publicidade
Mesmo com a expulsão de Lucho González, na etapa inicial, a equipe mineira não conseguiu bater o lanterna Atlético-PR

Mesmo com a expulsão de Lucho González, na etapa inicial, a equipe mineira não conseguiu bater o lanterna Atlético-PR

Jogar em casa contra o lanterna e ainda ver o adversário ter um jogador expulso ainda no primeiro tempo. Situação dos sonhos para qualquer equipe, mas que o Atlético-MG não soube aproveitar no confronto com o Atlético-PR, no Independência, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo com a expulsão de Lucho González, na etapa inicial, a equipe mineira não conseguiu bater o lanterna Atlético-PR. Conseguiu fazer ainda pior e foi derrotada por 1 a 0, com gol de Sidcley, aos 45 minutos do segundo tempo.

Três dias após perder para o Vitória, então lanterna, o Atlético-MG teve a chance de recuperar contra outra equipe na última colocação. Mas o domínio e a pressão não foram suficientes. Muitos gols perdidos e castigo no fim. Melhor para o Atlético-PR, que segue na lanterna, mas pelo menos conseguiu vencer a primeira no Brasileirão.

Elias deu volume de jogo ao Atlético-MG

O Atlético-MG completou três jogos sem vencer como mandante neste Campeonato Brasileiro. Mas não foi com uma atuação ruim. O time da casa pressionou bastante, especialmente a partir do momento que ficou com um jogador a mais. Grande responsável por dar volume de jogo ao time mineiro foi o volante Elias. Precisão nos desarmes e força para puxar o time para o ataque. Tanto que não foram poucas as vezes que o volante chegou em condições de finalizar dentro da área do Atlético-PR.

Ainda sem entrosamento, Valdívia ficou devendo

Na coletiva que concedeu na véspera do confronto com o Atlético-PR, Valdívia comentou que pouco conseguiu treinar com os companheiros desde que chegou ao Atlético-MG. Para compensar a falta de trabalho no campo, o meia tem apelado para as reprises dos jogos, para tentar acelerar o processo de entrosamento na nova equipe. Mas diante do Atlético-PR ficou nítido que Valdívia ainda não está totalmente encaixado na equipe mineira. Tanto que o camisa 20 ficou devendo e deixou a partida nos primeiros minutos do segundo tempo.

Após mais de um mês, capitão voltou ao Atlético

Leonardo Silva não jogava desde o clássico que deu o título mineiro para o Atlético, em 7/5. Com uma lesão na coxa direita, o capitão alvinegro ficou mais de um mês afastado. O retorno aconteceu diante do Atlético-PR e com uma atuação bastante segurança, para quem estava sem jogar desde o começo de maio.

Após nove jogos seguidos, Fred foi poupado

Entre 13/5 e 11/6 o Atlético disputou nove partidas, por Campeonato Brasileiro, Copa Libertadores e Copa do Brasil. O centroavante Fred foi titular em todas, sendo que em cinco ele sequer foi substituído. Com uma sequência tão grande de partidas em um intervalo de tempo curto, o artilheiro do Atlético na temporada foi poupado diante do Atlético-PR. Mesmo fora do jogo, Fred esteve no Independência, para incentivar seus companheiros.

Atlético alugou campo do rival paranaense no primeiro tempo

Após uma atuação decepcionante contra o Vitória, em Salvador, o Atlético deu a resposta que a torcida esperava. Antes de a bola rolar, os atleticanos que foram ao Independência pediram raça para o time todo. Mais do que raça, os torcedores alvinegros viram um bom futebol. O Atlético se impôs diante do rival paranaense, que pouco conseguiu sair do campo de defesa. Erros de finalização, de passe e até um impedimento bem marcado, impediram que o Atlético-MG terminasse o primeiro tempo em vantagem.

Lucho González deixou Atlético-PR com um a menos

Duas faltas foram o suficiente para o experiente Lucho González receber cartão vermelho ainda no primeiro tempo. O argentino do Atlético-PR teve de parar Alex Silva com um carrinho, na entrada da área, e recebeu o cartão amarelo, aos 28 minutos. Aos 40, ao parar Robinho que puxava o contra-ataque, o camisa 3 do Atlético-PR recebeu o segundo amarelo e foi expulso pelo árbitro Péricles Bassols. A reclamação foi tímida, porém, Lucho demorou um minuto para deixar o gramado, caminhando lentamente rumo ao vestiário.

Pressão do Atlético-MG e susto do Atlético-PR

A pressão era toda do Atlético-MG, atuando em casa e com um jogador a mais. Mas quem criou a primeira grande chance na etapa final foi o Atlético-PR. Após cobrança de escanteio, a defesa mineira não conseguiu afastar a bola e Deivid quase marcou de cabeça. Por sorte dos mineiros, a bola bateu na trave.

Roger tira Elias e é chamado de burro

Aos 33 minutos do segundo tempo técnico Roger Machado fez as duas alterações que restavam. O treinador sacou o lateral Alex Silva para colocar o meia Thalis e também tirou Elias para colocar o centroavante Élder Santana. Essa última alteração foi o suficiente para fazer o treinador ser chamado de burro, no Independência.

Erro de Felipe Santana faz Atlético perder de novo

Bastante criticado desde que chegou ao Atlético-MG, o zagueiro Felipe Santana falhou de novo. O zagueiro errou feio no lance do gol marcado por Sidcley, aos 45 minutos do segundo tempo. Ao tentar recuar uma bola para o goleiro Victor, o zagueiro do Atlético-MG deu um belo presente para o lateral do Atlético-PR, que aproveitou para fazer o único gol da noite.

Thomás Santos/AGIF (Retirada do Portal UOL)

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2017

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Cor
    71
  • 2 Grê
    61
  • 3 Pal
    60
  • 4 San
    59
  • 5 Cru
    56
  • Veja tabela completa