publicidade
Equipes passaram em branco em Chapecó. Foto: Liamara Polli/AGIF/Via UOL

Equipes passaram em branco em Chapecó. Foto: Liamara Polli/AGIF/Via UOL

Pouca criatividade e muita bola aérea, especialmente por parte da Chapecoense. Assim foi o jogo disputado na noite deste domingo (22), em Chapecó, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Quase sem levar perigo ao gol adversário, o time paulista ao menos conseguiu se manter ileso ao bombardeio aéreo da Chape e, assim, arrancou empate por 0 a 0 na Arena Condá.

Porém, apesar do ponto conquistado fora de casa, o técnico Jair Ventura certamente continuará pressionado no comando do time santista, que chega aos 15 pontos e segue praticamente colado na zona de rebaixamento. A Chapecoense, assim como o Santos, empata a segunda partida seguida e continua com um ponto a mais que o adversário: são 16, ficando na 14ª posição.

O Santos volta a campo na quarta-feira (25), quando recebe o líder Flamengo na Vila Belmiro, às 21h45. Já a Chapecoense encara o Botafogo um dia depois, quinta-feira (26), no Engenhão, às 19h30. Os jogos são válidos pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O melhor: Vanderlei

Em um jogo de pouca qualidade, pode-se dizer que Vanderlei se destacou ao fazer a sua parte, e muito bem. Não que ele tenha sido muito exigido. Mas quando foi, saiu bem do gol e fez boas defesas.

O pior: Gabigol

É bem verdade que a bola pouco chegou nos atacantes santistas. Porém, quando Gabigol foi acionado, pouco fez. Errou o domínio de algumas bolas fáceis e quase não deu trabalho aos defensores da Chape. Saiu no fim do segundo tempo.
Santos, mais uma vez, cria pouco

O setor de criação do Santos, mais uma vez, deixou a desejar. Foram poucas as jogadas construídas através do meio-campo, pouco criativo. A bola pouco chegava no trio de ataque. Tanto é que, logo no começo do segundo tempo, Jair Ventura tentou mudar o panorama, colocando o argentino Vecchio. Mas pouco mudou.
Com 2 centroavantes, Chape abusa do chuveirinho

Gilson Kleina mandou a campo uma equipe com três atacantes, sendo dois centroavantes: Leandro Pereira e Wellington Paulista. E com os dois, a Chapecoense abusou das bolas jogadas na área. Sorte do Santos que a defesa ganhou boa parte das tentativas e, quando permitiu finalizações, a Chape não caprichou.

Wellington Paulista pilhado. Até demais

Wellington Paulista entrou em campo ligado no 220. Com apenas cinco minutos de jogo levou um cartão amarelo após deixar o braço em Dodô. Os dois, aliás, estranham-se durante boa parte do primeiro tempo. Em outro lance, o centroavante da Chape caiu no gramado depois de um contato sem bola com Jean Mota. Faltou pouco para o atacante deixar o time na mão.

Um tronco salva o Santos de revés

Aos 41min do segundo tempo, Wellington Paulista aproveitou cruzamento da direita e cabeceou com estilo no ângulo para balançar as redes. A sorte do Santos é que o atacante estava com um tronco à frente da defesa santista.

Pendurados viram desfalques, dos dois lados

Três jogadores que estavam pendurados levaram cartões amarelos e assim viraram desfalques para a próxima rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante Welington Paulista desfalca a Chapecoense diante do Botafogo, quinta (26), no Engenhão. Já o meia Jean Mota e o zagueiro David Braz não enfrentam o Flamengo na quarta-feira (25), na Vila Belmiro.

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2018

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    59
  • 2 Int
    56
  • 3 Fla
    55
  • 4 São
    52
  • 5 Grê
    51
  • Veja tabela completa