publicidade
Alemanha foi a maior freguesa do Brasil até a fatídica goleada na Copa do Mundo de 2014

Alemanha foi a maior freguesa do Brasil até a fatídica goleada na Copa do Mundo de 2014

Após três anos do fatídico “7 a 1” para a Alemanha contra o Brasil, no lotado Mineirão, pela Copa do Mundo de 2014, ainda é difícil de aceitar que esse resultado elástico aconteceu. Durante todo esse tempo muitas explicações surgiram. Culpados foram achados, julgados e os erros daquele dia, por cada brasileiro, até hoje, possui uma solução.

E se usarmos a razão, é mais fácil de aceitar que os alemães tinham um time melhor (nem tanto assim como muitos afirmam) e que provavelmente, o Brasil não perderia de sete a um.

Se recorrermos ao retrospecto dos duelos entre as duas seleções, até antes daquela partida nebulosa do dia 8 de julho de 2014, teremos 21 partidas, com 12 vitórias brasileiras, quatro alemãs e cinco empates. Até então, o Brasil tinha marcado 39 gols, contra 24 da Alemanha e nenhum dos embates terminaram em 0 a 0.

Ainda há quatro partidas contra a Alemanha Oriental, na qual a vantagem da Seleção Canarinho é excelente. Foram três vitórias: 1 a 0 no dia 26 de junho de 1974 (pela Copa do Mundo), 3 a 1 no dia 26 de janeiro de 1982 (amistoso) e 3 a 0 no dia 8 de abril de 1986 (amistoso). Apenas um empate, 3 a 3 no dia 13 de maio de 1990 (amistoso).

E a verdade que ninguém sabia, é que antes dos “7 a 1” a Alemanha era uma “freguesaça” do Brasil. Todavia, a bonita história de resultados construída ao logo dos anos foi perdida em uma única tarde, após 90 trágicos minutos.

Imagem: Túlio Nassif/Portal TT

Confira todos os gols do duelo em dois vídeos:

De 1963 até 1992.

De 1993 até 2011.

Abaixo, a ficha técnica de todos os confrontos entre Brasil e Alemanha:

BRASIL 2 x 1 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 5 de maio1963.
Competição: Amistoso.
Local: Volksparkstadion, em Hamburgo (Alemanha).
Público: 76.400 pagantes.
Árbitro: Dientz Gottfries (Suiça).
Gols: Jürgen Werner 32’, Coutinho 59’ e Pelé 72’.
BRASIL: Gilmar, Lima, Eduardo, Roberto Dias e Rildo; Mengálvio e Zito; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Aymoré Moreira.
ALEMANHA OCIDENTAL: Wolfgang Fahrian, Hans Nowak, Karl-Heinz Schnellinger, Willi Schulz e Jürgen Werner; Leo Wilden e Alfred Heiss; Jürgen Schütz, Uwe Seeler, Timo Konietzka (Heinz Strehl) e Gert Dörfel. Técnico: Josef Herberger.

BRASIL 2 x 0 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 6 de junho de1965.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (Brasil).
Público: 143.315 pagantes.
Árbitro: Carlos Rivero (Peru).
Gols: Flávio 25’ e Pelé 52’.
BRASIL: Manga, Djalma Santos, Bellini, Orlando Peçanha e Rildo; Dudu e Ademir da Guia; Garrincha (Jairzinho), Flávio (Célio), Pelé e Rinaldo. Técnico: Vicente Feola.
ALEMANHA OCIDENTAL: Hans Tilkowski, Josef Piontek, Horst-Dieter Höttges (Willi Giesemann), Willi Schultz e Max Lorenz; Klaus-Dieter Sieloff e Wolfgang Overath (Hans Küppers); Alfred Heiss, Werner Krämer, Walter Rodekamp e Reinhard Libuda. Técnico: Helmut Schön.

BRASIL 1 x 2 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 16 de junho de 1968.
Competição: Amistoso.
Local: Neckarstadion, em Stuttgart (Alemanha).
Público: 72.200 pagantes.
Árbitro: Bertil Loow (Suécia).
Gols: Sigfried Held 8’, Bernd Dörfel 56’ e Tostão 58’.
BRASIL: Cláudio, Carlos Alberto Torres, Jurandir, Joel Camargo e Sadi (Rildo); Denilson e Gerson; Paulo Borges, Jairzinho (César Maluco), Tostão e Edu. Técnico: Aymoré Moreira.
ALEMANHA OCIDENTAL: Horst Wolter, Berti Vogts, Klaus Fichtel, Ludwig Müller e Wolfgang Weber; Franz Beckenbauer, Max Lorenz e Wolfgang Overath; Bernd Dörfel, Sigfried Held e Willi Neuberger. Técnico: Helmut Schön.

BRASIL 2 x 2 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 14 de dezembro de 1968.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (Brasil).
Público: 50.678 pagantes.
Árbitro: István Zsolt (Hungria).
Gols: Edu 30’ e 36’ e Siegfried Held 48’ e 73’.
BRASIL: Picasso, Carlos Alberto Torres, Jurandir, Roberto Dias e Everaldo; Gerson (Zé Carlos) e Rivellino; Edu, Tostão (Dirceu Lopes), Pelé e Paulo César Caju (Nado). Técnico: Aymoré Moreira.
ALEMANHA OCIDENTAL: Josef Maier, Berti Vogts, Bernd Patzke, Willibald Schultz e Wolfgang Weber; Franz Beckenbauer e Wolfgang Overath (Herbert Wimmer); Bernd Dörfel, Sigfried Held, Günter Netzer e Georg Volkert (Klaus Gerwien). Técnico: Helmut Schön.

BRASIL 1 x 0 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 16 de junho de 1973.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio Olímpico, em Berlim (Alemanha).
Público: 76.243 pagantes.
Árbitro: Arie Van Gemmert (Holanda).
Gol: Dirceu 74’.
BRASIL: Leão, Zé Maria, Luís Pereira, Piazza e Marco Antônio; Clodoaldo, Valdomiro e Rivellino; Jairzinho, Dirceu e Paulo César Caju. Técnico: Zagallo.
ALEMANHA OCIDENTAL: Sepp Maier, Berti Vogts, Bernd Cullmann e Paul Breitner; Franz Beckenbauer, Heinz Flohe, Uli Hoeness (Hans-Joseph Kappelmann) e Wolfgang Overath; Josef Heynckes, Gerhard Müller e Helmut Kremers. Técnico: Helmut Schön.

BRASIL 1 x 1 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 12 de junho 1977.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (Brasil).
Público: 106.066 pagantes.
Árbitro: Luis Pestarino (Argentina).
Gols: Klaus Fischer 53’ e Rivellino 86’.
BRASIL: Leão, Zé Maria, Luís Pereira, Amaral e Rodrigues Neto; Toninho Cerezo, Zico e Rivellino; Gil (Marcelo), Roberto Dinamite e Paulo César Caju. Técnico: Cláudio Coutinho.
ALEMANHA OCIDENTAL: Josef Maier, Berti Vogts, Manfred Kaltz, Rolf Rüssmann e Bernhard Dietz; Rainer Bonhof, Erich Beer (Franz-Josef Tenhagen) e Bernad Hölzenbein (Heinz Flohe); Rüdiger Abramczik, Klaus Fischer e Georg Volkert (Karl-Heinz Rummenigge). Técnico: Helmut Schön.

BRASIL 1 x 0 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 5 de abril de 1978.
Competição: Amistoso.
Local: Volksparkstadion, em Hamburgo (Alemanha).
Público: 61.400 pagantes.
Árbitro: Karoly Palotai (Hungria).
Gol: Nunes 76’.
BRASIL: Leão, Zé Maria, Oscar, Amaral e Edinho; Toninho Cerezo, Rivellino (Batista) e Gil; Zico, Reinaldo (Nunes) e Dirceu. Técnico: Cláudio Coutinho.
ALEMANHA OCIDENTAL: Josef Maier, Berti Vogts, Rolf Rüssmann, Manfred Kaltz e Bernhard Dietz (Karl-Heinz Förster); Rainer Bonhof, Erich Beer (Ronald Worm) e Heinz Flohe; Rüdiger Abramczik (Hans Müller), Klaus Fischer e Georg Volkert. Técnico: Helmut Schön.

BRASIL 4 x 1 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 7 de janeiro de 1981.
Competição: Mundialito.
Local: Estádio Centenário, em Montevidéu (Uruguai).
Público: 70.000 pagantes.
Árbitro: Juan Silvagno (Chile).
Gols: Klaus Allofs 54’, Júnior 59’, Toninho Cerezo 62’, Serginho 75’ e 82’.
BRASIL: João Leite, Edevaldo (Getúlio), Oscar, Luizinho e Júnior; Batista, Toninho Cerezo e Tita (Serginho); Paulo Isidoro, Sócrates e Zé Sérgio. Técnico: Telê Santana.
ALEMANHA OCIDENTAL: Harald Schumacher, Manfred Kaltz (Wolfgang Dremmler), Karlheinz Förster e Bernhard Dietz; Rainer Bonhof, Hans-Peter Briegel, Miroslav Votava, Felix Magath e Hans Müller; Klaus Allofs e Karl-Heinz Rummenigge. Técnico: Jupp Derwall.

BRASIL 2 x 1 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 19 de maio de 1981.
Competição: Amistoso.
Local: Neckarstadion, em Stuttgart (Alemanha).
Público: 72.200 pagantes.
Árbitro: Clive White (Inglaterra).
Gols: Klaus Fischer 30’, Toninho Cerezo 60’ e Júnior 74’.
BRASIL: Valdir Peres, Edevaldo, Oscar, Luizinho e Júnior; Toninho Cerezo, Sócrates e Zico (Vitor); Paulo Isidoro, César (Renato) e Éder. Técnico: Telê Santana.
ALEMANHA OCIDENTAL: Harald Schumacher (Eike Immel), Manfred Kaltz, Wilfried Hannes, Karl-Heinz Förster e Paul Breitner; Hans-Peter Briegel, Bernad Schuster (Bernhard Dietz), Felix Magath e Hansi Müller; Klaus Fischer (Karl Allgöwer) e Karl-Heinz Rummenigge. Técnico: Jupp Derwall.

BRASIL 1 x 0 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 21 de março de 1982.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (Brasil).
Público: 150.289 pagantes.
Árbitro: Augusto Lamo Castillo (Espanha).
Gol: Júnior 82’.
BRASIL: Valdir Peres, Leandro, Oscar, Luizinho e Júnior; Vitor, Adílio e Zico; Paulo Isidoro, Careca e Mário Sérgio (Éder). Técnico: Telê Santana.
ALEMANHA OCIDENTAL: Harald Schumacher, Manfred Kaltz, Karl-Heinz Förster e Paul Breitner; Uli Stielike, Hans-Peter Briegel, Wolfgang Dremmler, Lothar Matthäus e Hans Müller (Stephan Engels); Pierre Littbarski (Frank Mill), Klaus Fischer e Horst Hrubesch. Técnico: Jupp Derwall.

BRASIL 0 x 2 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 12 de março de 1986.
Competição: Amistoso.
Local: Waldstadion, em Frankfurt (Alemanha).
Público: 61.146 pagantes.
Árbitro: Luigi Agnolin (Itália).
Gols: Hans-Peter Briegel 2’ e Klaus Allofs 88’.
BRASIL: Carlos, Edson Boaro, Oscar, Mozer e Dida; Falcão e Sócrates; Casagrande, Müller (Marinho), Careca e Sidney (Éder). Técnico: Telê Santana.
ALEMANHA OCIDENTAL: Harald Schumacher, Matthias Herget, Karl-Heinz Föster (Guido Buchwald), Wolfgang Rolff e Andreas Brehme; Hans Peter Briegel, Olaf Thon, Lothar Matthäus e Felix Magath; Frank Mill (Klaus Allofs) e Karl-Heinz Rummenigge (Heinz Gründel). Técnico: Franz Beckenbauer.

BRASIL 1 x 1 ALEMANHA OCIDENTAL
Data: 12 de dezembro de 1987.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (Brasil).
Público: 30.000 pagantes.
Árbitro: Elias Jácome (Equador).
Gols: Batista 67’ e Stefan Reuter 89’.
BRASIL: Gilmar, Zé Teodoro, Batista, Luizinho e Nelsinho (Eduardo); Douglas, Raí (Washington), Pita (Uidemar) e Valdo; Müller (Sérgio Araújo) e Renato. Técnico: Carlos Alberto Silva.
ALEMANHA OCIDENTAL: Eike Immel, Stefan Reuter, Guido Buchwald, Jürgen Kohler e Matthias Herget; Michael Frontzeck, Manfred Schwabl (Frank Ordenewitz), Lothar Matthäus e Andreas Brehme (Christian Hochstätter); Olaf Thon e Jürgen Klinsmann. Técnico: Franz Beckenbauer.

BRASIL 3 x 1 ALEMANHA
Data: 16 de dezembro 1992.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (Brasil).
Público: 40.000 pagantes.
Árbitro: Juan Escobar (Paraguai).
Gols: Luís Henrique 38’, Bebeto 42’, Mathias Sammer 84’ e Jorginho 90’.
BRASIL: Taffarel, Jorginho, Paulão, Célio Silva e Branco; Mauro Silva, Luís Henrique (Júnior), Silas (Luizinho) e Zinho; Bebeto (Renato Gaúcho) e Careca (Romário). Técnico: Carlos Alberto Parreira.
ALEMANHA: Bodo Illgner, Guido Buchwald, Christian Wörns e Jürgen Kohler; Carsten Wolter (Michael Zorc), Thomas Hässler (Matthias Sammer), Martin Wagner (Kurt Reinhardt), Stefan Effenberg e Lothar Matthäus; Jürgen Klinsmann e Andreas Thom (Thomas Doll). Técnico: Berti Vogts.

BRASIL 3 x 3 ALEMANHA
Data: 10 de junho de 1993.
Competição: US Cup.
Local: Estádio Robert Fitzgerald Kennedy, em Washington (EUA).
Público: 30.000 pagantes.
Árbitro: Arturo de Angelis (EUA).
Gols: Tommas Helmer (contra) 13’, Careca 32’, Luizinho 39’, Jürgen Klinsmann 66’ e Andreas Möller 80’.
BRASIL: Taffarel, Jorginho, Júlio César, Márcio Santos e Branco (Nonato); Dunga, Luizinho, Raí e Elivelton (Cafu); Valdeir (Almir) e Careca. Técnico: Carlos Alberto Pareira.
ALEMANHA: Andy Köpke, Thomas Helmer, Guido Buchwald e Jürgen Kohler; Stefan Effenberg, Andreas Möller, Michael Zorc (Thomas Strunz), Matthias Sammer e Lothar Matthäus; Karl-Heinz Riedle (Christian Ziege) e Jürgen Klinsmann. Técnico: Berti Vogts.

BRASIL 1 x 2 ALEMANHA
Data: 17 de novembro de 1993.
Competição: Amistoso.
Local: Muengersdorfer, em Colônia (Alemanha).
Público: 54.000 pagantes.
Árbitro: Jam Damgaard (Dinamarca).
Gols: Buchwald 38’, Evair 40’ e Möller 41’.
BRASIL: Ronaldo, Jorginho, Márcio Santos (Mozer), Ricardo Gomes e Branco; Dunga, Paulo Sérgio, Raí (Edilson) e Zinho; Edmundo e Evair (Válber). Técnico: Carlos Alberto Parreira.
ALEMANHA: Bodo Illgner, Stefan Effenberg, Jürgen Kohler, Thomas Helmer e Andreas Brehme; Lothar Matthäus, Guido Buchwald, Thomas Hässler e Andreas Möller; Karl-Heinz Riedle (Ulf Kirsten) e Jürgen Klinsmann (Maurizio Galdino). Técnico: Berti Vogts.

BRASIL 2 x 1 ALEMANHA
Data: 15 de março de 1998.
Competição: Amistoso.
Local: Gottlieb-Daimler Stadion, em Stuttgart (Alemanha).
Público: 53.218 pagantes.
Árbitro: David Elleray (Inglaterra).
Expulsões: Jurgen Kohler 27´ e Dunga 57´.
Gols: César Sampaio 26´, Ulf Kirsten 66´ e Ronaldo 87´.
BRASIL: Taffarel, Cafu, Aldair, Júnior Baiano e Roberto Carlos; César Sampaio, Dunga, Rivaldo e Denílson (Doriva); Romário (Bebeto) e Ronaldo. Técnico: Mário Jorge Lobo Zagallo.
ALEMANHA: Andreas Köpke, Thomas Helmer (Markus Babbel), Jurgen Kohler, Christian Wörns, Joerg Heinrich, Olaf Thon, Dietmar Hamman, Andreas Möller, Christian Ziege (Michael Tarnat), Jurgen Klinsmann (Ulf Kirsten) e Oliver Bierhoff. Técnico: Berti Vogts.

BRASIL 4 x 0 ALEMANHA
Data: 24 de julho de 1999.
Competição: Copa das Confederações.
Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara (México).
Público: 60.000 pagantes.
Árbitro: Gilberto Alacala (México).
Gols: Zé Roberto 62’, Ronaldinho Gaúcho 71’ e Alex 85’ e 87’.
BRASIL: Dida, Evanilson, Odvan, João Carlos e Serginho; Flávio Conceição (Alex), Émerson, Vampeta e Zé Roberto (Beto); Ronaldinho Gaúcho e Christian (Warley). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
ALEMANHA: Jens Lehmann, Lothar Matthäus, Christian Wörns e Thomas Linke; Joerg Heinrich (Ronald Maul), Michael Ballack, Dariusz Wosz, Oliver Neuville (Heiko Gerber) e Lars Ricken; Mehmet Scholl e Michael Preetz (Olaf Marschall). Técnico: Erich Ribbeck.

BRASIL 2 x 0 ALEMANHA
Data: 30 de junho de 2002.
Competição: Copa do Mundo.
Local: Internacional Yokohama Stadium, em Yokohama (Japão).
Público: 69.029 pagantes.
Árbitro: Pierluigi Colina (Itália).
Gols: Ronaldo 67’ e 77’.
BRASIL: Marcos, Lúcio, Edmilson e Roque Júnior; Cafu, Gilberto Silva, Kléberson, Ronaldinho Gaúcho (Juninho Paulista) e Roberto Carlos; Ronaldo (Denilson) e Rivaldo. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
ALEMANHA: Oliver Kahn, Thomas Linke, Christian Ramelow e Christoph Metzelder; Torsten Frings, Bern Schneider, Dieter Hamann, Jens Jeremies (Gerald Asamoah) e Marco Bode (Christian Ziege); Oliver Neuville e Miroslav Klose (Oliver Bierhoff). Técnico: Rudi Völler.

BRASIL 1 x 1 ALEMANHA
Data: 8 de setembro de 2004.
Competição: Amistoso.
Local: Estádio Olímpico, em Berlim (Alemanha).
Público: 74.315 pagantes.
Árbitro: Urs Meier (Suíça).
Gols: Ronaldinho Gaúcho 7’; Kevin Kuranyi 17’.
BRASIL: Júlio César, Beletti (Maicon), Juan, Roque Júnior e Roberto Carlos; Edmilson, Juninho Pernambucano (Renato), Edu e Ronaldinho Gaúcho (Alex); Adriano (Júlio Baptista) e Ronaldo. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
ALEMANHA: Oliver Kahn, Philipp Lahm, Robert Huth, Frank Fahrenhorst e Andreas Hinkel (Lukas Podolski); Torsten Frings, Sebastian Deisler (Andreas Görlitz), Michael Ballack e Bernd Schneider; Kevin Kurányi e Gerald Asamoah (Miroslav Klose). Técnico: Jürgen Klinsmann.

BRASIL 3 x 2 ALEMANHA
Data: 25 de junho de 2005.
Competição: Copa das Confederações.
Local: Frankenstadion, em Nüremberg (Alemanha).
Público: 42.187 pagantes.
Árbitro: Ricardo Chandia (Chile).
Gols: Adriano 21’ e 76’, Podolski 22’, Ronaldinho Gaúcho 42’ e Ballack 45’.
BRASIL: Dida, Maicon (Cicinho), Lúcio, Roque Júnior e Gilberto; Émerson, Zé Roberto, Kaká (Renato) e Ronaldinho Gaúcho; Robinho (Júlio Baptista) e Adriano. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
ALEMANHA: Lehmann, Friedrich, Huth, Mertesacker e Schneider; Frings, Deisler (Hanke), Ballack e Ernst (Borowski); Kuranyi (Asamoah) e Podolski. Técnico: Jürgen Klinsmann.

BRASIL 2 x 3 ALEMANHA
Data: 10 de agosto de 2011.
Competição: Amistoso.
Local: Mercedes-Benz Arena, em Stuttgart (Alemanha).
Público: 54.700 pagantes.
Árbitro: Viktor Kassai (Hungria).
Gols: Schweinsteiger 60´, Götze 66´, Robinho 71´, Schürrle 79´ e Neymar 92´.
BRASIL: Júlio César, Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos (Luiz Gustavo); Ralf, Ramires e Fernandinho (Paulo Henrique Ganso); Robinho (Renato Augusto), Alexandre Pato (Fred) e Neymar. Técnico: Mano Menezes.
ALEMANHA: Neuer, Christian Träsch, Hummels, Badstuber e Lahm; Schweinsteiger (Rolfes), Kroos, Götze (Cacau) e Müller; Podolski (Klose) e Gómez (Schürrle). Técnico: Joachim Löw.

Imagem: Túlio Nassif/Portal TT

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

SOBRE O COLUNISTA

Apaixonado por programas esportivos de rádio e televisão, desde a infância é frequentador desses meios de comunicação. Formou-se em jornalismo e logo em seguida pós-graduou em Comunicação Jornalística, pois visava trabalhar com esportes. Mais tarde, concluiu o MBA de Master em Gerência e Administração para entender o mundo dos negócios.

Arquivos