publicidade
Podem rir e me xingar, mas Nenê não jogar na seleção brasileira é sacanagem

Podem rir e me xingar, mas Nenê não jogar na seleção brasileira é sacanagem

E não é que o São Paulo se mexeu?

Ufa, exclama o treinador Rogério Ceni.

Afinal, como se viu quinta-feira em São Luís, o time é muito fraco.

Mas, com Pratto, o Tricolor deve crescer bastante porque o argentino é excelente fazedor de gols em boas médias.

E o Palmeiras “retrucou” na mesma hora e na mesma moeda.

Mas não sei, não.

Pratto já é um prato feito à brasileira e Borja chega por enquanto como candidato a ganhar o “MasterChef” da Band.

Só que Borja encontrará uma cozinha padrão internacional no Allianz Parque enquanto que no Morumbi até a churrasqueira anda velha e sem brasa.

Brasa que não falta em Felipe Melo.

Ninguém é tão esquentado!

Bom jogador, mas lembra Trump: uma polêmica por dia.

Polêmicas que sobram no Corinthians.

Mais um pouco voltam Alfredo Ignácio Trindade, Wadih Helou e Vicente Matheus.

O Timão continua desgovernado e faz tempo.

Ganhou em Poços como o São Paulo em São Luís: os adversários eram muitíssimo fracos.

E agora meu departamento do “Milton Louco”!

Nenê, do Vasco, tem repentes de... Messi!

Copete, do Santos, tem lampejos de... Rivaldo!

E Vanderlei, também do Peixe, o melhor goleiro do Brasil, é o “Buffon da Vila”.

E sério mesmo, das três “loucuras”, a do Nenê é algo lúcido.

Baixinho, feinho, magrinho e canhotinho, o vascaíno bate faltas e pênaltis com 41.07% da precisão do argentino.

Ou não?

É só colocá-lo no Barcelona entrando toda vez que seu “sósia” estiver machucado ou suspenso que “ninguém notará a diferença”!

É que seu toque de bola é “igualzinho” ao do Messi.

Podem rir e me xingar, mas Nenê não jogar na seleção brasileira é sacanagem.

Joga quase sozinho no Vasco, não aceita sair ganhando muito mais e já salvou Eurico Miranda mil vezes.

No mais, informo de novo: o Palmeiras “ganhou” o Paulistão-2017.

Não precisa nem jogar.

Foto: UOL

Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

SOBRE O COLUNISTA

Milton Neves Filho, nasceu em Muzambinho-MG, no dia 6 de agosto de 1951.

É publicitário e jornalista profissional diplomado. Iniciou a carreira em 1968, aos 17 anos, como locutor na Rádio Continental em sua cidade natal.

Trabalhou na Rádio Colombo, em Curitiba-PR, em 1971 e na Rádio Jovem Pan AM de São Paulo, de 1972 a 2005. Atualmente, Milton Neves apresenta os programas "Terceiro Tempo?, "Domingo Esportivo? e "Concentraçã... Saiba Mais

Arquivos