquentar
Mancini orientava seus comandados quando Vinícius se aproximou do banco rival. Um dos jgoadores tentou jogar água em direção ao meia, o que principiou um tumulto na beira do campo, mas a situação foi rapidamente controlada. Na saída para os vestiários no intervalo, os mais de 20 mil torcedores do Bahia presente no estádio vaiaram e hostilizara os adversários. Mas as confusões pararam por aí.

Virou passeio
O Vitória voltou mais ofensivo para o segundo tempo. Aos quatro minutos, um contra-ataque deixou Fillipe Souto livre na entrada da área. Ele chutou forte, mas Anderson defendeu com a ponta da luva. Depois disso, a zaga do Bahia conseguiu se organizar.
Aos 20 minutos, o Bahia voltou a marcar. Após cobrança de falta, a zaga rubro-negra tentou afastar, mas Gregore tocou de cabeça e deixou a sobra para Tiago mandar para o fundo das redes. O Bahia ainda comemorava quando Zé Rafael foi lançado em profundidade, chegou à linha de fundo e cruzou para Gilberto tocar para o fundo das redes.
Lucas ainda descontou para o Vitória. Aos 27 minutos, Bryan levantou a bola na área e Lucas desviou de cabeça para o gol, mas já era tarde demais. Irritados e pressionados com a goleada, o Vitória começou a perder a linha. Bryan foi expulso por entrada dura em Edson. Pouco depois, Vagner Mancini por expulso por reclamação. Lucas Fonseca foi advertido com amarelo nos minutos finais e também terá que cumprir suspensão na próxima rodada, mas nada que fosse capaz de apagar a festa tricolor em Salvador.

Torcida única
Depois da briga generalizada que resultou em vitória do Bahia por WO em fevereiro, pela primeira fase do Estadual, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) determinou que os clássicos baianos devem ter torcida única. Apenas tricolores puderam acompanhar a vitória do Bahia na Arena Fonte Nova. Neste domingo, nenhuma confusão foi registrada nos arredores do estádio.

Mesmo assim, o clima para o jogo estava tenso devido à pressão das equipes para fugir da zona de rebaixamento. Na última sexta-feira, um protesto de torcedores do Bahia descambou em briga no aeroporto de Salvador. Cerca de 20 torcedores organizados foram ao desembarque do time após o empate com a Chapecoense para exigir explicações dos atletas, dirigentes e comissão técnica pelos maus resultados do clube.

A manifestação descambou em briga, os atletas Everson e Junior Brumo acabaram agredidos e a PM precisou intervir. Depois da confusão, o zagueiro Everson ainda teve o carro perseguido por torcedores, que cercaram e chutaram o veículo, onde também estavam a mulher e a filha do jogador. Ninguém ficou ferido.

Bahia amplia invencibilidade
A última derrota do Bahia para o Vitória foi em abril de 2017, na semifinal da Copa do Nordeste. Com o triunfo deste domingo, o time tricolor chegou a nove jogos sem perder para o rival, com seis vitórias e três empates. O próximo clássico baiano está marcado para o dia 10 de novembro, pelo returno do Brasileirão.

Presença especial
Diagnosticado com esclerose múltipla em 2010, o ex-lateral Maílson esteve na Fonte Nova para prestigiar o clássico em um dos camarotes. Ídolo do Bahia nos anos 90, o atleta defendeu o clube entre 1998 e 1995. Em entrevista recente ao UOL Esporte, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, declarou que Maílson havia sido uma das inspirações para o projeto Dignidade ao Ídolo, que consiste num auxílio a ex-jogadores em dificuldades.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 4 X 1 VITÓRIA

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 22 de julho de 2018, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)
Público: 24.312 torcedores
Renda: R$ 453.426,00
Cartões amarelos: Zé Rafael, Lucas Fonseca e Tiago (Bahia); Bryan, Arouca, Luan, Walter Brou e Jeferson (Vitória)
Cartões vermelhos: Bryan e Vagner Mancini (Vitória)

Gols: Zé Rafael, aos 14min, e Vinícius, aos 25min do 1ª tempo; Tiago, aos 20min, Gilberto, aos 21min do 2º tempo; Lucas, aos 27min do segundo tempo

BAHIA
Anderson; Bruno, Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore (Léo), Elton, Zé Rafael e Vinícius (Régis); Edigar, Junio (Marco Antônio) e Gilberto
Técnico: Enderson Moreira

VITÓRIA
Elias; Jeferson (Lucas), Kanu, Aderllan e Bryan; Arouca, Fillipe Soutto e Luan; Erick, Walter Bou (Yago) e Neilton (Willian Farias)
Técnico: Vagner Mancini

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    72
  • 2 Pal
    63
  • 3 San
    63
  • 4 Grê
    62
  • 5 Cru
    57
  • Veja tabela completa